O submundo dos jogos eróticos e sua ascensão inusitada

Sabem, uma coisa que sempre me deixou intrigado foi esse povo que faz quadrinhos eróticos e colocam na internet. Eu até entendo que tudo vira pornografia como tinha comentado na matéria sobre o erotismo engolir tudo que existe, e entendo que hoje em dia com o preço das mesas digitalizadoras, qualquer um está começando a desenhar facilmente sem medo de errar. No entanto tem pessoas que tem um traço tão, mas TÃÃÃOOO lindo que eu não entendia o motivo dela se dedicar a algo assim ao invés de lançar profissionalmente. Então imagina como minha cabeça não explodiu ao descobrir que existe um submundo de jogos eróticos realmente bem feitos? Mas ao descobrir o motivo, foi uma verdadeira surpresa.

Antes de tudo vamos começar pelas imagens. Como dita a Regra 34 da internet, TUDO vira pornô! Se tem um herói, um filme, um jogo, alguém vai começar a pensar em como é determinado personagem sem roupas. E graças a isso é natural que artistas se manifestem, às vezes é o próprio artista que tem essa curiosidade e decide imaginar. É um tabu e é bem natural e compreensivo isso acontecer.

Mas agora quando a coisa evolui pra um quadrinho  erótico e a pessoa se dá o trabalho de fazer páginas e mais páginas, às vezes até mesmo edições, já é algo que começa a fazer pensar. Quero dizer, hoje em dia temos o Kindle, qualquer pessoa pode publicar uma revista em quadrinhos e deixar exposta para o mundo inteiro! Por que a pessoa deixaria de fazer algo mais aceito e que existe a chance de deixá-la muito famosa e partir pra um mundo underground desses? Ela é tão depravada assim?

Isso sempre me deixou com uma pulga atrás da orelha. Daí vem os jogos, que são coisas que sempre vi por aí vez ou outra. Antes eram aqueles jogos em flash, extremamente toscos e que sempre achei bem sem sentido, mas parecia ser algo pra zoar mesmo "Aperte sem parar o botão pra aumentar a velocidade. PARABÉNS, VOCÊ FOI MAIS RÁPIDO DESSA VEZ!". Alguns feitos pelos próprios sites pornográficos, então parecia ser só um extra mesmo.

Daí comecei a ver uns banners de uns jogos 3D que pareciam super bem feitos, tipo de Game of Thrones com a Arya Stark idêntica e não sei como essa gente não tem medo de ser processada. Mas logo pensei se tratar de algo também bancado pelos sites eróticos e que certamente foi algum tipo de aventura pra ver se conseguiam novo público. Nunca me interessei em clicar, mas imagino que seja algum tipo de MMO que você paga por tudo pra ver putaria, se alguém aí souber, diz (Sem foto, pelo amor de Deus, ok?).

Mas nesse caso aí, dava pra ver que tinha uma empresa por trás, e lógico que sempre vão ter empresas grandes bancando de tudo, brinquedos, filmes, animações, e um investimento a mais em jogos dá pra entender também, afinal é lógico que deve ter público. Mas aí descobri algo que começou a ficar meio estranho, os jogos indie eróticos.

Primeiro vi alguns visual novels por aí e logo lembrei que no fim dos anos 90 e começo dos anos 2000 eu já ouvia falar de visual novels  japoneses e que era jogo de tarado. Normalmente jogos de colegiais e que o objetivo era tentar conseguir uma namoradinha. Era algo safado, mas não erótico pra valer. E tinha os que eram pornozões, mas bom... Material do Japãao né? Se os caras tem hentai e tem público de visual novel, é claro que teria alguma empresa que bancaria uns pornôs assim.

Porém eu comecei a ver indies por aí com a temática. Foi meio esquisitinho né? Mas parecia ser o gênero mais adequado e ainda estava dentro do normal, afinal de contas se uma pessoa comum fosse se dedicar a um jogo erótico, é claro que o estilo visual mais fácil possível seria melhor do que começar a modelar coisas em 3D.

Então era tipo "Nossa, a pessoa foi além... Ela não se limitou a uma HQ", porém existindo programas de criação fácil de Visual Novels como o TyranoBuilder, parecia ser apenas um passo a mais e não como se a pessoa tivesse feito um Triplo A né? Mas aí foi que descobri uma paródia pornográfica de Resident Evil 2 chamada Terminal Desires, que me chamou a atenção por ter algo de diferente ali.

Primeiro, não é meramente um Visual Novel, é um jogo feito no RPG Maker, com elementos de Visual Novel, incluindo puzzles, coleta de itens, combate e destinos diferentes. A minha reação foi "Meu... A steam tá aí cara! Por que diabos ficar fazendo jogo pornô enquanto você pode lançar na steam? É cheio de jogo de RPG Maker lá!".

Mas beleza, agora vamos voltar a um detalhe. Como faço reviews de jogos, acabo tendo contato com diversos desenvolvedores e vez ou outra bato um papinho. E ao contrário do que parece, a steam não é mil maravilhas. Na verdade é um inferninho, os caras realmente lutam pra se destacar lá. Sei que parece que sempre vai ter alguém no mundo que é rico e quer ter todos os jogos na biblioteca, mas o problema é... Não existem tantas pessoas ricas ou desesperadas assim no mundo, e aí começa a complicar.

A Valve dá destaques a jogos de empresas famosas ou indies muito desejados (Que normalmente são de empresas que já ganharam fama). A quantidade de lançamentos diários é enorme e desenvolvedores não param de crescer. Sim, é algo que gera um dinheirinho, mas a pessoa quer se manter né? Ela quer pagar contas! Ela quer viver disso! E infelizmente não basta lançar seu jogo indie lá, tem que ralar muito e ter sorte, pois até jogos fodões às vezes desaparecem no mar de jogos.

Beleza, agora que expliquei isso, vamos voltar... Eu acabei entrando no site do desenvolvedor e descobrindo que ele lançava aos poucos. Não era um jogo com fim, mas um jogo que ia até um certo ponto e na medida em que ele lançava a atualização, a pessoa usava o mesmo save. Daí vi que ele tinha um Patreon...

Pra quem não sabe, o Patreon é um site de financiamento coletivo, porém ao invés de ser algo do tipo "Me deem tantos dólares que lanço o jogo", é mais pra uma assinatura, ou seja, a pessoa paga mensalmente uma quantia e recebe benefícios do projeto, seja acesso aos fóruns, seja brindes, o que for, depende do projeto. E eu fui lá no Patreon do cara, já meio que rindo, afinal de contas qual é né? O cara criou um Patreon de jogo pornô kkkkkk, qual o nível de depravação de uma pessoa pra pagar por isso?

E foi aí que meu mundo mudou! Minha cabeça foi a mil, e milhares de respostas começaram a surgir de uma vez! Sabem o quanto é complicado manter algo como o Patreon? Você não precisa apenas fazer um projeto, você precisa fazer algo incrível, algo que as pessoas queiram ver. A maioria dos Patreon não ganha nada, tem que ser algo que a pessoa sinta a vontade de assinar.

Então conseguir 100 dólares por mês já é algo demais, é incrível alguém te pagar 100 dólares pra você fazer algo. Então imagina ganhar 500 dólares pra algo que você faz como hobby? Só que não é o caso desse jogo, a média mensal do cara era de 2500 dólares! CARA! DOIS MIL E QUINHENTOS DÓLARES! Vê o preço do dólar aí no google e converte isso em reais! Agora imagina ganhar isso por mês pra fazer um jogo no RPG Maker aos poucos?

Logo vi que funciona da seguinte forma, ele coloca uma versão grátis pra download e os apoiadores do Patreon têm acesso à mais nova versão, quando a versão seguinte sai, a anterior se torna gratuita. Além disso os apoiadores tem acesso à área de sugestão para falarem o tipo de putaria que querem ver e o que gostaram e o que não gostaram, personagens que querem rever, etc...

Mas não para por aí, decidi ver o que mais tinha no Patreon... E percebi que tinham projetos que ganhavam mais mensalmente! 4 mil... 5 mil... 9 mil... 20 mil... 54 mil... SIM CINQUENTA E QUATRO MIL DÓLARES! Pooota que pariu! Meu... Cara, olha isso! Como é que pode uma pessoa ganhar mais de meio milhão de dólares anualmente fazendo visual novel pornô? Se chama Summertime Saga o nome desse negócio.


Isso fez ficar muito, mas muuuuuuito claro o motivo de uma pessoa de meter em um bagulho underground desses, e decidi pesquisar um pouco sobre o universo da pornografia nos video games. Compreendi muito mais, e pra falar a verdade o que começou a parecer mais estranho foi, como demorou tanto pra algo assim acontecer?

A real é que foi uma breve soneca, nos anos 80 pra baixo, o mundo dos video games era mais bagaceira! Tinha o Gotcha, que era um jogo de pervertido na cara dura colocado pra criança jogar, tinha o Cluster's Revenge, que era um simulador de estupro lançado pela própria Atari, e muito mais! A coisa tava tão bagaceira que em 1994 os pais falaram CHEGA!!! Ò__Ò! e isso fez surgir o ESRB e acabar com a festa.

A resposta foi tão forte, que isso desanimou a indústria pornográfica, pois distribuidoras simplesmente não queriam gastar recursos com jogos pornôs. Video Game dos anos 90 tinha apelo para crianças, e foi inclusive daí que se criou o estereótipo de que jogos serem coisas de criança, foi uma nova época.

Graças a isso, os tarados sofreram muito! Eles não tinham o que fazer, precisaram ir para o mundo underground, distribuir jogos gratuitamente em fóruns. Daí alguns cobravam em seus sites, mas ninguém era louco o suficiente de por o cartão de crédito em um negócio desses né? Porém com a popularização de alguns, começavam a ganhar alguns centavos.

Na verdade tanto os produtores de quadrinhos quanto o de jogos sempre foram da mesma laia, e normalmente os jogos eram evoluções. Primeiro ilustrações avulsas, depois viravam tirinhas, depois virarava HQ's, depois viravam séries em quadrinhos e por fim esses criadores descobriam o RPG Maker ou alguma outra engine fácil e falavam "Tá aí! Vou fazer algo de diferente!". Mas sempre lucrando pouco e não preciso nem falar da pirataria dos pagos né?

E por muito  tempo os caras viviam no submundo, mas a verdade é que o mercado também se abriu um pouco até em ambientes populares. A própria steam teve um bocado de problemas em se adaptar à coisa, sendo um jeito meio polêmico e bagunçado. Começando por banimentos, até ter o lançamento oficial do seu primeiro jogo pornográfico e ter uma dor de cabeça imensa banindo jogos com exploração infantil e a coisa foi um estouro com o mais que polêmico Rape Day.

Não preciso falar que o ESRB também ficou bem em cima né? Mas agora com financiamento coletivo, de repente a coisa mudou pra essa gente. Os jogos apresentam os mais variados tipos de safadezas, indo desde fanfactions que não tenho a mínima ideia de como não são banidos (Tipo Mity, que se passa no universo de Avatar e acumula 20 mil dólares por mês) até jogos com furries.

Parece que se tornou uma alternativa para aqueles que tem os desejos mais estranhos e não conseguem encontrá-los em contos eróticos e não estão  mais contentes com os hentais, daí vão procurar monstros bizarros em jogos para escolherem o que vai acontecer. Isso sem contar com os jogos "normais" né?

E em meio a tanta grana, isso tornou real certas coisas que antes eram impossíveis. Por exemplo, o autor de Seeds of Chaos, (que é um jogo com um visual MARAVILHOSO PRA CACETE), disse que contratou uma pessoa da indústria Triple A pra trabalhar em seu projeto. Normalmente eles não revelam seus nomes, só idade e onde moram. Alguns por não quererem ficar ligados ao projeto e queimar a imagem, outros por medo de serem processados por quebras de direitos autorais.

Graças a essa grana, o investimento também passou a ser em coisas com maior qualidade, e um exemplo é Jessika’s Curse, que apesar de ganhar "apenas" 2600 dólares por mais, tem uma mecânica absurdamente mais elegante e vendo por fora em screenshots aleatórias do combate, não parece ser um jogo pornográfico de jeito nenhum, parece algo de um estúdio indie feito pra steam.

E o contrário também aconteceu, enquanto alguns focaram em deixar cada vez mais complexa a coisa, tiveram os que focaram em coisas mais simples, como jogos de texto, que o resultado basicamente foi algo semelhante a um conto erótico em que é possível escolher o que o personagem vai fazer.

Então é possível dizer que o Patreon abriu as portas de algo que estava fechado há muito tempo e o resultado foi uma verdadeira biblioteca de jogos pornô cada vez mais sofisticados. A maioria dos sites não permite coisas desse tipo e os abomina por completo, já o patreon parece ter entrado nessa com cosplayers sensuais que vendem pacotes de fotos e acabou evoluindo para isso.

Esse tipo de coisa me impressiona demais e faz ver que a internet é capaz de mudar tudo, o tanto de coisa que se tornou realidade graças à tecnologia é impressionante, mas tem algumas que são bizarras pra caramba e conseguem surpreender pra valer. Me pergunto o tanto de coisa que no futuro não vai "despertar" e hoje em dia está longe da realidade.

Enfim, mas que loucura ein? Quem diria? Quer dizer... Tenho certeza que alguns de vocês já sabiam bem disso kkkkkkkkkk, mas acho que a maioria deve achar tão estranho quanto eu achava antes de descobrir essas coisas. Fico imaginando o tanto de gente underground que não deve lucrar horrores por aí.

Comentários