quinta-feira, 24 de julho de 2014

Point Perfect - Um jogo pra você ficar muito frustrado!

Existem alguns jogos que tem um baita dom de conseguir fazer duas coisas opostas ao mesmo tempo, a primeira é gerar uma enorme frustração, e a segunda é gerar um vício imenso. Naturalmente isso é estranho, afinal de contas quem é que vai ficar viciado em um jogo frustrante? Point Perfect consegue fazer isso exatamente porque ao mesmo tempo em que te coloca em um desafio muito difícil, também acaba te fazendo sentir que irá conseguir passar de uma parte, e assim te faz repetir várias e várias vezes até conseguir uma pontuação maior.

Como já deve ter dado para notar bem, esse não é bem um jogo que tenha foco em uma história, portanto tudo é concentrado principalmente na jogabilidade aqui e assumidamente o jogo foi feito para ter um estilo arcade. Sendo assim, aqueles que adoram testar suas habilidades e tentar atingir uma pontuação cada vez maior, certamente irão adorar esse aqui, especialmente para aqueles que tem irmãos ou alguém para desafiá-lo constantemente a tentar ultrapassar a pontuação.

A jogabilidade é das mais esquisitas, não é explicado nada e certamente na primeira vez que qualquer um joga, sem saber de nada, acaba perdendo até descobrir exatamente o que deve ser feito. Nas minhas primeiras partidas, eu perdia rapidamente sem conseguir atingir pontuação alguma e apenas tentando imaginar como era possível vencer as criaturas que apareciam na tela. Para pessoas mais desesperadas, isso pode ser o fim, porém para aqueles que realmente estejam afim de jogar algo para passar o tempo, certamente logo irá acabar descobrindo o que precisa ser feito.

Basicamente você é um ponteiro de mouse e diversas criaturas começam a surgir do lado direito da tela e atravessá-la, o objetivo é selecionar essas criaturas para que elas explodam e você ganhe pontos, mas esse é só o começo, logo o jogo passa a ter uma variação enorme na jogabilidade, você não pode encostar o mouse nos inimigos, pois perderá uma vida, e acontecerão coisas como uma linha vermelha surgir no meio da tela e começar a girar, sendo que você tem que acompanhar os movimentos para que ela não te toque, ou um jogador de baseball que arremessa algumas bolas e você tem que selecioná-las para que elas retornem, como se estivesse rebatendo.

É sempre preciso ficar se adaptando constantemente as coisas que acontecem, e é muito fácil perder, no começo das partidas você escolhe um certo bônus que terá, podendo fazer a energia que explode os monstros carregar mais rápido, ter uma vida extra, ou ter uma pontuação que sobe sozinha por segundo, ou seja, quanto mais tempo sobreviver, mais pontos irá gerar. Mas mesmo escolhendo qualquer uma das três, a quantidade de inimigos é tanta que acaba muito fácil perder, e o jogo não se contenta apenas com a sua própria frustração, ainda foram feitas certas animações que caçoam de você, como o personagem que ri e aponta pra tela.

Graficamente o jogo tem um estilo todo especial, além de apresentar uma jogabilidade a moda antiga, e o "personagem" ser um ponteiro de mouse, ele foi feito para simular um windows antigo, como se você estivesse jogando contra elementos do computador, sendo assim o visual usado é como se fosse a de um jogo da era 8 bits, e cheio de personagens que aparecem de tempos em tempos, ficou realmente bonito de se ver.

Mas enfim, ta aí uma opção de jogo realmente desafiador e que você pode gostar muito, vale a pena dar uma conferida, especialmente os fãs de arcades. Para quem se interessar pode dar uma olhada no site oficial do jogo.

Dá uma ajuda compartilhando? =)

quarta-feira, 23 de julho de 2014

Wayward Manor - Um jogo híbrido de Neil Gaiman!

Certamente muitas pessoas que visitam o blog, conhecem Neil Gaiman, especialmente os fãs de quadrinhos, já que esse é um dos grandes nomes do ramo e contribuiu com obras maravilhosas, como por exemplo Os livros da Magia. Boa parte das obras do autor são sombrias e existe um toque mágico, isso fez com que naturalmente fosse empolgante pra caramba quando eu visse um jogo que a história acabou saindo de sua mente, e claro, tive que ir correndo testar Wayward Manor para ver qual foi o resultado.

A história apresenta uma casa mal assombrada, onde você é um espírito que ali vive sozinho, ao menos até chegar uma família. A partir daí você começa a aprender sobre cada um deles enquanto os observa, mas principalmente, deve alimentar seus medos, e aos poucos fazê-los temer o desconhecido, fazendo assim com que você se torne cada vez mais poderoso.

Acredito que a primeira coisa realmente notável no jogo, é o visual, que tem um toque semelhante a animações do Tim Burton, como por exemplo o Estranho mundo de Jack, os personagens tem aquela silhueta meio macabra e o cenário em geral contém um toque sombrio. Apesar de tudo as coisas são muito fofas, não é um macabro que vai para o nível bizarro da coisa, mas sim aquele toque bonitinho do mal.

A jogabilidade apresenta elementos híbridos, sendo o gênero mais forte o de um puzzle comum, onde você deve fazer as coisas de um jeito certo para poder concluir o nível, no caso são colocados os personagens em um dos cômodos da casa e você pode interagir com objetos, tendo que assustá-los com algumas combinações. Por exemplo se você abre uma janela repentinamente, o personagem irá até lá ver o que aconteceu, e exatamente no momento em que ele passar em baixo de um lugar onde há uma garrafa, você pode empurrá-la fazendo com que ele grite de susto. Existe um certo nível de terror que você deve fazer com que o personagem atinja e então você terá poder o suficiente para tomar controle total sobre os objetos da sala. O segundo elemento é o de aventura point and click, pois apesar de tudo, o jogo tem uma história, e você deve interagir de formas variadas em cada cenário para assustar os personagens e aos poucos ver a trama sendo revelada.

O jogo acabou me lembrando um pouco o estilo de Neighbours from hell, porém o jogo peca exatamente na falta da possibilidade de se controlar diretamente o personagem, já que aqui você apenas aponta e clica. Ele tem umas variações interessantes, como por mais de um personagem na tela e ter que fazer com que um interaja com algo e assim crie um barulho, que acaba assustando o outro personagem que está em outro ambiente. Mesmo assim acaba parecendo um pouco superficial a interação, mesmo não sendo algo linear. Então acredito que poderia ter sido uma experiência mais divertida se você visse o personagem e pudesse fazê-lo se esconder, mesmo assim o jogo ainda consegue algum crédito a nível de jogo casual.

Agora a trilha sonora realmente ficou maravilhosa, com um toque bastante especial que também lembra as animações de Tim Burton, aquelas musiquinhas animadas onde vários personagens cantam juntos algo com um tom que ao mesmo tempo parece épico e macabro, ficou ótimo e é um verdadeiro prazer ouvir toda vez que alguma música toca.

Enfim, esse é um jogo que tenho que assumir que eu esperava um pouco mais exatamente por ter o Neil Gaiman no meio, no entanto ele também pode ser bastante divertido se for para se jogado apenas para se entreter. Quem se interessar pode dar uma conferida no site oficial do jogo.

Dá uma ajuda compartilhando? =)

Um monte de jogos gratuitos, corre meu povo! =D

Mais uma vez vou reciclar essa postagem aqui para falar sobre mais um jogo grátis, afinal essa bagaça não ia servir pra nada mesmo já que as promoções anteriores acabaram né? Ò_Ò! Então mais uma vez ela está de volta, ignorem os comentários antigos que já tem nela hehehe.

Dessa vez são vários jogos grátis, e pra começar tem The Sims 2 Coleção Definitiva no Origin! Esse quem me indicou foi o leitor Alex Barreto, você precisa fazer uma conta no origin, baixar o programa, instalar, fazer login, abrir o programa, clicar lá em cima em "Origin", clicar em "Código de resgate de produto..." e escrever I-LOVE-THE-SIMS e pronto, vai ser adicionado a sua conta! Por isso comesse criando uma conta se ainda não tiver.

Depois GTR Evolution na steam, para pegar basta entrar nesse site aqui, por o seu twitter, por o seu e-mail, apertar em get your steam key, autorizar o aplicativo deles a terem acesso ao seu twiiter, e compartilhar a mensagem no facebook, daí vai aparecer a key.

Depois tem o jogo é Woodle Tree Adventures. Você vai precisar de um cadastro no indie gala, pra pegar basta entrar nesse link aqui, colocar o seu e-mail, por o código no captcha, e apertar o botão submit e em até duas horas te mandarão a key da steam. Ò_Ò

Depois tem um jogo híbrido chamado Chess the Gathering(CTG), mas esse é apenas um nome temporário do jogo, que ainda está sendo feito, mas já gera key para o steam mesmo, ele é como se fosse um jogo de xadrez usando regras semelhantes às de Magic The Gathering, ou seja tem cartas e peças, além de tabuleiros bem surreais. Para conseguir primeiro você tem que ir ao site do jogo e colocar seu e-mail, depois ir ao seu e-mail e confirmar clicando no link, então você receberá um segundo e-mail, nele terá um novo link, que você clica e aí vai para uma página onde no topo vai estar sua key para steam, então vamos lá, comece clicando aqui. (Como o jogo ta em testes ainda, vale a pena ver o vídeo tutorial se você for jogar logo, pois ainda não tem tutorial dentro do jogo).

Depois tem o Peggle, que é no estilo puzzle, mas é muito divertido e viciante, um dos primeiros jogos que joguei na steam (Mas essa é a versão origin) e pra pegá-lo basta entrar no site de venda, fazer login e clicar em "Pegue agora" e pronto, já vai estar na sua conta pra sempre! Clique aqui para pegar.

Depois tem o Project Cyber na steam, você tem que entrar nesse site aqui, por seu e-mail e perfil da steam, apertar o botão para enviar, e então esperar um e-mail, clicar no link que te mandarem, e então esperar, que eles vão avaliar e te enviar a key. (Pode demorar uns dias, porque pelo jeito não é automático, os caras analisam um a um dos e-mails).

Depois tem outro jogo da Steam, o Enclave, basta entrar nesse site aqui, se cadastrar e receber por e-mail uma key da steam! =D

Depois tem o Dino D-Day no steam, basta entrar nesse site aqui, colocar o seu e-mail, clicar em "Get your steam key", compartilhar no facebook e quando a telinha de compartilhar sumir, você vai ver a key da steam, que tava escondida atrás dela.

Depois tem o Spacechem no Steam, basta entrar nesse site aqui, por o seu e-mail lá em baixo, compartilhar, e pronto, terá uma key lá pra você ativar no steam! *-*

Dá uma ajuda compartilhando? =)

The Lottery - Imagine um mundo onde não há crianças...

Quando fui começar a assistir essa série, tenho que assumir que fiquei meio preocupado, pois apesar da premissa intrigante, me pareceu uma trama que acabava limitando um pouco as coisas, colocando um universo onde a história geral é interessante, mas os personagens pudessem acabar sendo resumidos demais a coisas do cotidiano. Felizmente não é bem assim e The Lottery aborda temas muito interessantes, colocando personagens que se envolvem em algo muito maior.

A história tem uma introdução em 2016, quando a taxa de natalidade mundial cai drasticamente, e em 2019 chega a níveis extremos, nascendo as últimas crianças, sendo apenas seis nos Estados Unidos. Depois disso não há mais nascimentos e o mundo inteiro tenta descobrir o que aconteceu, porém após anos de pesquisa, e falhas no mundo inteiro, um laboratório americano finalmente consegue fertilizar embriões, porém apenas 100. O governo discute sobre o que farão com a informação, pretendendo inicialmente esconder, mas depois, devido a motivos políticos, decidem que o melhor é fazer todas as mulheres e casais do país sentirem que tem uma chance de ter um filho, e para isso declaram uma loteria onde 100 mulheres serão sorteadas para que os embriões sejam usados.

Como disse, eu pensei que a série iria se resumir a choradeira, no caso draminhas de mulheres com sonhos de ter filhos. Mas são colocados personagens bem interessantes, como por exemplo um dos pais com uma das últimas crianças que nasceram e que se preocupar constantemente em manter a guarda, a cientista que lidera a pesquisa para a fertilização dos embriões e acaba sendo descartada assim que termina a pesquisa, e uma conspiração envolvendo membros do governo.

Eu adorei como é apresentado o mundo após o ocorrido, as pessoas agem diferente, mulheres estão desesperada para engravidar e crianças são verdadeiras preciosidades, o governo leva realmente a sério aquelas que ainda existem e por isso qualquer erro pode ser o fim para a guarda dos pais, as pessoas temem a extinção da raça humana, assim como a loteria causa um enorme falatório, isso sem contar com outros detalhes, como pessoas vendendo pílulas de fertilidade falsa, e isso se tornando um crime extremamente grave.

Essa é também aquele tipo de série que acaba te fazendo sonhar, afinal de contas como seria viver em um mundo assim, imagine a quantidade populacional diminuindo absurdamente, pessoas morrem o tempo todo, mas anos sem ninguém nascer faz com que a quantidade de pessoas no mundo desabe. Será que as pessoas passariam a se valorizar mais umas as outras? Afinal de contas quando alguém morre, é apenas mais um passo para a extinção, e a pobreza como ficaria? Com menos gente no mundo, há menor concorrência para tudo. Por outro lado há outras coisas como o medo, as pessoas estão envelhecendo o tempo todo, é inevitável começar a pensar em coisas como "No fim só haverão pessoas velhas?", isso sem contar com as últimas crianças, há uma cena em que o garoto reclama com o pai, que todas as pessoas são mais altas que ele. E também há empregos que acabam não tendo mais motivo para existir, especialmente os profissionais especializados em crianças, ou os professores, que veem a cada ano os seus últimos alunos um passo a mais de se formarem. Realmente a trama provoca bastante.

Enfim, tá aí uma boa série com tema adulto, e que certamente para aqueles que procuram algo mais sério, irão acabar gostando bastante. Portanto fica aí a dica. =)

Dá uma ajuda compartilhando? =)

The Counting Kingdom - Aqui a magia vem da matemática

Esse é um daqueles jogos com um visual muito fofo que atrai logo de primeira, e uma jogabilidade super divertida, tornando uma daquelas obras que é muito agradável para se passar o tempo. Mas The Counting Kingdom vai além disso e adiciona uma jogabilidade diferente da maioria dos jogos, sendo no final das contas um jogo educativo e que apesar de ser atraente para todos os públicos, especialmente para crianças pode ser realmente algo não só viciante, mas muito educativo, capaz de torná-la muito boa em matemática.

A história é bem simples, se passando em um reino de fantasia medieval onde você assume o papel de um aprendiz de feiticeiro, esse acaba sendo surpreendido quando o reino onde vive começa a ser atacado por uma legião de criaturas, e assim tem que usar o que aprendeu para tentar deter as hordas, porém ele ainda não usa magia de forma perfeita e tem que calcular corretamente a maneira de aplicar cada um desses feitiços.

Como podem ver, a história adapta muito bem à própria jogabilidade do jogo, que como falei, tem tudo a ver com matemática. Aqui você é colocado em um cenário dividido em quadrados que os monstros vão andando aos poucos. Você fica do lado esquerdo junto com o seu livro de feitiços e poções, enquanto os monstros começam a surgir do lado direito e a cada turno vão se aproximando mais. Seu objetivo é destruir cada um deles, no entanto aqui você não pode simplesmente apontar para o monstro e atacar, mas sim tem que calcular.

O combate acontece da seguinte forma, cada monstro tem um número aleatório, você pode selecioná-lo para ataque, mas se tiver outros encostando nele, você pode selecioná-los também, porém se fizer isso, o número das outras criaturas vai ser somado. Os feitiços também tem um número, e você tem que calcular aquele número exato para poder dar um ataque, ou seja se você somar três criaturas 5+2+4, terá que usar um feitiço 11 para conseguir destruí-las. E logo começam a aparecer os novos elementos em jogo e você poderá usar poções que podem adicionar e subtrair pontos de um monstro para permitir um ataque exato, ou mesmo somar feitiços para aumentar o número e atingir um certo número.

O gráfico do jogo é muito bonitinho, ele é 2D com uma visão aérea e é aquele tipo de jogo que se você postar uma imagem em uma rede social, rapidamente vão aparecer pessoas perguntando que jogo é aquele. Os traços são semelhantes aos usados em desenhos animados.

Enfim, The Counting Kingdom é um jogo casual divertido, que pode entreter desde crianças até adultos, no entanto acho que especialmente para aqueles que tem irmãozinhos caçulas, priminhos, etc e queiram introduzi-los no mundo dos jogos, essa é uma ótima opção, e que certamente os pais vão aprovar muito. Para quem se interessar pode dar uma conferida no site oficial do jogo.

Dá uma ajuda compartilhando? =)

Quando a busca pelo tesouro dá muito errada...



Dá uma ajuda compartilhando? =)

terça-feira, 22 de julho de 2014

Pivvot - Um jogo que irá desafiar seus reflexos!

Esse é daqueles jogos que te faz sentir como se fosse o Neo, isso porque no começo você percebe que é tudo muito difícil e complicado de chegar até o fim, no entanto após muito perder e se esforçar, você se sente realmente dominando a técnica e com aquele pensamento de "É só eu me concentrar e conseguirei ir até o fim", passando assim aquela gostosa sensação de que praticamente as coisas estão acontecendo sozinhas. Mas claro, isso varia de pessoa pra pessoa, e os mais desesperados certamente vão começar o desespero logo no começo da partida.

O jogo não tem história, e se encaixa no gênero casual, porém voltado para o público hardcore, isso porque trata-se de um jogo relativamente simples, com apenas dois botões de controle e que facilmente funcionaria em um celular, por outro lado a sua simplicidade não significa que seja fácil, fazendo assim com que o público que goste de jogos fáceis acabe se assustando graças a dificuldade colocada no jogo.

Basicamente é apresentado uma linha com um caminho, esse caminho faz várias curvas e vai em direções bem variadas, por ele desliza uma "agulha", sendo que uma ponta da agulha fica tocando a linha o tempo todo, como se tivesse um trilho lá que a arrastasse, e a outra ponta fica exposta e pode ser movimentada para qualquer lado. No entanto há certos obstáculos que aparecem e a ponta exposta não pode bater neles, e assim você tem que usar os botões para girar para a direita e esquerda, fazendo-o desviar.

Inicialmente o desafio aparece apenas com obstáculos que estão de um lado da linha e basta girar para o outro lado e se consegue desviar, apesar disso você já nota no começo a dificuldade, pois não está acostumado ainda com os controles, mas em poucos momentos percebe que esse é apenas o estilo mais fácil, pois depois começam a aparecer coisas como obstáculos em ambos os lados de uma só vez, o que te faz ter que girar a agulha e a manter no meio, não bastando isso, a linha começa a se entortar e se você apenas deixar a agulha reta, na primeira curta, a agulha vai se virar e tocar um obstáculo, ou seja, você precisa continuar apertando os controles para manter a agulha em um ângulo perfeito que não toque nenhum dos lados.

O jogo ainda contém modo cooperativo para até quatro jogadores, permitindo usar controles instalados no PC, o teclado, e o mouse. Como existem apenas dois botões, é bem fácil por duas ou três pessoas para jogarem no mesmo teclado. E se alguém acabar morrendo, os outros continuam, podendo ainda achar bônus que ressuscitam o amigo, e só quando todos perderem é que a partida acaba. Obviamente esse é o tipo de coisa que gera belas gargalhadas entre amigos e muita gritaria.

Enfim, Pivvot é um jogo minimalista que pode ser um incrível exercício para reflexos rápidos, se você estiver procurando algo que te ajude a aperfeiçoar suas reações, tá aí uma ótima escolha de jogo e que ainda roda facilmente em qualquer computador. Para quem se interessar pode dar uma conferida no site oficial do jogo.

Dá uma ajuda compartilhando? =)

5 dicas para evitar pragas virtuais em seu computador

Diariamente eu costumo manter contato com muitas pessoas, seja jogando, seja apenas conversando. Graças a isso uma coisa comum que vejo, são pessoas reclamando da lentidão de seu computador. Eu fico impressionado em como tem pessoas com peças muito melhores que as do meu computador, e que rodam jogos de forma extremamente lenta. E a explicação mais comum quanto a isso são as pragas virtuais. As pessoas conseguem cometer vacilos de coisas muito simples, e quando o computador é compartilhado, a coisa fica pior. Quem nunca viu alguém que não pode instalar nada no computador porque os pais viram isso como única forma de evitar vírus no PC? Porém infelizmente não basta ficar sem instalar coisas para se pegar alguma praga virtual, então vou deixar aqui 5 dicas para ficar mais tempo sem formatar o PC:

1 - Sei que essa dica parece básica demais, porém ainda tem muita gente que teima em não fazer, mas não vacile, instale um antivírus já para começar, essa é a primeira coisa que você deve instalar em seu computador. Existem muitas pessoas que falam "Mas eu não pego vírus" e pensam que basta não entrar nos sites suspeitos e acabou, infelizmente a variação de formas que eles são transmitidos é imensa, sendo assim basta a amiga da sua mãe chegar e dizer "Posso copiar umas músicas aqui para o meu pendrive?", se esse pendrive estiver infectado e ela colocar ele no seu PC, já é o suficiente. Então mesmo que a pessoa seja muito cuidadosa, é bom sempre ter uma segurança a mais, pode ser um alívio aparecer uma mensagem na tela dizendo que há vírus naquele dispositivo. Então não perca tempo e instale imediatamente um antivírus, que para quem não sabe, existem muitos gratuitos por aí, um bom exemplo é a versão gratuita do antivirus da Bitdefender.

2 - Cuidado com links de redes sociais e e-mail, uma das coisas que mais faz o PC ficar lento, é a quantidade de links que as pessoas clicam, já instalam algo no computador sem nem ao menos perceber. Existem alguns links que você pode clicar com segurança, como os do youtube por exemplo, isso porque empresas grandes jamais colocarão vírus ou algo do tipo em seus sites, mas não saia clicando em qualquer link que seu amigo te enviar ou por na linha do tempo, isso porque as vezes a pessoa já está infectada e quem colocou o link não foi ele, mas sim uma postagem automática, ou seja, quem clicar vai começar a mandar o mesmo link. Caso te pareça suspeito, não custa nada perguntar pra pessoa se é seguro.

3 - Cuidado com "vídeos" que você vê em site, muitas vezes as pessoas colocam vídeos com o botão de PLAY, mas na verdade é apenas uma imagem, e quando a pessoa for clicar em cima, vai direto pra um link. Sendo assim, antes de clicar no PLAY, coloque o mouse em cima do "vídeo", se aparecer um link na parte de baixo do navegador, significa que é apenas uma imagem. Você pode também tentar clicar com o botão direito em cima do "vídeo", se aparecer a opção de salvar imagem no computador, já dá pra saber que clicando ali não irá fazer um vídeo ser rodado.

4 - Ao instalar programas, veja bem as opções marcadas, antigamente os programas apenas colocavam marcado a opção "Aceitar termos de uso", porém atualmente é muito comum ter uma opção "Instalar também barra no navegador", algumas dessas barras ou outros programas coletam dados do usuário enquanto ele digita no navegador, o que pode incluir coisas importantes, como senhas de banco.

5 - Veja onde está digitando seu login e senha, existem muitas formas que hackers inventam para que o usuário digite sua senha e nome de usuário em uma página falsa. Ou seja, a pessoa faz uma página idêntica à página inicial de alguma rede social famosa pedindo login e senha, daí envia um link para a pessoa falando "Olha que foto legal", a pessoa clica e vai para essa página falsa, e o que a pessoa pensa é "O facebook caiu" e digita novamente sua senha e login, que ao invés de ir pro banco de dados do facebook, vai direto para o e-mail do hacker.

Então ficam aí umas dicas pessoal, e vocês, o que costumam fazer para evitar pragas virtuais? Cada sugestão a mais é bem vinda. E compartilhem a postagem com seus amigos, vamos evitar a disseminação dessas pragas pela internet. =)

Dá uma ajuda compartilhando? =)