Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Holidays - Boas Festas... Se você sobreviver!

Em meio à multidão de filmes de terror, as vezes é complicado achar um que agrade e o jeito é atirar no escuro. Quem nunca começou a assistir um filme e vinte minutos depois tava rezando pra terminar logo porque é chato demais? E assim certos subgêneros acabam sendo muito bem vindos quando bate uma indecisão, como por exemplo o de filmes compostos por curtas como VHS ou Southbound. E hoje vou falar sobre um desses filmes.

Holidays é algo que achei por acaso vagando pela netflix e vi que a nota era só a bagaceira,tipo 1 estrela. Mesmo assim a ideia de curtas parecia interessante, se fosse tão ruim ao menos uma história acabaria logo e a próxima tomaria o lugar, então por que não dar uma chance? Filmes "ruins" as vezes surpreendem.

A ideia dele é semelhante à apresentada no filme A Noite de Todos os Medos, em que as várias histórias mostrada eram temáticas, todas se passando no dia das bruxas. No entanto o diferencial é que aqui o foco são diversos feriados. Cada história tem um tema voltado para coisas como páscoa, natal, ano novo e outros.

Cada um dos curtas foi escrito e dirigido por alguém diferente, sendo assim não dá para esperar um padrão no que é mostrado. Ao ver isso logo fiquei pensativo, pois tinha imaginado que era só um diretor e ele era péssimo, fazendo diversos curtas horríveis por isso as pessoas deviam ter ficado nervosas e dado notas baixas.

Mas é um filme com altos e baixos, tem alguns momentos que são mais do que trash, há algumas histórias que são puramente macabras e, aparentemente, não tem explicação e a coisa é bem sem noção mesmo. Então tem obras que mexem com as pessoas de formas diferentes, podendo fazer alguns acharem genial e outros acharem uma bela de uma tranqueira.

Por exemplo, eu adorei a história da páscoa em que é mostrado um diálogo que achei fantástico onde uma menininha está indo dormir, mas está com medo do homem que foi crucificado e retornou dos mortos, além de começar a fazer perguntas sobre quem é o coelho. Mas entendo que muita gente pode achar ofensivo.

Há curtas que são bem psicológicos e te deixam intrigados e há outros que não economizam no gore. Em alguns pontos me lembrou filmes dos anos 80, como a história de natal, que mostra um óculos exageradamente futurístico no tempo moderno. Outros são perturbadores até um ponto e de repente vira uma tranqueira louca, como o da mulher que vai dar luz a uma cobra.

Enfim, não é algo que eu diga que é marcante, mas sem dúvidas é um passa tempo muito legal para um fim de noite ou para assistir com os amigos quando estiver naquela reuniãozinha. Então achei meio exagerado as notas tão ruins, creio que pode deixar bastante satisfeitas as pessoas que quiserem algo sem muito compromisso.


Pacote de jogos muito barato

Hora de falar sobre mais um pacote de jogos! O Spectre Bundle, que conta com 10 jogos por um preço minúsculo, ficando com 96% de desconto, confiram:

Reign of Bullets - Um jogo do gênero shoot 'em up, te colocando no controle de uma nave que pode ser personalizada com uma quantidade enorme de acessórios, dando uma variedade na jogabilidade.

Dandy: Or a Brief Glimpse - Outro jogo do gênero Shoot 'em up, mas esse se destaca pelo seu visual, você controla um garotinho em um (tapete voador? Skate voador?) e passa por locais com visuais exóticos, o jogo ainda conta com modo cooperativo para até três amigos.

The Sandbox - Esse vocês já conhecem, fiz uma análise aqui no blog. Você controla um deus e pode criar coisas e colocá-las para interagir entre si, gerando os mais variados tipos de reações.

Disposable Heroes - Um jogo com visual muito fofinho e suporte a modo cooperativo local onde você deve atravessar desafios de tipos variados e chefes através de salas extremamente difíceis, lembra jogos de SNES.

Press X to not die! - Outro que já fiz análise aqui no blog, é aquele jogo que é um filme interativo e te coloca nas situações mais bizarras em meio a um tipo de apocalipse zumbi.

PixelJunk Nom Nom Galaxy - Esse é um daqueles jogos de sobrevivência onde você deve construir uma base e explorar o lugar em busca de ingredientes, tudo em um visual 2D muito fofinho.

RymdResa - Esse é um daqueles jogos psicodélicos, se passando no espaço e você controla uma nave que deve vagar em busca de um novo lar. É um jogo abstrato com elementos de RPG, exploração e sobrevivência.

Blacksea Odyssey - Nesse aqui a coisa também se passa vagando pelo universo, no entanto com um toque de pirataria, você enfrenta inimigos espaciais bizarros em um cenário que lembra o fundo do mar e música eletrônica bem agitada.

Plantera - Pra quem gosta de jogos fofinhos, vai amar esse, aqui você tem um simulador de jardin, tendo que aperfeiçoar cada vez mais o seu e com todo um toquezinho simpático, cheio de bichinhos passando pela tela.

Asdivine Hearts - E para os fãs de JRPG, esse utiliza o estilo clássico, com aquele traço de anime que muitos tanto amam e belos efeitos nas animações de personagens.

Uma outra coisa boa é que são jogos que rodam em qualquer PC baratinho, mas parte ruim é que é compra internacional, mas você pode usar uma daquelas quatro maneiras de comprar coisas internacionais, e pra garantir o seu é só dar uma olhadinha na bundle stars.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Serenata Natalina completamente cantada por Murlocs

Os Murlocs são uma das raças que habitam no mundo de Warcraft e são criaturinhas bastante esquisitas, de certa forma semelhantes a sapos, porém com certos toques ameaçadores como imensas barbatanas e dentes afiados. Ainda assim não são assustadores, ao invés disso parecem meio bobos, algo que ganha ênfase com suas vozes debochadas. Essas criaturinhas aparecem não apenas em World of Warcraft, mas também em spin-offs como Hearthstone.

A Blizzard é uma das empresas que sempre pegou pesado na hora de homenagear o natal, um dos exemplos são os 12 dias de natal, que foi lançado para Starcraft em pleno 1998, uma época em que a maioria das pessoas não tinha internet, então imagina assistir vídeos? Era algo nada comum, mas a empresa tava lá fazendo sua publicidade  de forma engraçada.

Em 2016 naturalmente ela não podia fazer menos bonito, e assim decidiu lançar nada menos do que uma serenata inteira cantada por Murlocs! Ou seja, os caras não colocaram apenas uma música pra tocar, mas sim diversas, uma atrás da outra. São músicas clássicas, sendo assim você acaba compreendendo.

Uma coisa bacana é que naturalmente esse é o tipo de coisa que pode virar uma verdadeira mania por muitos natais, afinal não é meramente um comercial, mas um álbum inteiro, e em festas natalinas de nerds podem enfeitar com todas aquelas coisinhas de natal e ainda colocar para tocar (baixinho) no fundo os Murlocs cantando hehehe, agora cantem junto:



Imagina a paciência da pessoa que foi designada para compor essa maravilha de 53 minutos? Fico pensando você convida amigos pra uma festinha nerd de natal, estão lá todo mundo conversando e comendo, até que alguém pergunta "Meu, que diabo de música é essa ao fundo? Eu não to entendendo nada, mas que negócio é esse? Um Murloc cantando? Hahaha." e você responde "Bom... sim... '-' ".

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Consiga o Windows 10 original por R$ 20 ou até GRÁTIS!

Uma das coisas que o Windows sempre se destacou foi em seu preço cabulosamente absurdo e naturalmente no Brasil a coisa sempre foi bem fora da realidade da maioria, quero dizer, as pessoas não tinham vontade de pagar aquela fortuna em uma versão PRO da vida enquanto podiam apelar pra pirataria. Mas já pensou em ter uma versão original por menos de 20 reais?

Bom, eu tinha escrito aqui uma matéria sobre Minha Jornada como PC Gamer, e nela explico o motivo de ter acabado indo para o Windows 10. Porém é um sistema operacional que sempre tive preconceito, pra falar a verdade eu nunca me atrai por versões novas de Windows, sempre pensei em como ainda era muito incompatível com certas coisas e deixava o tempo passar, só mudando quando não tinha jeito.

Com o Windows 10 foi pior, pois não era apenas questão da falta de compatibilidade, mas sim de empresas de jogos descendo o cacete e dizendo que esse sistema operacional estava criando amarras na indústria gamer. Fiquei com um pé super atrás, mas no fim acabei decidindo experimentar e tenho que assumir que a experiência foi uma surpresa.

Inicialmente eu pedi para a loja, onde comprei o meu PC, colocar a versão de testes de 30 dias pra eu ver se o negócio era bom mesmo. Se não fosse um inferno com questão de compatibilidade e limitações eu trocaria. E realmente a coisa foi uma surpresa, pra falar a verdade muito melhor do que eu imaginava. Como a Microsoft tinha anunciado que seria o último Windows, pensei "Por que não comprar logo? Vão ter várias atualizações, vou poder usufruir do Directx 12 e tirar o máximo da minha placa".

Daí beleza né, fui determinado a achar um lugar barato, mas me surpreendi com uma coisa em minhas buscas... Achei ele por preços absurdos, de 30 reais pra baixo. É claro que imaginei logo que se tratava de uma versão pirata do sistema operacional, mas ao pesquisar, descobri que não era isso e inclusive sites grandes como o Tecmundo recomendando. E por isso que a key se conectava ao servidor da microsoft, era autentificada numa boa e validava seu windows.

O negócio é que antes do lançamento do sistema operacional, a Microsoft fez diversas campanhas apelativas que incluíam keys gratuitas ou a preços extremamente baratos. Era uma coisa bem agressiva para atrair o máximo possível de pessoas. E assim teve muita gente que adquiriu uma imensa quantidade exatamente para revender. Fiquei surpreso ao ver que todo mundo que perguntei se usava o Windows 10, tinha uma cópia original, sempre por promoções que pegaram de formas variadas como atualizar o 8 pro 10 ou uma parceria da faculdade.

Beleza, decidi comprar uma key, me senti meio nervoso é claro... No Mercado livre vi que tinha por 20 reais, mas eu decidi ir ao Ebay, achei inicialmente um por uns 10 dólares de um vendedor com notas altíssimas e milhares de vendas, porém eu quis arriscar e mandei organizar do mais barato pro mais caro, achei umas de 2 dólares porém de vendedores com pouquíssimas vendas, aí era demais pra mim... Fui então em um cara que tinha poucas vendas mas um status positivo e vendia por 6 euros, peguei esse.

A entrega não foi imediata, o que me deixou preocupado e já tava me sentindo a Mulher que foi "Ludibriada" pela Microsoft, kkkkk. Mas em uns três dias o cara me mandou a key, nem dei positivo pro infeliz por demorar tanto, mas autentifiquei e foi normal! Desde então foi só alegria, uma das melhores partes é que se você usa sistemas como o WHAFF, pode pegar de graça sem tirar um centavo do bolso (Por que acham que escolhi o ebay? Uahahaha). Enfim, fica a dica. =)

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Diferenças entre a HQ e a série The Walking Dead 7x06

Esse é um especial onde faço uma comparação entre as diferenças entre os episódios da série The Walking Dead e as edições da revista em quadrinhos The Walking Dead. No caso essa é a postagem base da sétima temporada e vou colocar aqui os links para os outros episódios, caso você queira ver a comparação entre as outras temporadas, pode conferir aqui:


Se o que você está procurando é onde conseguir ler The Walking Dead, saiba que a revista em quadrinhos foi lançada no Brasil e pode ser encontrada por preços bem bacanas com vários outros conteúdos da franquia. Quando foi lançada por aqui a franquia não era conhecida, então o nome ficou como "Os Mortos Vivos". Se você ainda não assistiu, saiba que obviamente eu vou comentar sobre quem morreu. Mas chega de papo e agora vamos para a comparação!

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Goosebumps: Como matar um monstro

E chegou o momento de falar sobre o terceiro livro de Goosebumps, dessa vez a obra é "Como Matar um Monstro", um livro que segue mais para o lado de filmes trash dos anos 80, ou seja é aquele tipo de livro de terror que tem momentos bem bizarros mesmo e que pode agradar um público específico, mas não digo que seja uma história para todos os gostos.

Aqui é apresentado um casal de irmãos de 12 anos (Gretchen e Clark). Os dois tem uma desagradável notícia, quando seus pais avisam que vão ter que fazer uma viagem de negócios e não vão levá-los, ao invés disso vão deixá-los com os avós. O maior problema é que o casal de velhinhos mora no meio de um pântano, sem telefone, televisão e nem nada pra fazer. Não demora muito para as crianças notarem que também há algo de estranho no lugar, gritos durante a noite e um quarto trancado que guarda um segredo.

Assim como em Acampamento Fantasma, esse livro também dá um belo salto cronológico na versão brasileira. Isso porque originalmente How to Kill a Monster (título em inglês) foi lançado como o 46º livro de Goosebumps, já na cronologia brasileira é o terceiro. Por outro lado, se comparado com a cronologia americana, ele vem logo depois de Acampamento Fantasma.

Tenho que assumir que dos três que li, esse foi o que menos gostei. Porém o grande motivo é que eu não estava preparado para ler uma obra trash. Pra falar a verdade fiquei tão concentrado nos dois primeiros que esqueci que a série de Goosebumps tinha muitos episódios que era uma tosqueira louca. E nesse aqui a coisa é digna de filmes dos anos 80.

Acho que se eu fosse ler já preparado pra uma situação completamente sem noção, iria me sentir mais a vontade. No entanto o livro começa de uma maneira muito atmosférica, em diversos pontos ele me lembrou o filme A Visita, até mesmo aspectos estéticos, como o casal de irmãos, um bem bichinho, uma garota mais alta. Essa coisa de avós estranhos, coisas esquisitas acontecendo e tal... Não me surpreenderia se o Shyamalan revelasse que deu uma lida, e em uma pesquisinha aqui vi que muita gente sentiu o mesmo quando viu o trailer de A Visita.

Apesar de tudo, depois de toda a atmosfera, chega a um ponto que a história vai para um rumo completamente sem noção. Sabem aquelas explicações absurdas de episódios de desenhos animados? Pois é... Aqui a coisa é bem no estilo, eu cheguei até a cogitar que iria ter uma reviravolta grandiosa e que os personagens eram insanos para agir tão naturalmente com certas situações, mas não... Era aquilo mesmo.

Então acho que esse é um livro a um passo de ser encaixado como história para criança pequena mesmo. Notei que tanto ele quanto Sorria e Morra tem o selo "+9" no código de barras atrás, porém o Acampamento Fantasma, que tem um final meio perturbador não tem. Então talvez alguns livros de goosebumps sejam direcionados especialmente para crianças pequenas (ou pode ser uma mera variação de design).

Enfim, isso é o que eu chamaria de um livro de terror estranho até para Goosebumps, pois a variação de narrativa é esquisita, primeiro começa com um clima bem pesado com a história dos avós no pântano, e de repente a coisa toma um rumo absurdo. Mas, se você tiver um irmão bem novinho, pode ser uma experiência fantástica ler para ele. O livro está disponível nas seguintes lojas:


domingo, 27 de novembro de 2016

A morte do PC como conhecemos

Tem alguns tipos de acontecimentos que me fazem notar o quão delicado o ego do público de PC Gamer é. Simplesmente é muito fácil abalar jogadores de PC com coisa boba e uma delas que já citei diversas vezes aqui foi o mercado diminuindo graças à evolução. Um bom exemplo é quando saiu uma pesquisa dizendo que 2016 foi o primeiro ano em que o número de computadores em cada lar diminuiu no Brasil, isso deixou um povo em fúria.

Eu publiquei aqui no blog a minha jornada para ter um PC Gamer, e realmente foi maravilhoso demais, porém meu penúltimo PC sobreviveu por uma quantidade recorde de anos, mesmo não sendo algo que planejei e escolhi peças com carinho. Mas joguei até o fim com ele, me abrindo os olhos sobre a potência real de um computador e como ele pode durar se você não for alguém que liga pra gráficos sempre no máximo.

Então dias depois que comprei, fui conversar com um amigo meu e falei sobre a série 1100 da Nvidia já ter sido anunciada, ou seja não dá pra você ficar com um PC tendo as últimas peças lançadas por muito tempo, pois é uma geração atrás da outra. Ele brincou "Pois é, não dá pra ser feliz se você não for rico!". E nessa conversa acabei falando que era meio chato sim ver suas não serem mais as últimas lançadas em um piscar de olhos, porém não importava tanto já que eu tinha a impressão de que aquele seria meu último PC.

O negócio é, se o penúltimo demorou tanto pra morrer mesmo com eu preso a 4gb DDR2 e em poder atualizar, imagina um com liberdade imensa de atualização? O PC começa a pesar, é só dar um upgrade e pronto. Agora some isso ao fato de que a evolução está absurda em outros aparelhos, fica difícil imaginar um computador tradicional durar muito mais.

Se você tiver um PC e um Smartphone, coloca um do lado do outro e me diz, essas coisas parecem ser do mesmo universo? O PC é um verdadeiro trabuco, um negócio desse tamanho parece ter paralisado no tempo.

Por mais que eu ache meu gabinete gamer bonito com todas essas frescuras brilhantes, no fim das contas parece uma coisa bonita-retro, daquelas que jovens no futuro vão olhar, notar que o design é legal, mas pensar "Olha o tamanho do bagulho que ficava na estante do povo!". Não é algo que tenha os traços delicados de outras coisas como um monitor de LCD por exemplo, toda essa finura que a evolução adotou.

E por isso comprei já pensando sobre como era improvável que quando eu finalmente trocasse esse PC a evolução não tivesse seguido outro rumo. Olha a potência absurda que os smartphones estão, olha aquele PC Gamer de 1998 e como as coisas mudaram tão rapidamente. Sempre pense em como era a tecnologia dez anos antes e compare com o ano em que você estiver (as vezes é difícil visualizar, mas pense em uma tecnologia e faça uma busca rápida aí, qual era o melhor celular? O melhor PC?), some isso ao fato de que a antes a tecnologia evoluía lentamente e agora dá pulos cada vez mais largos. Então imagina como serão as coisas daqui dez anos?

Eu tinha comentado na matéria sobre a contribuição do Switch para os consoles, sobre como os consoles estavam morrendo graças à mudança na tecnologia, porém um trabuco feito o PC também é algo antigo demais e que me parece ter o mesmo destino que os consoles, com a vantagem apenas de conseguir respirar um pouco mais.

E é nesse ponto que PC Gamers surtam, pois acham que quando aparecem dados como "Smartphones estão vendendo mais que PC" ou "O PC vai acabar!", agem como se alguém fosse fazer eles pararem de jogar no PC. É normal ver em sites de jogos comentários como "Eu quero ver quem é que me obriga a parar de jogar no PC", sendo que nada tem a ver com isso... São apenas fatos e obviamente enquanto tiver público em algo, terá empresa investindo.

Ou seja, enquanto tiver gente que gosta de jogar com mouse, teclado ou controle, vão ter empresas lançando produtos para isso, seja em um PC e Console ou em um quadrado da grossura de uma folha de papel que pode ser conectado a um mouse, teclado e controle. Mas a mudança é inevitável, cada dia mais as pessoas querem menos tranqueira em casa, lembram dos CD's? Todo mundo queria ter centenas de capinhas em casa, hoje em dia o povo só quer ouvir música em um aparelhinho, e livros? Por que acham que Kindle vende tanto? Filmes então, é mais fácil achar alguém com uma coleção de DVD ou com Netflix?

E desde que os PC's começaram a se popularizar no Brasil nos anos 90, o número só crescia, cada vez era mais e mais. O ápice da coisa foi na segunda metade da década de 2000, quando explodiu a internet e todo mundo queria ter, e celulares cada vez mais começaram a ganhar também espaço, fazendo as pessoas comprarem pra valer.

Porém com a vinda dos smartphones, as compras de PC só foram caindo cada vez mais. A maioria das pessoas que tinha computador em casa era pra uso casual, ver fotos toscas na internet, conversar com os amigos, ouvir música, assistir vídeos e com um smartphone passaram a ter tudo isso de forma simples, sem precisar ligar o PC. Se tornou algo cômodo, mas ainda assim continuaram tendo computadores antigos, mesmo com as vendas diminuindo.

Só que em 2016 pela primeira vez o número de PC's diminuiu, os dados vieram da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) feitas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Pelo jeito as pessoas finalmente começaram a se desfazer da tranqueira. Provavelmente notaram que não ligavam há anos...

Mas isso não aconteceu no Brasil inteiro, três lugares não diminuíram o número de PC's, sendo eles Distrito Federal, Santa Catarina e Rio Grande do Norte. Meio bizarro né? Não existe um padrão, dois locais nos cantos do país e um no meio. Também é preciso levar em conta que isso é em relação ao público em geral, as vendas de PC Gamers foram para um rumo contrário, ficando mais fortes do que nunca estiveram, isso graças ao forte investimento de empresas no mercado e preços atraente fornecido por plataformas como a steam.


Obs: Ele disse que foi tirar foto com uma webcam e o PC pegou fogo? '-'

sábado, 26 de novembro de 2016

M.A.M.O.N. - Confira Trump matando uns Mexicanos

Uma das polêmicas mais faladas durante a eleição do Presidente Trump foi o fato dele dizer que iria construir um muro ente os Estados Unidos e México para evitar imigrantes ilegais, porém não pagaria a conta, ao invés disso faria os próprios mexicanos terem que pagar pelo muro. E obviamente foi o tipo de declaração que caiu na boca do povo e gerou vários memes.

A eleição de Trump em geral fez com que grupos variados de pessoas vissem a coisa de forma diferente, por exemplo a galera da teoria da conspiração não demorou nada para encontrar coisas "ocultas" relacionadas à coisa. Aquele episódio de Simpsons que previu a vitória foi uma delas, deixando muita gente encucada com a coisa, mas não tanto quanto a previsão das cartas Illuminati.

E na parte de humor é natural que rolasse uma bagaceira louca também, especialmente na internet onde as pessoas estão diariamente fazendo montagens e procurando novos temas para satirizar. É inevitável que temas grandes, e que atinjam o mundo todo, não se tornem os alvos mais comuns na hora de internauta resolverem tirar um sarro de algo.

Mas entre tanta tosqueira mal feita, uma conseguiu se destacar com força, o curta metragem "M.A.M.O.N. ", que tem uma qualidade surpreendente. Nele é apresentado Trump colocando os mexicanos pra fora dos Estados Unidos na marra, cobrando pelo muro e ainda matando alguns para finalizar com a bagaceira. Confiram:


Quem diria que no final das contas a Ave Maria realmente iria salvar eles ein? Uahahahaha, fiquei muito impressionado com a variação de atores. Normalmente esse tipo de coisa junta só um monte de adolescentes, mas aqui tem até senhoras e senhores, cenários como o do hospital. Isso deve ter custado uma facada! Mas acho que se tivessem colocado o Machete pra dar um jeito nas coisas, o Trumpão não ia tão longe. Ò_Ò!