Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

quinta-feira, 25 de maio de 2017

Twin Peaks | O retorno bizarro da série 25 anos depois

Eu já falei aqui no blog sobre a bizarra Twin Peaks, série extremamente influente na cultura pop, recebendo inúmeras referências em tudo quanto é obra. Apesar disso teve apenas duas temporadas e um filme em 1992, entrando em um hiato para a terceira temporada, que então retornou somente em 2017 com os mesmo atores.



Sabem, por um tempo foi tão difícil uma série retornar depois que acabava. Isso porque normalmente quando termina é porque foi cancelada ou a história acabou mesmo. Mas tem uma série de outros problemas, especialmente reunir o mesmo elenco, cada pessoa segue seu rumo, não fica ali disponível, elas tem seus próprios projetos. Mas de repente isso mudou.

Vimos renascimentos de séries que tinham desaparecido há séculos, Arquivo X, Prison Break, até a horrorosa Heroes. Mas sem sombra de dúvidas nenhuma dessas se compara ao retorno de Twin Peaks, não por ser melhor ou pior, mas pelo tempo que levou e como a coisa se encaixou bem na história.

Em Twin Peaks existe um ambiente extra dimensional chamado Black Lodge, ninguém sabe ao certo que diabos é esse lugar, apenas há teorias sobre. As coisas que acontecem lá dentro são loucuras totais, não há muita explicação, são coisas como um anão dançarino e pessoas que falam coisas que parecem sem sentido com um tipo de sotaque estranho.

Mas algo curioso sobre o Black Lodge, é que no último episódio, em 1991 há uma cena em que a personagem Laura Palmer aparece, se senta em um sofá e fala para o protagonista da série "Olá agente Cooper, eu verei você novamente em 25 anos, enquanto isso..." e faz um gesto estranho. Em 1992 tem o filme da série, é a última vez que se teve notícia até... 2017! 25 anos depois! Quando a série voltou!

Sério, imagina que coisa mais insana? A série realmente desapareceu do mapa, ela não foi dada como cancelada, apenas entrou em hiato. Daí de repente BUM, foi anunciada a nova temporada de Twin Peaks com 18 episódios, produzida em parceria pela Showtime e Netflix. A coisa foi completamente surreal. Caso queira ver, essa é a cena:


Pra quem não sabe, Twin Peaks foi uma obra extremamente influente e mesmo em sua época já atingiu a cultura pop, tendo referências em Eerie Ediana por exemplo. Mas com o passar dos anos passou a ter referências cada vez mais fortes como no jogo da Bruxa de Blair, ou coisas mais descaradas como o jogo Deadly Premonition, que é uma adaptação descarada da série com outro nome e algumas pequenas mudanças.

Também passaram a surgir inúmeras obras que se alto declararam "A nova Twin Peaks", como por exemplo Happy Town, ou mesmo obras que são consideradas "Com a atmosfera de Twin Peaks", como é o caso de Bright Falls, e várias outras obras que se passam em cidadezinhas com eventos estranhos acontecendo.

Me surpreendeu a Netflix lançar a série como "Primeira Temporada", isso porque não é um reboot ou remake, é a sequencia mesmo, a terceira temporada. Continuação direta da coisa, citando eventos que aconteceram anteriormente e inclusive mostrando cenas das temporadas anteriores. Talvez tenham feito isso pra atrair novos fãs, já que apesar de tudo também é possível acompanhar a partir dali.

Mas a estranheza está de volta em um nível tão bizarro tanto, aliás me surpreendeu como é usado TUDO exatamente igual a versão dos anos 90, pensei que iriam modernizar a série, mas até a abertura com aquela fonte de série velha, a fotografia de vídeo antigo, e o jeito de apresentar é igual, como se tivesse sido lançado em 1993.

Inclusive achei ousado demais isso, pois os tempos mudaram, e as pessoas são bem impacientes. Então começar a ver uma série sem pé nem cabeça pode facilmente deixar telespectadores nervosos e fazer com que caiam fora. Mesmo eu que assisti a série original fui ver os dois primeiros episódios e fiquei sem entender nada do que diabos estava acontecendo.

Assim, são mostradas histórias dos personagens, você vê acontecendo, mas não há um esforço para que quem assista saiba exatamente "qual é o plano", e em meio a essas histórias aparecem elementos bem bizarrinhos como uma cena na cadeia em que aparece um homem completamente pintado de preto, de repente ele vai desaparecendo até sumir e ficar só sua cabeça, que sai levitando lentamente. E do nada muda de cena, não há sentido claro na coisa.

Tenho que assumir que achei emocionante rever rostos conhecido, especialmente a "Senhora do Tronco", que já era velhinha em 1991, e na versão de 2017 está beeem velhinha mesmo, mas ainda assim decidiu pegar o papel de novo, nossa eu achei isso tão fantástico. É possível notar como ela está bem fraca, dá até vontade de dar um abraço hahaha. Infelizmente ela faleceu em 2015 =/ e aparece em apenas dois episódios, mas nossa foi maravilhoso poder vê-la ao menos no começo da série, um dos personagens mais marcantes.

Enfim, achei demais o retorno, atmosférico pra caramba e mais do que ousado. Twin Peaks foi uma das série mais influentes em histórias de investigação policial que se passam em cidadezinhas. Muitos elementos usados nesse tipo de trama costumam beber muito desse seriado. David Lynch definitivamente é um diretor que tem um toque muito próprio. Pode ser meio cansativa, mas recomendo demais darem uma conferida!


Nenhum comentário: