Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

terça-feira, 4 de outubro de 2016

Blair Witch: Rustin Parr | Um jogão esquecido no tempo

Quando o filme A Bruxa de Blair saiu em 1999, aquilo causou um falatório imenso entre as pessoas, mas uma coisa que ninguém iria imaginar é que já no ano seguinte iria sair não apenas um, mas sim TRÊS jogos baseados no universo do filme. No entanto eram jogos exclusivos para PC em uma época onde apenas video games tinham os holofotes. Isso certamente fez com que eles caíssem no esquecimento e se tornassem verdadeiros jogos do mundo undergroud. E hoje vou falar sobre o primeiro da trilogia, Blair Witch Volume 1: Rustin Parr.



Eu lembro que a primeira vez que joguei esse jogo, foi uma demo e eu não sabia absolutamente naaaada de inglês, então foi meio decepcionante, pois eu queria jogar um jogo da Bruxa de Blair e aquilo parecia outra história. O negócio é que os jogos não são baseados no filme, mas sim na Mitologia da Bruxa de Blair, e por isso a trama é bem diferente, apesar de você ver o tempo todo coisas relacionadas.

Nesse primeiro, o foco é completamente em cima da macabra história de Rustin Parr, então aqui a coisa se passa em 1941, logo após os acontecimentos bizarros envolvendo as sete crianças de Burkittsville. Você controla a cientista de pesquisa Elspeth "Doc" Holliday, que faz parte de uma agência, que investiga fenômenos sobrenaturais, chamada Spookhouse. E precisa ir até a cidade para entender o caso Rustin Parr e ver se aquilo realmente teve a ver som o sobrenatural ou era apenas um homem louco.

Uma coisa que me animou na época foi o fato de que se passa no mesmo universo do espetacular Nocturne, um survival horror que me marcou bastante. Aliás, pra falar a verdade esse jogo é descaradamente Nocturne 2, você trabalha na mesma agência, encontra o protagonista e vários personagens do primeiro jogo, tem uma jogabilidade igual e até enfrenta criaturas do mesmo tipo.

Então o que temos aqui é um Survival Horror à moda antiga, sem economia nos sustos. Tudo se passa nessa cidadezinha macabra em plenos anos 40 e no bosque que fica ao lado dela. É usada aquela técnica de câmeras fixas em que você entra em um cenário e as vezes só ouve o som de algo, mas não pode ver porque o ser está além da câmera, então tem que esperar até ele surgir e já estar em cima de você.

Uma série de técnicas pra manter o climinha são usadas, por exemplo no meio de cutscenes a bruxa as vezes aparece em alguma parte do cenário, observando, daí a câmera muda, quando volta, ela não está mais lá, não é algo para assustar eu acho, mas sim para deixar com aquela sensação de estar sendo observado.

Os fãs da série Twin Peaks certamente vão gostar desse jogo, pois há easter eggs nele especificamente para esse seriado. Outras pessoas que esse jogo pode agradar são os fãs do primeiro Alone in the Dark, pois se passa em uma época semelhante, com uma história no mesmo estilo e a jogabilidade que Alone inventou.

O jogo se passa em forma de dias, e assim você se hospeda em um hotel e vai investigando as coisas, tentando descobrir o que há de errado com o lugar, e voltando para dormir. A sensação é de estar mesmo vivendo no lugar, é muito legal! Até porque podem acontecer coisas macabras durante a noite também.

Quanto aos gráficos, são simplesmente maravilhosos! É claro que não dá para comparar com jogos modernos, mas se você olhar o visual e considerar que está vendo um jogo do ano 2000, aquilo é uma loucura e rodava em qualquer PC da época! Então mesmo qualquer PC barato de hoje em dia, roda brincando. 

O jogo tinha efeitos de luz e sombra maravilhosos, as texturas eram bonitonas, mesmo tendo alguns gráficos pré-renderizados existiam também vários objetos 3D mesmo, e mesmo os modelos dos personagens sendo em low polygon, as texturas do rosto ficavam mudando para simular coisas como a boca falando, era muito bacana a coisa.

Apesar de tudo a física do jogo tinha uns bugs engraçados, a roupa da personagem mexia toda quando ela se movia, o que realmente é um baita de um efeito bonito, no entanto de vez em quando a roupa parecia querer ganhar vida e ficava dando aquela mexidinha marota bem na parte da bunda uahahahaha.

Enfim, se estiver procurando um survival horror à moda antiga e não muito longo, esse talvez te satisfaça. Um jogo com uma trama muito legal, sustos, gráficos que dão para tolerar mesmo sendo uma antiguidade, e ainda trás a satisfação de jogar algo underground que pouca gente conhece hehehe. É difícil de achar ele hoje em dia, mas você pode matar a vontade jogando a demo, tem 67 mb.

Nenhum comentário: