Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

domingo, 1 de dezembro de 2013

Deadly Premonition - Um belo jogo de terror psicológico

Esse é um jogo que assim que bati os olhos eu me apaixonei imediatamente, isso porque ele mistura elementos que me deixam fascinado, apresentando um clima sombrio com terror, um grande mistério e uma cidade pequena. Mas sem dúvidas a "cartada final" que me fez querer jogar o jogo assim que vi o trailer, foi o fato de que ele me lembrou muito uma franquia que amo, que é Silent Hill.

A história apresenta uma pequena cidade rural chamada Greenvale, vegetação para todo lado, lagos, animais e outras belezas naturais. No entanto a população do pequeno lugar é surpreendida quando uma de suas habitantes é encontrada morta presa em uma árvore e em terríveis condições que mostram que ela foi morta de forma brutal. Isso faz com que um agente do FBI chamado Francis York Morgan vá até o lugar para investigar o crime.



Eu achei esse jogo uma mistura entre vários outros jogos, sendo inicialmente Alan Wake e Silent Hill, mas com elementos variados que o tornam um jogo um tanto único. Você é colocado em missões investigativas, onde enfrenta inimigos bizarros prontos para te matar e frequentemente cruza o caminho do assassino em série que está na cidade, onde a jogabilidade pode variar um bocado dependendo do encontro que você tiver com ele.

Os gráficos do jogo deixam um pouco a desejar, ele foi lançado inicialmente no começo de 2010 para playstation 3 e Xbox 360 e levando em consideração a data, até se pode dizer que é culpa do tempo, no entanto mesmo naquela época existiam jogos com gráficos espetaculares para as plataformas. Com o lançamento da edição Director's Cut para computador em 2013.

Ele recebeu texturas novas em HD, mesmo assim ainda é notável que esse de longe não é um dos maiores atrativos do jogo e me lembraram demais as cenas em CG do primeiro Silent Hill, o que chega a ser engraçado de certa forma, pois naquela época eu achava impossível um jogo ter um gráfico como naqueles CG's e hoje reclamo de ser feio demais hehehe.

Apesar das missões com cenários próprios, o jogo te deixa em um mapa aberto quando você não está em missões, o jogo tem todo um sistema de passagem entre dia e noite, mudança climática e horários de funcionamentos do comercio, por isso é um lugar realmente vivo. Você pode ir aos lugares, conversar com as pessoas e pegar informações, fazer missões alternativas, entre outras coisas e você ganhou uma chave mestra para viaturas da polícia, o que te permite andar de carro pela cidade.

Também existem diversos personagens interessantes na cidade e eles tem suas próprias vidas, portanto de acordo com que o tempo passa, eles vão fazer outras coisas e vão estar em outro lugar da cidade, por isso você pode ir a um restaurante e então perceber que o cara mais rico da cidade está por lá. Isso tudo por um lado é maravilhoso, no entanto ele acaba sofrendo com a constante sensação de que tudo é um pouco superficial, por exemplo o seu personagem não pode pular e tem lugares que simplesmente você vai ter que dar uma volta gigantesca porque simplesmente não pôde passar por cima de uma cerquinha.

O agente York é um cara bastante excêntrico e em muitas vezes você vai ficar pensando no que é e o que não é real, isso porque ele já mostra desde o início que não é normal ao conversar frequentemente com uma pessoa chamada Zack, o tempo todo ele está dizendo coisas como "Olhe isso, o assassino deve ter tentado fazer tal coisa, o que você acha Zack?", ele conversa o tempo todo como se o mesmo tivesse ali. Outro detalhe é o fato de que somente quando está só o agente enfrenta criaturas bizarras e vê uma constante presença de raízes pela cidade que as vezes o prendem em lugares.

Isso faz lembrar bastante ao universo alternativo de Silent Hill, onde as coisas ficam bastante pesadas e depois de um tempo voltam ao normal, no caso de Deadly Premonition quando as coisas voltam ao normal é que as pessoas da cidade voltam a dar as caras. Mas apesar de tudo ele se mostra bastante genial também, enquanto você investiga e vai coletando pistas, você tem a opção de "sincronizar" e ligar os fatos, fazendo aparecer uma sequencia de imagens na tela que mostram parte do que aconteceu.

Nesse jogo você tem que viver a vida do personagem mesmo, por isso você precisa comer e dormir, além de trocar de roupas e mandar para a lavanderia, e tudo isso custa dinheiro, por isso enquanto você faz as missões, vai ganhando dinheiro, mas também vai gastando aos poucos. O seu personagem também precisa usar medicamentos quando se machucar. Outro detalhe interessante é que o jogo tem sistema de horário e você tem compromissos, portanto existem algumas coisas que você só terá acesso quando chegar a hora certa e ela pode passar, e assim é algo que você tem que sempre ficar atento para não perder o horário.

Uma coisa muito curiosa que só descobri depois, é que esse jogo é um belo de um ripoff do seriado Twin Peaks, então se você gostou daquela loucura, saiba que aqui você enfrenta a mesma jornada com cenas e até falas descaradamente idênticas. Mas apesar de tudo existem os próprios elementos únicos do jogo. Se você se atrai por investigação de assassinatos, vai adorar colocar a mão na massa aqui.

Enfim, apesar dos gráficos feios, esse é um jogo que gostei muito, tem uma atmosfera bastante envolvente, ele é cheio de elementos diferentes que me atraíram bastante, é bem agradável a sensação de viajar por esse ambiente rural, observar os moradores e ficar pensando sobre "Quem é o assassino?". Vale a pena dar uma conferida no site da G2A pra ver o preço que está lá, pois eles costumam vender keys da steam por um valor bem mais barato que na própria steam e ainda aceitam boleto bancário. Dê uma conferida no preço que tá lá, clicando aqui.

Um comentário:

Agelus disse...

Esse jogo parece ser extremamente bom!!!Assim que possível vou checar, vlw pela recomendação =D.