Fade to Silence | Um survival lovecraftiano cooperativo

Esse é um jogo que a princípio tive uma visão errada, isso porque como se trata de uma obra lovecraftiana, e no trailer vi um personagem correndo em um mundo todo detonado e com tentáculos, imaginei se tratar de um jogo de terror. Então de maneira alguma imaginei que se tratava de um jogo em mundo aberto e survival, até porque em meio a tantas obras pesadas do autor, normalmente é difícil ter obras mais agitadas como essa.


Aqui você assume o papel de Ash, um homem condenado por uma poderosa entidade a ficar preso em um ciclo de vida e morte. O mundo acabou, coisas grotescas dominaram tudo, mas ele não sabe exatamente o que são e se existe algum motivo, mas vaga por um ambiente gelado em busca de respostas, ao mesmo tempo em que tenta manter sua filha viva em um acampamento.

Aqui temos um survival puro mesmo, mundo aberto, coleta de suprimentos, fome, ciclo de dia e noite, e etc. Por outro lado é uma experiência que achei interessante o fato de não ser um simulador de vida. Ele é um jogo com história, que evolui, e você precisa ir além. Então não é como Conan Exiles, que se você quiser, se dedica a construção apenas e joga até enjoar, sendo a história algo opcional.

Aqui você percebe que tem que avançar para continuar, pois existem limites do mundo, e você vai querer passar para a próxima área, mas para isso precisará desvendar e liberar o acesso. É um mundo aberto robusto, cheio de coisinhas, porém limitado, semelhante a Shadow of Mordor. Você logo chega a outro ponto.

Seu personagem está sempre morrendo, a fome e o congelamento o consomem. Sendo assim você precisa constantemente pegar suprimentos, madeira, ervas, minérios, etc... Com eles você usa o sistema de forja, seja para criar uma vasilha de comida, seja para fazer uma tocha ou ferramenta de trabalho.

Apesar do climinha medieval, incluindo as roupas de pele de animal dos personagens, é um jogo que se passa no futuro, após o colapso da civilização, e assim em meio a árvores congeladas e um chão coberto por uma espessa camada de neve, há coisas como placas, carros enferrujados, e também construções. Entre elas alguns abrigos, onde você pode por fogo em um barril e usar para dormir e preparar coisas.

Existe uma quantidade limitada de itens que o protagonista pode carregar, sendo assim é preciso sempre saber o que realmente é necessário carregar por aí e o que vale a pena deixar guardado no baú para usar quando for preciso. Além disso é importante ficar atento às nevascas, pois começam a te congelar sua barra de vida, diminuindo ela cada vez mais, portanto assim que começar, você tem que correr urgente para um abrigo e fabricar tochas para manter um pouco o nível do calor.

Pelo mundo existem lugares infectados pela "Praga", que são ambientes corrompidos com solo e árvores em vermelho, tentáculos saindo do chão e abominações surgindo, além de tumores explosivos. Você pode purificar esses ambientes enfrentando o núcleo do caos responsável pela coisa, porém você vai tomando dano. Se consegue liberar, ganha vários itens e retorna o lugar ao visual normal.

O combate é meio semelhante a Dark Souls, existe o ataque leve, ataque pesado, a possibilidade de rolar e defender. Porém não é tão polido infelizmente e você tem aquela sensação de que mesmo com a estâmina, o jogo não está apresentando aquele desafio que um jogo com combate no estilo soulslike apresentaria.

E por falar em soulslike, o jogo apresenta elementos fortes semelhantes a um Roguelite, com aquela coisa de morrer e fazer de novo. Porém recomeçar com itens que pegou. Existe uma coisa chamada "Chama da Esperança", que você perde a cada morte, se acabar, tem que começar do zero, porém tem as habilidades que ganha após a morte definitiva e adiciona a seu personagem, são vantagens como "Não perca o melhor arco que conseguiu" ou "Mantenha os lobos que capturou". Apesar de tudo não é bem um roguelike porque não é tão difícil.

No jogo você vai destravando coisas novas que adicionam elementos lineares mais claros. Por exemplo, você consegue NPC's que você pode conversar com respostas às suas perguntas, e pode deixar eles trabalhando, cada um tem habilidades próprias e fazem belos adicionais à base, além disso podem ser levados para ajudar no combate. Conseguindo lobos você pode também usá-los para te puxar e atravessar rapidamente o cenário.

O jogo tem modo cooperativo, que destrava quando você consegue aliados, no entanto infelizmente como joguei no acesso antecipado, meu amigo teve problemas com o jogo travando, ou simplesmente o personagem dele não atacando mais, mesmo depois de morrer. Graças a isso não conseguimos testar esse modo, porém pelo o que pude ver, a maioria conseguiu tranquilamente.

Com os recursos coletados é possível ainda fazer certas construções, como criar um muro na sua base para dar certa proteção, e assim ir melhorando o lugar e deixando seus aliados protegidos. É possível designar recursos para que eles fiquem fazendo determinado tipo de tarefa, assim como dá para colocar alguns para coletarem certos recursos.

O visual do jogo é muito bacana, ele por si só não tem um gráfico bonito, porém é daquelas obras que os pequenos detalhes é que encantam. O ambiente é muito robusto e cheio de elementos, como um rastro ficando no chão de neve, o céu mudando bastante dependendo da hora do dia, uma esfera misteriosa gigantesca no céu, animais, o vento levando flocos de neve, etc. Graças a isso acaba sendo um jogo bonito.

A história vai sendo revelada à medida em que você explora, e aos poucos você vai desvendando tudo. Tem uma entidade que te segue que achei meio tosca, meio forçada, parece a figura da morte, mas fica fazendo umas narrações pessimistas que eram para ser misteriosas, mas que no fim das contas acabam quebrando o clima e se tornando engraçadas.
Enfim, jogo bacana, um survival com forte toque na progressão do protagonista, acaba trazendo bons elementos de dois mundos, se você gosta do gênero, talvez seja pra você, mas não acho que a parte lovecraftiana se destacou muito. Recomendo sempre dar uma olhadinha no preço dele na Greenman Gaming antes de comprar na steam, algumas vezes os preços deles estão bem abaixo do normal, e sempre lembre de olhar os cupons de desconto que eles espalham pelo site, que deixa a coisa mais barata ainda, dê uma conferida aqui.


Comentários