Conan Exiles | Um fenomenal simulador de mundo bárbaro

Tá aí um jogo que me surpreendeu, não acompanhei o desenvolvimento e pensava ser só mais um MMORPG baseado no gigantesco universo de Conan, e fui testar sem ter muita ideia da coisa. A primeira experiência foi ruim, porém ao dar um segunda chance, fiquei encantado com os elementos viciantes e gigantesco mundo misterioso, se tornando uma experiência bastante única.



Você é um exilado, que foi crucificado e deixado para a morte em um deserto por crimes que pode ou não ter cometido. No entanto alguém surgiu, te libertou e lhe deu uma segunda chance, e assim você vagou até a terra dos exilados, um lugar onde todos os outros criminosos estão. Alguns se uniram de maneira civilizada, enquanto a maioria formou pequenos grupos prontos para atacar qualquer desavisado.

Como  falei, eu realmente imaginava que esse jogo era um MMORPG em sua forma mais básica, no entanto ele é mais para um híbrido. Existem muitos elementos singleplayer, e inclusive existe a opção de criar um jogo e jogar sozinho, o que foi uma total surpresa pra mim. Os próprios servidores não são gigantescos, com suporte a 40 pessoas.

Ele contém história que vai sendo contada de uma forma bem modesta, e é realmente possível ir seguindo as dicas dela e descobrindo os mistérios do mundo. Por outro lado não é aquela experiência cinematográfica que temos em jogos singleplayer. Então é possível jogar de múltiplas maneiras, você pode se instalar no começo do jogo e montar uma casa e passar a aperfeiçoar ela, ou pode se aventurar pelo mundo, mas pode também resolver infernizar outros jogadores. A escolha é sua, a coisa é bem livre.

O jogo começa com a criação de personagem, que joguei no Twitch do blog e tomei um belo de um susto. Acho que todo mundo toma quando vai jogar online sem ter pesquisado muito sobre o jogo. E esse foi o meu caso, pois em meio às opções, existe a área das genitais, então como escolhi um homem apareceu um baita de um pinto na tela, que dá pra escolher o tamanho.

Aliás, essa coisa de nudismo é algo interessante, apenas na versão de PC a coisa é sem censura e existe nudismo total no personagem. Isso é algo que pode incomodar, mas ajuda o universo a ficar muito mais atmosférico, pois você realmente se vê em um mundo bárbaro, bem bruto, onde o nudismo é comum.

Porém para os mais preocupados, existe a opção de por o nudismo parcial, que também é bastante explícito, mas adiciona um pouco mais de roupas, ou censura total, que não mostra nada e tudo é sempre coberto mesmo que o personagem não esteja equipado com roupa nenhuma. Então esse quesito pode ser aproveitado de formas diferentes.

É possível ainda personalizar diversos detalhes do rosto e cabelo como orelha, nariz, boca, etc, já no corpo a personalização não é tão grande e foca mais em ser muito sarado ou desnutrido. Acho que como é um mundo bárbaro bem sofrido que dá pra morrer de fome e todo mundo acaba entrando em lutar constantemente, acabaram não colocando a opção de ser gordo já que é mais fácil ser desnutrido.

Ainda na criação de personagem existe a opção "Raça e religião", que irá dar alguns atributos ao seu personagem, por exemplo os seguidores de Yog tem que praticar canibalismo ritual, sendo assim depois de um combate você pode coletar os pedaços dos inimigos, levar à fogueira e comer, ou pode comer cru mesmo. Além de recuperar vida, eles também ganham força. Cada deus dá benefícios diferentes a seus adoradores.

É maravilhoso como você é lançado no mundo sem saber nada sobre ele, no começo isso dá um baita de um desconforto, no entanto com o passar do tempo, só vai ficando mais atmosférico. É claro que eu já vi jogos assim antes como o primeiro Fallout e Dark Souls, no entanto aqui temos um mundo aberto em 3D todo natural com biomas, animais e tribos.

O jogo me surpreendeu nesse quesito, porque acho difícil achar um jogo que transmita de forma tão forte o gênero Sword and Sorcery, que ironicamente foi criado pelo próprio Robert E. Howard, criador de Conan, porém é mais comum se ver em livros e contos como A Fúria do Cão Negro e A Sombra do Abutre, ou mesmo em mangás como Berserk.

Nesse gênero, o foco não é o mundo, mas a saga do protagonista, que vaga por um ambiente misterioso. O leitor/jogador/telespectador/ouvinte descobre o mundo junto com o personagem. Esse tipo de universo costuma ser em mundos de fantasia desolados, mas não existe uma regra certa. O Gênero surgiu nas revistas pulp nos anos 20, e depois foi ganhando popularidade, mas se manteve meio underground.

Agora em jogos esse gênero é mais raro, pois é fácil demais contar a história do mundo e os desenvolvedores tem uma tendência natural a mostrar tudo na introdução. Mas esse não é o caso aqui, pois você realmente não sabe o que o espera, é tudo uma surpresa. E quanto mais você se move, mais encontra coisas e mais vai encaixando tudo.

Não bastando isso, o mundo é completamente hostil e tudo quer te matar, são feras selvagens defendendo territórios, seres fantásticos que vagam pelo mundo, clãs de bandidos prontos para te matar, eventos climáticos como tempestade de areia e frio que tiram sua vida aos poucos, locais amaldiçoados que só a proximidade já te faz receber dano, criaturas gigantescas escondidas, e o pior de todos eles, outros jogadores.

Não bastando isso, se trata de um survivor, ou seja, você morre desidratado, morre de fome e tem barra de estamina. Portanto é maravilhoso poder se agarrar em qualquer superfície e começar a escalar, mas a barra vai baixando sem parar, e se acabar, você desaba. O mesmo serve para ficar boiando na água.

É preciso coletar alimentos, sejam insetos e sementes coletadas em arbustos, até coisas mais complexas como comida vegetal vindo de plantações e carne vinda de caça. E só pra constar, tudo estraga, portanto não basta ter a comida, é preciso consumi-la antes de ficar podre ou vai ter que achar mais.

Sede também é um problema, eu fiquei um bom tempo no sul do mapa e me acostumei a só ignorar a sede porque ficava do lado de um rio, no entanto a coisa mudou bastante quando resolvi me arriscar a vagar um pouquinho mais e achei um NPC que me disse que ao norte existia civilização. Resolvi viajar e entrei em uma cidade maldita abandonada, onde quase morri desidratado tentando atravessar o desertão e quando finalmente achei água, já tava morrendo.

Por falar em NPC, é bacana demais isso. Você sempre vê outras pessoas e fica com medo, mas aí vai se aproximando e às vezes acha alguns que são amigáveis. Eles não te dão apenas informações, mas conhecimentos novos e ensinam coisas como novos  gestos. Você também vai achando diários que falam sobre o mundo e mistérios. Isso vai te revelando a história, o jogo é legendado em português então facilita pra muita gente.

O mundo também é cheio dos mistérios, são monumentos gigantescos enterrados pelo tempo, entradas para lugares fantásticos, e seres gigantes escondidos que você pode lutar. Aliás, existe uma bela dificuldade no combate, então para aqueles que são fãs de irem enfrentando aos poucos seres cada vez mais poderosos, vão gostar do ritmo.

Mas se você não é do tipo que gosta de viajar ou dos mais corajosos, pode focar em um lugar e ficar por lá mesmo. Aliás, tá aí um belo de um jogo que oferece variação viu? A possibilidade de poder ficar construindo uma base é linda demais! Me surpreendeu a variação da coisa. Você mesmo pode construir torres gigantes que serão vistas de longe por todos.

No começo, a coisa tem que ser feita de forma simples, isso porque você não começa com as paredes, você começa sem nada, sendo assim as primeiras coisas que precisam ser feitas são ferramentas. Picaretas, machados, etc. Essas ferramentas te permitirão extrair material para construir outras ferramentas.

Então é preciso arrancar mato pra ter fibra vegetal pra transformar em barbante, é preciso pegar pedras e paus no chão para transformar em machados e só então é possível extrair madeira e aí construir balcões para criar outras coisas. Armas, armaduras, enfeites para a casa, bolsa de água, t tochas, etc.

Com o material extraído você pode construir formatos de paredes, chão, teto, janelas, e etc... Com isso você vai montando. E assim tudo pode começar com uma casa do lado do lago, e terminar com uma fortaleza posicionada estrategicamente entre montanhas para usar as laterais como muro e os topos como pontos de defesa.

Isso permite clãs agirem de forma diferente, com jogadores ficando na base e a melhorando cada vez mais, e outros indo atrás dos mistérios do mundo, enfrentando chefes, coletando recursos raros e retornando com esses recursos para serem usados na fabricação de melhorias para as bases. Pode ser um belo trabalho em conjunto.

Existe briga territorial no jogo. Você não pode construir sua base em uma área próxima a de outro jogador o clã. Isso pode fazer com que você tenha que se livrar dele, e assim guerras podem surtir dentro do jogo, seja pelo espaço, seja para saquear o que foi coletado lá, ou mesmo tomar o lugar inteiro.
Mas mesmo sem jogadores para te ajudar, você pode conseguir ajuda em uma base, isso porque é possível sequestrar NPC's e levar para sua base, usando-os como escravos que podem trabalhar ou defender o lugar. Pra isso você tem que entrar em combate, desmaiá-los, daí usar um lanço para amarrá-los e arrastar até sua base, onde serão seu escravos pela eternidade.

Outra coisa, é que por mais bruto que esse universo seja, existe magia e aqueles que decidem focar na religião, chegam a um ponto que podem invocar os avatares dos deuses, que são criaturas absurdamente gigantescas que o jogador assume o controle e durante um minuto pode fazer o caos. Ou seja, um único jogador pode matar um clã inteiro e destruir toda sua base com um avatar.

Imagina você está lá construindo sua casinha, daí olha pra trás de uma montanha e vê uma estátua de pedra enorme  passando? Ou olha pro horizonte e vê uma cobra gigantesca se aproximando em alta velocidade e deixando um rastro de destruição, ou mesmo olha pro céu e vê um polvo gigante derramando tinta e detonando com tudo? Pois é.

Algo bacana sobre invocações, é que se o invocador for morto, o avatar desaparece, então quando um clã está sendo atacado, eles logo tem que começar a procurar onde está o invocador. E também é normal clãs ficarem ao redor para proteger o corpo do dono do avatar enquanto ele assume o controle da criatura. Em forma de avatar tudo é visto do ponto de vista da criatura, ou seja, o mapa todo fica pequeno enquanto o jogador faz a festa.

Não bastando as possibilidades do mundo, ainda existem mods ligados diretos à oficina steam, sendo assim com poucos cliques você pode adicionar inúmeras coisas novas que foi feita pela própria comunidade. Ou você mesmo pode criar essas coisas e assim criar uma experiência personalizada com o que gosta.

Infelizmente o jogo não é só maravilha e parece um daqueles jogos indie bugados pra cacete, com animações feias pra caramba, inteligência artificial burra e bugs super bizarros demais. Tem estratégias que você pode criar usando os próprios bugs do jogo. Não é algo que me incomoda, mas sei que muita gente fica irada com jogo feio, pois é... Esse aqui é um deles.

Outra coisa é que a experiência online foi terrível. Primeiro joguei em um grupo de quatro pessoas, entramos em um dos servidores disponíveis na América do Sul, o começo ficamos meio perdidos, mas fomos tentando, até que chegou um momento que o servidor fechou e fomos tentar outro, tendo que criar outros personagens.

Resolvemos então um dos nossos criar o servidor, todo mundo entrou mas tinha um que não tava conseguindo. Esse errinho de um não conseguir depois vi que parece ser aleatório, às vezes vai, às vezes não vai, parece depender do dia. Ou seja, você pode tentar a sorte em um servidor sempre lotado, pode tentar em um não oficial que pode ficar offline a qualquer momento ou pode tentar se conectar a amigos. É bem frustrante.

Enfim, Conan Exiles é um jogo atmosférico pra caramba e que acho que se você tiver a sorte de jogar em um grupo de amigos onde todos tenham paciência de aprender e se aventurar juntos, pode ser uma experiência fenomenal com cada um fazendo sua parte e viajando juntos para descobri os mistérios do mundo. Recomendo sempre dar uma olhadinha no preço dele na Greenman Gaming antes de comprar na steam, algumas vezes os preços deles estão bem abaixo do normal, e sempre lembre de olhar os cupons de desconto que eles espalham pelo site, que deixa a coisa mais barata ainda, dê uma conferida aqui.

Comentários