Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

terça-feira, 22 de agosto de 2017

StarCraft Remastered | Relembrando as origens da saga!

Para quem não sabe, o Starcraft original ficou gratuito, e na Battlenet foi adicionado StarCraft Remastered, uma edição com gráficos atualizados, suportando resoluções em 4K, algumas modificações visuais dentro do jogo, modo online com conexão direta na Battlenet, e pela primeira vez dublagem em português na expansão Brood War. Ou seja, uma bela de uma oportunidade para quem sempre quis jogar o primeiro.

Em 1996, quando foi apresentado ao mundo, Starcraft tinha um visual completamente diferente, era algo que se aproximava muito mais de Warcraft do que a versão final que tanto se popularizou. No entanto após a resposta do público, a Blizzard decidiu alterar a coisa e aos poucos foi ganhando sua forma.

O produto final foi algo de brilhar os olhos, em 1998 quando teve o lançamento, Starcraft era algo com um visual polido e charmoso. Mesmo atualmente dá pra ver o charme da coisa, é um daqueles jogos com visual pixelizado, mas que você vê a beleza da coisa. No entanto em seu lançamento, não era um jogo pixelizado, mas sim adequado para as resoluções da época, os monitores também eram menores.

Ao contrário da maioria dos jogos dos anos 90, esse foi um que ganhou suporte pesado a nível de lançamentos atuais. Por exemplo, no natal daquele ano a Blizzard lançou um mapa temático de natal chamado 12 Days of Starcraft, e inclusive lançou um vídeo com uma musiquinha personalizada. Hoje temos o youtube e redes sociais, uma ligação bem direta de empresas com jogadores, mas imagina que loucura uma coisa dessas naquele tempo?

Quatro anos se passaram desde o lançamento do jogo e sua expansão Brood War (Que saiu no fim de 1998), nesse tempo a Blizzard tinha se dedicado a Diablo 2, no entanto em 2002, além de lançar Warcraft 3, finalmente anunciou algo novo de sua saga espacial, o tão diferente Starcraft: Ghost, que apresentava uma nova visão daquele universo fantástico.

Infelizmente esse foi um jogo que com o passar dos anos se ouvia falar cada vez menos, e com certeza os anos passaram... Em 2006 a Blizzard declarou que ia deixar a espera dele como indefinida. Ou seja, não cancelou, mas também ficou meio que aquela coisa do tipo "Um dia nós iremos lançar, só não fiquem esperando!".

Claro que isso fez o "contador" zerar, e era como se não tivéssemos notícias de Starcraft desde 1998. O povo estava louco para algo novo, até que em 2008 a Blizzard fez a revelação ao mundo sobre a épica continuação. Isso deixou o povo eufórico, até quem nunca jogou Starcraft ficou animado com tudo aquilo.

O lançamento foi em 2010, mas foram dois anos de tortura, a Blizzard não dizia quando ia ser lançado, e o tempo passando só deixava o povo mais ansioso, no entanto cada vez mais as coisas iam ficando melhores. As revelações de novos vídeos e detalhes, a fluidez que apresentava, era tudo magnífico pra caramba.

Aliás, no Brasil existia o "extra" que era pela primeira vez uma empresa dar suporte tão alto a localização. Ela não tinha apenas anunciado a dublagem em português, mas alteração das coisas escritas em CG's, elementos dos cenários, sincronia labial de personagens. Era um suporte que chegava a ser exagerado para um país que ninguém dava valor algum pra jogos.

E a publicidade cabulosa só chamava mais a atenção daqueles que não tiveram contato anterior com a franquia, um bom exemplo foram os vídeos mostrando a história com dublagem em português, ou algo que ia ainda mais além, como foi o caso do comercial feito para a TV. Sim, eu sei, hoje em dia nós vemos comercial de jogo na TV, mas era 2010! Então imaginem a loucura de algo assim naquela época?

Eu mesmo cheguei a publicar uma matéria explicando o universo de Starcraft para quem quisesse jogar o segundo jogo entendendo bem o que tinha rolado antes. Mas a Blizzard facilitava cada vez mais, publicava conteúdos frequentes e o falatório era constante. Os fanboys iam à loucura por ser um exclusivo de PC, tanto consolistas desesperados com a grandiosidade que a coisa se mostrava, quanto pcistas chatos tirando vantagens.

Naturalmente os fãs da franquia mesmo estavam sem rasgando de vontade, no meu caso foi um pesadelo conseguir uma cópia, era impressionante como o povo tinha limpado as prateleiras, e detalhe que a pirataria tava em alta na época. Então imagina? Qual era a chance de um jogo ser lançado e acabar o estoque? Claro que rolou uma ajuda da Blizzard, já que o jogo saiu por 49 reais, e meses depois veio aquela bela micro-edição de colecionador de 59 reais.

Mesmo a TV que sempre adorou descer o pau em video games, tirou o chapéu, por exemplo a globo fez uma reportagem super favorável a Starcraft 2. Aquilo foi uma surpresa imensa, sim eu sei que na Coreia tava rolando era comercial da liga de Starcraft, mas convenhamos que não dá pra comparar né? Aquele é o país do Starcraft, e torneios lá eram de outro nível.

Mas por fim eu consegui obter a minha cópia de Starcraft 2: Wings of Liberty, e nossa, que jogo maravilhoso! Em relação a jogos da Blizzard eu sempre fui "o fã de Diablo", e sabia que ia me divertir com Starcraft 2, mas aquilo tava em um nível que eu nem podia imaginar. Foi um daqueles jogos que tive vontade de jogar pra sempre. A propósito, sabia que tem um estar egg de Diablo em SC2? Confira:


Quando a primeira expansão foi anunciada, é claro que teve todo um marketing em cima também, mas o primeiro foi tão bom, que eu realmente não imaginava que o segundo conseguiria superar. Aquele impacto geral, o marketing, a qualidade, tudo, era lindo demais! Não dava nem pra criar muitas expectativas.

Daí tivemos algumas surpresinhas, por exemplo o livro Starcraft Ponto Crítico, que se passa logo após Wings of Liberty e foi lançado no Brasil, outra obra inesperada, afinal de contas antes não tinha esse negócio de livro de jogo no nosso país não. Nem pensar que uma editora iria se arriscar a uma dessas, mas lá estávamos nós, entrando em uma nova era.

E claro, a Blizzard também continuou investindo pesado em seu marketing, a revista em quadrinhos Kerrigan Esperança e Vingança, foi lançada gratuitamente já em português, revelando um pouco sobre o passado da personagem. E até quem não tinha nada a ver com a história resolveu aproveitar pra pegar uma carona, como a ONG que fez uma campanha para salvar os Zergs.

E por fim tivemos o lançamento de Starcraft 2: Heart of  the Swarm, um jogo que nem acreditei que conseguiu superar o anterior. Sim, os Zergs são os meus favoritos, mas Wings of Liberty foi tão bom e tinha alguns elementos que só podiam ser usados nele, que eu não conseguia ver possibilidade de algo melhor. Mas lá estava a expansão superando pra valer a coisa.

Daí novamente veio mais uma espera, para o último capítulo da saga, também rolou um forte marketing com alguns extras expandindo universo, como a HQ Sacrifício, que assim como a anterior foi lançada gratuita e mostra momentos antes da trama do terceiro jogo da trilogia Starcraft 2, para preparar o povo.

Apesar de, na minha opinião, Starcraft 2 Legacy of the Void não conseguir superar o anterior, ele é um jogo magnífico e de uma qualidade impecável. Além disso foi o único jogo da franquia que senti uma baita de uma carga emocional diferente. Nele tem aquele clima pesado de perda, de algo que está indo embora, tanto pela história quanto pelo fato de ser o fim da trilogia.

Naturalmente Starcraft 2 continuou depois disso, recebendo atualizações frequentemente e naturalmente tendo um suporte forte e uma baita comunidade online que se manteve viva pra caramba, assim como foi com o primeiro jogo. Isso sem contar com o Blizzard Arcade né? Que até quem não comprou o jogo pode usar e tem milhares de jogos grátis feitos no Starcraft 2.

E no começo de 2017 a Blizzard fez uma baita de uma surpresa para os fãs da franquia, revelando uma versão remasterizada do primeiro Starcraft. Gerando aquela empolgação enorme para fãs, e modernizando a coisa. Além é claro de deixar tudo muito mais suave para que novos jogadores pudessem conferir. Rolou inclusive um comercial em live action.

A primeira coisa que a empresa fez foi algo bem inusitado, tornar o jogo original gratuito. Ou seja, simplesmente quem quiser pode baixar e chamar os amigos. Perfeito para uma jogatina à moda antiga, com gráficos pixelizados e uma baita de uma história, isso sem contar com os mods disponíveis né?

A verdade é que esse não é o primeiro jogo da empresa a se tornar gratuito, ela tem uma área chamada Blizzard Classics, e antes de Starcraft lá já tinha Blackthorne, Rock 'n Roll Racing (Sim, ele existe pra PC) e The Lost Vikings. Mas lá também estão alguns jogos pagos da empresa que foram lançados antes de World of Warcraft.

Depois StarCraft Remastered foi adicionado à Battlenet, que pra quem não conhece é como se fosse a steam da blizzard, mas foi lançado bem antes da steam. Porém por ele não é possível baixar os jogos clássicos e a versão remasterizada foi o primeiro. A vantagem disso é estar completamente conectado ao serviço.

Sendo assim pela primeira vez os jogadores do primeiro título da franquia tiveram toda aquela comodidade de uma lista de amigos e conexão no modo online de uma maneira mais cômoda fornecida pelo programa da Battlenet. Além obviamente de um suporte mais vivo à coisa, com atualização automática e possibilidade de novo material ser adicionado de forma fácil.

Bom, eu pensei que os CG's iriam ser refeitos, sendo assim foi um pouco desanimador quando vi que eram os mesmos. No entanto após jogar um pouco comecei a entender que fazia bastante sentido. A proposta afinal de contas não é ser um remake, com gráficos que iriam causar um contraste meio bizarro na coisa.

Por outro lado houve um tratamento nos vídeos para serem apresentados em widescreen e não ficarem super pixelizados como acontecem com alguns jogos antigos. Sendo assim a coisa se encaixa na tela, mas é com o visual de um jogo antigo.

Lembram da matéria que fiz sobre jogos que nunca iremos jogar? Nela eu falo sobre a vontade que dá de jogar certas obras, mas elas são tão antigas que é difícil engolir certas jogabilidades, certos gráficos, certos sons horríveis e assim vai. E a proposta de StarCraft Remastered é exatamente suavizar a coisa, manter o estilo clássico, mas adaptar "brechas".

O negócio do widescreen é um ótimo exemplo, antigamente todo mundo tinha um monitor quadrado, mas agora quando se joga jogos antigos é comum ver aqueles dois pedaços pretos nas laterais ou uma imagem puxada e distorcida de um jeito extremamente desagradável de se ver. Mas tem vários outros probleminhas, bugs em sistemas operacionais novos, sons que parecem ruídos e outras coisas.

StarCraft Remastered é um jogo que ao mesmo tempo serve para polir esses elementos que envelheceram e modernizar certas coisas. Tornando assim um agradável jogo antigo, oferecendo a mesma experiência agradável de seu lançamento para pessoas que querem experimentar pela primeira vez ou jogar de novo.

Tanto o jogo original quanto a expansão estão presentes, portanto quando você obtém uma cópia, é o pacote completo. Da mesma forma na hora de jogar online você pode jogar Starcraft puro, ou pode optar por ativar elementos da expansão Brood War, existem botões para o modo história e multiplayer. Quando você clica já aparece as opções de jogo base e expansão antes de seguir em frente.

Em Starcraft quando você clica em uma unidade ou está recebendo as instruções de uma missão, aparece uma janelinha com o rosto do personagem que está falando feito em CG. Esses foram elementos atualizados no jogo, então no remastered você não vê as versões originais, mas sim atualizadas e mais semelhantes aos rostos deles em Starcraft 2.

Apesar de tudo não foram colocados CG's surreais, é algo que inclusive pode enganar os mais esquecidos, fazendo-os pensar que aquelas eram as faces usadas desde o início. Até porque, assim como no original, não são vídeos reais, mas sim "gifs animados" que ficam repetindo os movimentos, portanto não há sincronia labial.

Eu acho que ficou muito bom, especialmente pra quem estiver pretendendo jogar a saga inteira. Lembro que quando fui jogar Starcraft 2, achei esquisito demais a mudança de visual tão brusca de Jim Raynor, que era um cara careca meio gordinho. Dessa vez colocaram o Jim de Starcraft 2, porém careca, e deram uma atualização geral nos retratos.

O jogo recebeu uma nova dublagem em português. Eu achei bacana demais porque além de serem os mesmos dubladores da trilogia Starcraft 2, pela primeira vez pudemos ver Brood War dublado! Isso porque apesar do primeiro Starcraft ter dublagem, a sua expansão só vinha em inglês, inclusive menus e tudo mais.

Por outro lado achei bizarríssimo não terem dublado os vídeos! Ao invés disso eles tem legendas apenas, isso é muito estranho, afinal de contas se eles se deram o trabalho de dublar todos os diálogos de missões e falas de unidade, por que não os CG's? Que além de serem mais fáceis para um dublador, já que podem ver o que tá rolando, a maioria é só narrativa, sem mostrar um personagem mexendo a boca, e em quase todos são diálogos rápidos. Vai entender né?

Entre algumas missões ao invés de ter vídeos, são imagens estáticas no jogo original, aqui essas imagens foram atualizadas para visuais bem mais bonitos (como o da imagem aí embaixo), e também a medida que você vai clicando para mudar de quadro, a coisa aparece uma animaçãozinha. Nada demais, mas é um elemento que também se diferencia do original.

Já o multiplayer do jogo naturalmente ficou mais dinâmico com conexão direta à battlenet, sendo assim para aqueles que sempre quiseram jogar Starcraft, mas não gostavam da ideia de baixar um arquivo avulso, aqui tudo fica bem mais direto. Mesmo assim mantiveram o modo lan como opção, portanto jogadores da velha guarda vão gostar.

Enfim, tá aí uma ótima oportunidade de jogar o clássico da blizzard de um jeitinho mais moderno, com certeza vale demais a pena! São seis campanhas e um modo online que até hoje não morreu por sua mecânica incrível. Atualmente temos diversos materiais de starcraft lançados no Brasil, e se você sempre se sentiu tentado a conhecer esse universo, com certeza essa é uma ótima opção de ponto de partida. Recomendo!

Nenhum comentário: