The Last of Us mudou o "vírus" na série da HBO, mas os criadores explicaram o motivo

Pra quem não sabe, a doença de The Last of Us foi criada com base em algo que existe na vida real e é mais assustador que um vírus, pois parece mais real a criação de "mortos-vivos", o fungo Cordyceps, que transforma insetos em zumbis (São bizarras as fotos). E que no game da Naughty Dog esse fungo evolui e começa a infectar também seres humanos, fazendo isso através de esporos no ar. No entanto, a série da HBO vai por um lado diferente, e usam micro tentáculos conectados entre si que transformam as pessoas em zumbis. Mas afinal, por que? Os criadores explicaram.

O Collider entrevistou Craig Mazin, que teve uma enorme popularizada por ter criado a série da HBO Chernobyl, que foi um sucesso cabuloso, e Neil Druckmann, que é ninguém menos que o próprio criador do jogo. E com isso foi comentado sobre o que foi necessário na adaptação para série de televisão, e eles explicaram a questão dos tentáculos, e eles responderam.
O motivo inicial é que eles não queriam colocar máscaras o tempo todo na dupla de atores Pedro Pascal e Bella Ramsey (Ambos de Game of Thrones). E mesmo no jogo fizeram modificações dependendo da necessidade, como a Plástica que fizeram na Ellie, para não tomarem processo, ou o cachorro de TLOU que abandonaram. E inclusive uma curiosidade é que a Naughty Dog pensou que The Last of Us seria sua ruína. Mas em meio a tretas e mudanças, tudo deu certo. Olha as declarações sobre alterações no seriado de TV:

"O jogo tinha esporos no ar e as pessoas precisavam usar máscaras de gás e decidimos logo no começo que não queríamos isso para a série"
 
"Eventualmente, nossas conversas chegaram nestes tentáculos. E então, pensando em como acontece uma passagem de um infectado para outro, como fungos fazem, isso poderia criar uma rede interconectada. Virou algo muito assustador pensar que eles estão trabalhando contra nós desta forma unificada, que é um conceito que eu realmente gostei, que foi desenvolvido na série."
 
"Os jogos fizeram isso muito bem, especialmente em um gênero em que seria muito fácil falar: 'ah, existem zumbis, mas os zumbis saem do chão'. O Cordyceps é um conceito fascinante e é absolutamente real. Queremos levar isso além. Queremos dar o máximo de realidade possível, porque quanto mais real, mais nos conectamos aos personagens que estão naquele mundo."
Um outro detalhe que comentaram, foi sobre a pandemia de Covid-19 que tivemos em 2020, e em como tivemos uma enorme quantidade de informações novas sobre como funciona uma pandemia e certas medidas de segurança. E apesar de termos visto coisas muito bacanas como aquele filme de The Last of Us que fãs fizeram, ou a série de TLOUS "What Remains", para ir além no realismo, eles precisavam fazer adaptações. E assim comentaram que:

"Era importante para nós reconhecer que o público é mais bem informado sobre pandemias do que eram há cinco anos. Não queremos fingir que eles não sabem das coisas"

"Aliás, grande parte do motivo de por que a série começa na cena dos anos 60 é para mostrar: 'Olha, o contexto é que pandemias virais existem e são muito perigosas, mas há algo por aí que é pior. E isso pode parecer engraçado para você, mas me deixe explicar por quê'"

"E então você percebe: 'Ah, isso não é bom'. E isso estava lá esse tempo todo. Então quando o surto acontece, não é de repente ou por capricho. Está finalmente acontecendo. Sempre esteve para acontecer."
A série de The Last of Us estreou em 15 de janeiro de 2023 às 22:00 tanto no canal da HBO, quanto no HBO Max, mas a rede foi além e deixou o sinal aberto para assinantes da Claro, Sky, Directv Go e Vivo para que o público assistisse ao primeiro episódio de The Last of Us de graça. Não faltando oportunidade de onde assistir The Last of Us grátis. Mas mesmo antes da estreia, surpreendeu ao ser uma série de TV que recebeu 100% de aprovação no Rotten Tomatoes.

O game original foi lançado em 2013 para Playstation 3, deixando o sonho de jogar no PC apenas nisso, com muita gente usando o emulador RPCS3 pra emular o jogo, e sendo um jogo eletrônico que por muito tempo ficou preso na exclusividade de jogos da Sony, como Horizon Forbidden West, God of War Ragnarok, Until Dawn e outros.
Mas assim como rolou em jogos como Final Fantasy VII Remake,os fãs da Steam ficaram maravilhados com a vinda de The Last of Us Part 1, o remake para Playstation 5 que foi exclusivo temporário para em 2023 vir a versão da  Steam, finalmente abrindo a coisa. De qualquer forma a Sony só abriu mesmo pro PC, porque usuários do Microsoft Xbox Series X e S ou assinantes do Xbox Game Pass Ultimate com seu Xbox Game Cloud ficaram de fora, sendo mesmo um jogo apenas focado no PC e PS5.

Bom, ao menos ainda podem jogar Forza e Elden Ring, né? Opções não faltam, além dos que também contam com um computador pessoal. The Last of Us acumulou muitíssimos fãs com o passar dos anos e se envolveu em várias tretas, indo desde usar imagem sem autorização no jogo, que foi uma baita de uma dor de cabeça pra Naughty Dog na época, até o número de telefone que ela foi massacrada por por no jogo.

Enfim, e vocês? Chegaram a jogar The Last of Us? Assistiram à série de TV feita pela HBO? Ou deixaram passar? O jogo teve um estouro nas vendas após o lançamento da série, Aliás, um jogo que me lembra muito esse, mas em versão 2.5D e um visual maravilhoso pra caramba, é Deadlight, recomendo darem uma olhada quando tiverem tempo. Caso queiram ver mais coisas interessantes, confira no Blog Nerd Maldito.
 
The Last of Us de PC tá com desconto! Caso queira comprar keys de jogos bem baratinhas na internet, recomendo sempre dar uma olhadinha no preços das keys da Steam (e outras lojas) à venda na GMG, muitas vezes os preços deles estão bem abaixo do normal, e comprando keys lá, você acumula XP, que gera várias vantagens como descontos extras nas próximas compras e até jogos grátis! Dê uma conferida aqui.

(DICA: Fica de olho nos CUPONS DE DESCONTO que costumam aparecer na página inicial da GMG frequentemente! O preço cai muito!)  

Postar um comentário

0 Comentários