Chernobyl | Baita série sobre o caos nuclear de 1986

Tá aí uma série que eu normalmente assistiria mesmo, porém acabou me chamando a atenção de forma definitiva quando saiu a notícia dela bater o recorde de avaliações positivas e ultrapassar a audiência de Game of Thrones na HBO Go, coisa que achei uma loucura total especialmente porque me parece uma série de nicho, afinal relata o acidente na usina nuclear de Chenobil em 1986.

Fui assistir sem pesquisar muito, então não tinha uma ideia certa sobre como a coisa seria apresentada, se ia ser um documentário com partes dramatizadas ou se ia ser uma adaptação no estilo seriado padrão. E bom, foi a segunda opção mesmo, no geral estava ótimo pra mim independente do que fosse, pois assisto documentários com uma certa frequência, então seria agradável também.

A minisérie aparentemente foi uma grande surpresa até pra HBO, ela foi criada para ter apenas cinco episódios bastante robustos e que você rapidamente nota que a grana investida foi pesada, o que na real não é uma surpresa, visto que a emissora anteriormente já tinha feito diversas séries em épocas diferentes, tipo Boardwalk Empire e Roma.

Mas bom, assumo que achei bem estranho o sucesso tão estrondoso, pois com as notícias sobre a audiência cabulosa e o fenômeno que foi a bagaceira, imaginei que tinham deixado a coisa meio suave pra ser um pouco mais digerível pra um público em geral. Afinal, convenhamos que séries históricas são de nicho. O público adolescente e jovens adultos em especial, que é o grande consumidor de séries normalmente quer algo com mais movimento e surpresas.

O que temos aqui é uma série padrão do gênero, portanto forte foco político, mostrando a atitude do governo na época e como queriam se livrar de um escândalo, e o dia a dia de pessoas comuns. A reação e como o mundo mudou em cima disso. Como os olhos da humanidade começou a ver essa catástrofe como aviso e mesmo tendo mais horrores que vieram depois como o acidente de Fukushima, certamente uma atenção muito maior surgiu à partir disso.

Eu sempre tinha ouvido falar de Chernobil, mas nunca fui buscar a fundo e sempre foi aquela coisa que eu mais via pelas bagaceiras da cultura pop que surgiram em cima disso, como "Os Diários de Chernobyl", que os habitantes do lugar viraram um monte de mutantes violentos que querem matar os americanos que vão lá visitar.

E essa série me abriu os olhos para uma penca de coisa que eu nem pensava direito sobre, como o fato de ter se passado durante a época da União Soviética e como esse pode ter sido o principal motivo pra ter acabado, pois um fracasso desses e o dano que gerou à humanidade era algo que os soviéticos definitivamente não queriam admitir.

Também é fantástico ver como existe um certo clima futurístico na coisa, pois é algo tão imenso e um horror tão diferenciado que a sensação é de filme pós-apocalíptico. A ignorância das pessoas sobre o quanto aquilo é perigoso. Como a população comum e até militares de alta patente pensavam que era só um "probleminha na fábrica" e que bastava dar um jeitinho que tudo ficava ok.

A imensidão da radiação e a quantidade cabulosa de quilômetros, indo muito além da cidade de Pripyat, sem contar com a duração que vai ficar na terra foi algo que em especial me deu um baita de um frio na barriga, pois apesar de saber que era algo perigoso, não imaginei que a duração era tão grande e é de deixar encabulado pensar que uma coisa dessas tá ali.

Enfim, ótima série! Vale muito a pena, muito divertida, dá pra sentir bem o horror das pessoas e é meio gore também, então pra quem tem estômago fraco pode ser realmente complicado conseguir assistir o estado que algumas pessoas chegaram. Acho que vale muito assistir tanto sozinho quanto com um amigo para compartilhar certos pensamentos (E provavelmente você terá muitos).

Postar um comentário

0 Comentários