Cordyceps - Insetos zumbis existem! O fungo de The Last of Us!

Com certeza você deve saber ao menos o básico sobre o apocalipse zumbi, onde humanos são infectados de alguma maneira por algum tipo de um vírus ou algo semelhante, seja uma doença, ou até magia no caso de universos medievais, e então eles têm o seu comportamento brutalmente alterado, fazendo com que infectem outros ao seu redor e tendo seu corpo modificado de forma bizarra e se tornando os tão temidos mortos-vivos. E se você é do tipo que tem pavor de fungos, então provavelmente vai sentir uma agonia imensa ao ler isso aqui.
 
O jogo The Last of Us foi lançado originalmente para o console de videogame Sony Playstation 3 em 2013, e foi uma verdadeira jornada, desde seu anúncio em 2011, fizeram uma plástica na cara da personagem Ellie para evitarem ser processados, foram acusados de roubarem uma imagem e tacarem no jogo sem autorização, colocaram indiretamente conteúdo pornográfico escondido em TLOS, cortaram conteúdo por não darem conta como o companheiro cachorro retirado do jogo da Naughty Dog, e por fim, chegaram a declarar que pensaram que The Last of Us seria a ruína da empresa.
No fim das contas, com seus altos e baixos, e mesmo com uma tonelada de conteúdos relacionados a epidemia zumbi, indo desde super populares como Fear The Walking Dead até jogos indies maravilhosos como Deadlight e Project Zomboid, o jogo foi um sucesso cabuloso, sendo extremamente desejado por fãs, a quantidade de gente que usou o emulador RPCS3 pra rodar no PC mostra o quanto o (até então) exclusivo da Sony foi amado. Isso se intensifica ainda mais ao ver o filme de The Last of Us feito por fãs, ou o grande cuidado que tiveram com What Remains, série indie de The Last of Us.

E isso aconteceu porque foi um jogo eletrônico que recebeu aquela injeção de dinheiro da Sony que rolou com exclusivos de sucesso como Horizon Forbidden West, Until Dawn, God of War Ragnarok, entre outros. Naquela época, consoles eram assim, e quem começou apenas a jogar com o Microsoft Xbox Series Se X com o Xbox Game Pass Ultimate ou o Playstation 5 com exclusivos temporários tipo Final Fantasy VII Remake, não viu, mas era uma técnica de fazer vendas. E com esse investimento pesado pensavam em tudo, inclusive uma história que se destacasse, como a origem da pandemia.
No caso, o foco foi fazer algo com esporos, ao invés de viral. Essa foi uma ideia naturalmente interessante, já que obras como Resident Evil , o amado Left 4 Dead 2 e o não tão popular, mas extremamente interessante Zombi U da Ubisoft, apresentam uma infecção que causa a doença descontrolada. Mas a ideia de TLOS se destacou porque ao invés de usar zombies padrões novamente, fez algo mais assustador. Mostrou um conceito medonho que fez as pessoas realmente pensarem que zumbis podem existir no futuro. Um esporo que de fato ataca e controla criaturas no mundo real!

Pois bem, é isso mesmo! Saibam que no mundo dos insetos isso não é apenas coisa de ficção científica apresentada em videogames sobre o fim do mundo, séries de zumbis ou filmes pós-apocalípticos, eles realmente correm esse risco e podem ser infectados e ainda levam todos ao seu redor junto, deixando um verdadeiro clima de apocalipse zumbi com milhares de corpos. Isso tudo acontece graças ao gênero de fungo chamado Cordyceps, que tem aproximadamente 400 espécies catalogadas. Eles atacam diversas espécies de insetos e artrópodes.

A forma que o fungo age é brutal, quando a vítima é invadida, os tecidos dela são substituídos e em alguns casos são capazes de modificar o comportamento dos insetos, fazendo com que os hospedeiros passem a sentir uma vontade incontrolável de procurarem alguma planta para subir e se esconderem antes de morrer. Isso acontece para que tenham um ambiente com condições ideais de temperatura e umidade e assim a quantidade de esporos que irão brotar do corpo do inseto será maior. Algo digno de uma série de televisão sobre paga zumbi. Com o tanto de coisas assim, chega a ser impressionante não termos mais jogos eletrônicos que usam coisas assim, do Nintendo Switch ao PS5 ou Steam, muitas coisas chegam a ser tão caricatas que parecem mais "Scooby-Doo na Ilha dos Zumbis" que algo mais elegante.

As deformações que são causadas ao corpo da vítima são horrendas, crescendo às vezes apenas na cabeça da criatura, mas em outros casos surgindo por todo o corpo, deixando a sua aparência completamente deformada. Uma curiosidade é que ele é usado como cogumelo medicinal na medicina em humanos tradicional chinesa e tibetana (foto abaixo). E aí, medo do mundo real se tornar algo parecido com jogos de computador? Não tema tanto, apesar de assustador, a biologia é algo bem complexo, então não é tão simples assim uma coisa dessas se modificar a ponto de atingir um organismo tão diferente quanto o humano dessa maneira horripilante aí. Mas se tiver muito medo, pode continuar jogando seu Forza ou outros jogos de consoles ou computador pessoal para afastar esses pensamento, hehe.
Quando os poros começam a ser liberados, todos os insetos próximos correm o risco de serem infectados também e isso pode acabar com formigueiros inteiros, graças a isso se um inseto é descoberto a tempo, é levado por um deles para longe, como um verdadeiro herói de filme de mortos vivos que se sacrifica levando o problema junto com ele. A natureza é maravilhosa, né? O bicho sabe que tá fazendo aquilo e não pode voltar. Somos apaixonados por coisas surreais como Elden Ring, mas tem coisas no mundo real que parecem muito improváveis, chegando a parecer roteirizadas de tão incríveis.

Mas nem tudo é ruim, graças a esse fungo que o equilíbrio da natureza é mantido, pois quando se tem uma quantidade muito grande de uma espécie, fica mais fácil pro fungo atacar essa espécie e assim diminuir o número de insetos, fazendo com que a coisa não fique desequilibrada. Então se você já se irritava com a quantidade de bichos aparecendo na sua casa, talvez a coisa fosse ainda mais complicada se esse fungo não estivesse em ação.
Agora imaginem, se um negócio perigoso desses é usado como medicamento no Tibet, já pensaram se começa a atingir humanos também? Pois é, acho que foi algo mais ou menos parecido com isso que os criadores de The Last of Us pensaram já que no jogo o fungo Cordyceps Unilateralis é usado para apresentar como ocorreu a destruição da raça humana, depois sofreu uma alteração na série da HBO Max (Confira a versão do seriado de TV como ficou), mas continuou sendo o mesmo fungo.
 
The Last of Us foi um grande sucesso, inclusive quando recebeu o remake "The Last of Us Part 1" para Sony PS5, logo foi anunciada a versão para PC para vir apenas alguns meses depois, e inclusive pode The Last of Us de PC pode ser comprado aqui. O seriado de televisão da HBO Max teve uma estreia muito aclamada pela crítica e público, contando com notas altíssimas e fazendo as pessoas voarem para saber onde assistir The Last of Us, incluindo campanhas pra ver de graça para assinantes de empresas como Claro, Sky, DirecTV Go e Vivo.
E inclusive, fora o estouro para um público mais amplo que a série com Pedro Pascal (Joel) e Bella Ramsey (Ellie) causou, usaram como campanha de marketing na época do jogo de Playstation 3 com o anúncio de um vídeo que ficou polêmico e que na época muitos acreditavam que era falso, mas que foi uma grande e assustadora surpresa ao ser descoberto que na verdade aquilo existia mesmo e era parte de um documentário da BBC, segue o vídeo à baixo legendado:

Isso é o verdadeiro apocalipse zumbi formiguico! Ò_Ò (sim eu invento palavras). E vocês, teriam coragem de se tratar com um remédio à base de Cordyceps? Confira muito mais coisas interessantes no Blog Nerd Maldito.

Postar um comentário

2 Comentários

  1. Ja tinha lido isso noutro blog, mas caralho, imagina se um fungo desses se adapta para o organismo humano pra conter o número populacional? Natureza gonna naturezar (sim, eu também invento palavras :D)

    ResponderExcluir
  2. Bem as possibilidades desse fungo adaptar ao organismo humano é mínima,porem é possivel,todos ja estudaram em ciencias como os seres vivos atuais se formaram,pela evoluçāo e é obvio que as plantas nao fiquem de fora.Com o ser humano invadindo o habitat desses fungos eles se sintam obrigados a evoluir...

    ResponderExcluir