A cópia de Pokémon que irritou a Nintendo a ponto de receber um processo multimilionário

Todo mundo sabe que a Nintendo adora tomar medidas judiciais contra todo mundo. No entanto a maioria dessas medidas são mais avisos, coisas como "Para de fazer isso... Você está usando nossa propriedade", mas sem ir além, apenas algumas vezes realmente indo além para um processo. Mas imagina conseguir irritar tanto ela a ponto de não apenas processar, como pedir milhões de dólares em indenização. Pois foi exatamente o que a Zhongnan Heavy Industries Co. conseguiu.

Muitos fãs já ficaram frustrados com as atitudes da Nintendo, como ter cancelado o filme de Metroid feito por fãs, e obrigando o criador de Pokémon With Guns desaparecer com o projeto, ou tirar vários projetos de jogos feitos por fãs, como derrubar o Patreon de Super Mario 64 Online, ou mesmo atrapalhando o trabalho de um museu que tentava conservar seus jogos. Mas no geral sendo difícil ela ir além mesmo e fazer a coisa ir para os tribunais, como aqueles fãs processados por fazerem um evento.
Como vocês sabem bem, o que não falta é clone dos jogos da Nintendo e a empresa lida muito bem com isso. É só ver jogos como Ocean's Heart, Ittle Dew 2 e Oceanhorn, todos clones de Zelda, todos lançados para Nintendo Switch. Pokémon nem preciso dizer nada, né? O povo não tem a mínima vergonha em usar as mesmas mecânicas de captura e uma tonelada de animaizinhos inventados. Jogos como Nexomon Extiction e Minimon usaram com tranquilidade as mesmas mecânicas.

No entanto, pelo jeito algumas empresas acharam que podiam ir um pouco além na festa, e foi assim que a Zhongnan Heavy Industries Co.desenvolveu "Pocket Monster Reissue". O clone já começa no nome, pra quem não sabe Pokémon é a abreviação de Pocket Monster. E a desenvolvedora pelo jeito pensou que bastava não usar o nome abreviado e tacar um terceiro nome na frente que tava ok.
Naturalmente o nome era pra confundir as pessoas e fazê-las acreditar que se tratava de uma obra oficial da Nintendo. Mas ela foi além nisso... Além de usar o nome, ela pegou também os próprios Pokémon para usá-los em seu jogo, usando uma versão idêntica ou apenas dando uma levíssima modificada no visual para dizer que não é o mesmo e pronto, o lançou e virou um estouro na China.

Aí já viu, né? A mãe do Mario não deixou barato nem um pouco e foi atrás, Além da Zhongnan Heavy Industries Co., outras cinco empresas ajudaram no desenvolvimento. Elas não foram reveladas, mas a Nintendo pediu nada menos do que US$ 72 milhões! Mas ela não parou por aí e queria ver sangue com uma humilhação pública, e as empresas sendo expostas como caloteiras, portanto exigiu que todas as envolvidas lançassem notas públicas pedindo retratação e avisando que nunca mais fariam isso com a propriedade intelectual da Nintendo.
Não é a primeira vez que uma obra faz versões deformadas da obra da gigante japonesa, no entanto provavelmente ela ignorou outras por serem paródias em cima da coisa e não jogos que fazem exatamente a mesma coisa. Um exemplo é o RPG de Mesa, Pokéthulhu, em que tem claramente um Pikachu na capa, mas como a coisa é toda zoada, fazendo uma mistura com algo nada a ver, que é o horror cósmico, acaba se encaixando como paródia.

Enfim, no fim das contas a Big N não tomou uma atitude fora do padrão da maioria das empresas. Enquanto boa parte é tranquila com as obras feitas pelos fãs, a coisa muda completamente de tom quando quem está usando a coisa é outra empresa que tem dinheiro e não só alguma pessoa aleatória que quis se divertir.

Postar um comentário

0 Comentários