Samurai | A banda fictícia radical de Cyberpunk 2077

Durante os anos 80, o mundo do Punk Rock estava em um belo auge. E graças a isso, a sua influência na cultura pop foi natural. E em meio a filmes, desenhos e séries, até locais inusitados (por não ter trilha sonora), foram influenciados, como o mundo dos RPG's de Mesa. Entre eles estava Cyberpunk 2020, que de forma curiosa passou essa herança para Cyberpunk 2077, apresentando a fictícia banda chamada Samurai.



Uma coisa que vi um cara descendo o cacete, foi o fato do jogo apresentar esse tipo de música pesada e que não tinha nada a ver com o futuro. Mas a verdade é que não colocaram apenas por acaso. Então vamos por partes! Em 1988 foi lançado "Cyberpunk", um RPG futurístico completamente copiado de Neuromancer, que foi a obra que inventou o gênero Cyberpunk.

Esse RPG se passava no futurístico ano de 2013, mas o que se popularizou mesmo foi a segunda edição, Cyberpunk 2020. Nesse RPG tem um mundo todo detonado e personagens revoltados e revolucionários, o que tinha tudo a ver com Punk Rock, e em meio às classes de personagens, ao invés de apenas colocarem coisas como "Policial", "Soldado", ou algo assim, colocaram uma classe inusitada, o "Roqueiro".

Essa classe tem fãs e é capaz de incentivar as pessoas em tretas. E com a vinda de Cyberpunk 2077, a CD Projekt Red decidiu sugar esse elemento das origens. E assim surgiu a banda de Johnny Silverhand, que é o personagem de Keanu Reeves no jogo. Porém ela fez o que já tínhamos visto em Left 4 Dead 2 (Sim, estou falando dos Midnight Riders) e Alan Wake. Uma banda com músicas reais no jogo!

A verdade é que a banda ganhou vida através de uma banda sueca de Punk Rock chamada Refused, e o negócio é realmente radical, o que tem a ver não apenas com o RPG de Mesa em si, mas também com o universo do jogo, já que são letras feitas exclusivamente para serem usadas em Cyberpunk 2077 e para ter sentido, e não apenas músicas da banda reutilizadas. Confira:

Comentários