Hello Neighbor | Aqui você é um moleque enxerido

Esse é um daqueles jogos com diversos elementos maravilhosos, parecendo uma animação da Pixar, e com um ótimo conceito de jogabilidade. Porém que acabou gerando a ira da comunidade por ter sido lançado antes da hora certa, tipo Watch_Dogs, e no fim acabou sendo um baita de um desperdício de potencial.


Aqui você controla um garoto que vê algo estranho acontecendo na casa do vizinho, como se ele tivesse atacando alguém. E assim decide entrar no lugar e descobrir o que está acontecendo, no entanto não demora muito para ser perseguido de forma implacável, tendo que lidar ainda com armadilhas e sistema de segurança.

Esse é um daqueles jogos que tem um conceito onde tanto história quanto jogabilidade estão diretamente ligados. Ou seja, é um daqueles casos em que aparentemente veio a história primeiro e a partir dali foi tirado o que rolaria depois, ou pensaram em alguém invadindo a casa do vizinho e criaram uma história a partir disso.

Acho engraçado como em diversos elementos o jogo lembra Neighbors from Hell, indo desde o título até design cartunizado, a ideia de ser perseguido pelo vizinho, o acesso a novos lugares, e assim vai. Porém um tem foco no humor, enquanto outro o foco é a tensão de ser perseguido e com um certo climinha de desespero.

Algo interessante é que a trama não é direto ao ponto, ela é daquelas misteriosas, cheias de teorias. Alguns podem ficar bem encantados com a quantidade de teorias sobre o que realmente está acontecendo ali. Por outro lado assumo que não me encantou o suficiente, na verdade achei bem menos atmosférico do que pensei que ia achar quando vi o trailer do jogo em fase alpha.

Aliás, por falar no primeiro trailer, ele dá o que falar. Algumas pessoas falam que ele é meramente uma animação, mas o povo que vasculha arquivos achou a casa original como arquivo do jogo, além de que no vídeo tem um indicador de mira do mouse. Então se for isso mesmo, aconteceu um downgrade no visual, é bem notável quando você assiste e compara as coisas. Confira:



No jogo você basicamente tem que entrar na casa e conseguir acesso a certos lugares, inicialmente portas vão estar fechadas, salas inundadas, máquinas desligadas. Mas então você tem que se virar para achar itens, coletá-los e usar nos lugares certos. Aos poucos novas áreas da casa vão sendo acessadas.

Existe uma quantidade enorme de objetos, nem todos eles são úteis, mas no geral ao menos podem ser arremessados, assim é possível quebrar janelas ou mesmo atrasar um pouco o vizinho. Mas também dá para improvisar como empilhar caixas para acessar um lugar mais alto ou mesmo ativar uma alavanca. Além é claro de itens específicos para certos lugares, como chaves, ímãs, etc.

Pelo trailer inicial, eu assumo que imaginei que o jogo seria mais atmosférico, assustador mesmo. Porém no fim das contas é algo bem tranquilo. Não senti tensão ao ser perseguido pelo vizinho, e não acho que o problema seja o visual, já que Master Reboot e Among the Sleep também são fofinhos e conseguem ter uma tensão.

Por outro lado, eu zerei ao vivo no canal do twitch do blog, e um dos caras que assistia dizia que ficava tenso toda vez que eu era perseguido. Sendo assim talvez seja questão de percepção mesmo, mas realmente não consegui sentir algo que me desesperasse pra valer como um Outlast por exemplo, foi uma experiência neutra.

Graficamente, apesar de não ser maravilhoso como o trailer inicial, com esse tom mais alaranjado, ainda é um jogo bonito. Apesar do design de ambiente e personagens ser o que realmente salva, pois não tem elementos que se destacam como efeitos de partículas ou algo assim, se fosse a mesma qualidade porém com design realista, certamente seria genérico, mas do jeito que está é ótimo.

Agora o que gerou uma frustração geral foi o lançamento do jogo apresentar uma obra bugada ao absurdo, com certeza um dos jogos mais bugados que já joguei na vida. Até quem assistiu minha live ficou incomodado e uma das frases que mais falei foi "Por favor jogo, me deixa passar!", e não foi por estar difícil não, mas pelos bugs me jogarem frequentemente pra algum lugar do cenário e outras coisas mirabolantes que tiveram que ser arrumadas na gambiarra.

Aliás, o jogo é tão bugado que eu nem sei se em alguns lugares eu fiz o que deveria ser feito ou se trapaceei, porque a possibilidade de empilhar objetos permitia pular por cima de certos elementos do cenário que estavam impedindo o acesso a uma determinada área. Então realmente não sei se fiz certo ou não.

Enfim, é um bom jogo, atmosférico, porém eu queria que tivesse sido mais intenso, infelizmente sofri cinetose do começo ao fim, e alguns dos que assistiam também, então fique ligado se você costuma ter isso. Imagino que com o tempo os patchs arrumem o jogo, mas ao menos inicialmente foi só o bagaço.

Comentários