SCP: Labrat | Jogo grátis de terror coop que vai te fazer gritar com os amigos

Desde que a SCP Foundation surgiu, as pessoas ficaram encantadas, afinal de contas o que inicialmente eram meras creepypastas separadas, com criaturas como Carazi, a Momo, o Slenderman e o The Rake, de repente ganharam um novo tom de seriedade, e não demoraram para começar a surgir games gratuitos inspirados nisso, sendo SCP: Containment Breach um verdadeiro clássico desse universo de histórias de terror. E o remake SCP: Labrat é um jogo multijogador que dá um novo passo. Terror e Grátis combinam bem com o Blog Nerd Maldito, não? E essa é daquelas obras meio bagaceira que você até pode ver na Steam, GOG e Itchio, mas dificilmente dará as caras em plataformas como Battle.net. Origin, Ubisoft Connect (Antiga Uplay). Porém quem quer estilo, quando se pode ter uma gritaria e correria com muitos bugs? Hahaha.

A história te coloca no papel de um funcionário Classe D da organização SCP. Esses são aqueles que são ex-presidiários de prisões de segurança máxima e reclusos que foram enviados para fazer os testes em objetos, lugares e entidades sobrenaturais para que cientistas possam compreender e conter com mais eficácia essas criaturas. No entanto algo acontece e o lugar entra em caos. Você e vários outros membros Classe D agora estão soltos pela instituição, mas há vários SCPs soltos também.

Fora o jogo de navegador SCP-294, a Bezbro Games é uma desenvolvedora indie que teve SCP: Labrat como sua primeira obra. Desenvolvido originalmente para ser lançado como uma experiência de realidade virtual, não é necessário um para jogar. Mas obviamente a ideia do VR foi feita exatamente para ser um jogo eletrônico independente imersivo, sendo que para os mais assustados, pode ser um jogo de terror perturbador. Mas varia de pessoa pra pessoa e pode ser uma experiência muito engraçada e fácil de compreender mesmo sem a opção de português brasileiro.

Lembra daquela ideia que Minecraft popularizou, com uma "semente" que gera ambientes aleatórios? Pois é o que fizeram aqui, você pode colocar uma palavra que será a "semente" e ela vai gerar o laboratório baseado naquilo. Se quiser repetir exatamente o mesmo, terá que colocar a mesma palavra. Por um lado isso é bom para ter experiências diferentes e nunca se saber onde estão os itens exatamente. Por outro, apesar das salas reposicionadas, o mapa não passa a sensação de ter alguma mudança muito grandiosa.

Então o que temos aqui é uma experiência bem de jogo indie de terror mesmo, não é como se fosse um jogo focado em PC Gamer, Sony Playstation 5 ou Microsoft Xbox Series X, com realismo altíssimo e investimento de um Grand Theft Auto San Andreas, na real não chega perto nem de um GTA: Chinatown Wars. É um jogo gratuito que você precisa dar um pouco o braço a torcer com a tosqueira presente. E mesmo assim pode ser uma experiência bem divertida, assustadora e engraçada.

Inicialmente você pode estar sozinho ou com outras pessoas, a experiência vai variar realmente dependendo de como você escolher. Se você for jogar com amigos, escolher um jogo já em andamento ou decidir filtrar salas, mostrando apenas as que ainda não tiverem começado. No meu caso, eu praticamente sempre comecei sozinho, visto que a primeira vez que tentei jogar com conhecidos, deu muito problema no servidor. Apesar disso, acho que acaba sendo mais atmosférico assim.
É muito legal a experiência de vagar um pouco pelo lugar cheio de estragos e ficar perguntando "Tem alguém aí?", e então ouvir algo do tipo "Galera, não me deixa sozinho!" ou "Eu estou ouvindo vocês", e de repente quando você vai ver, o que encontra é um tipo de cachorro/lagarto vermelho cheio de espinhos com mimetismo vocal, que imita a voz da sua última vítima, o SCP-939.

Mas pode ser que você encontre uma pessoa  de verdade, apesar de muitas vezes o encontro ser bastante estranho e te fazer ficar desconfiado. Não sei bem se por bug do game, ou por timidez do outro jogador. Algumas pessoas preferem não falar. Tem gente que eu pensei ser bug por agir da forma mais estranha, andar para locais esquisitos, ficar parada do nada. E de repente, mais pra frente, a pessoa começar a falar e interagir de forma super extrovertida. Mas é você que sabe se quer seguir sozinho ou acompanhado, escolha ou morra!

Ao andar em grupos, pode dar uma baita agonia, pois brincadeiras de terror é o que não faltam, como gente te deixando pra trás, apertando o botão do elevador antes de você entrar, ou simplesmente a histeria de se achar que viu alguma criatura e ser só um cadáver. É tipo a emoção da brincadeira do compasso em versão digital, dá um medo, mas pode sair umas gargalhadas também. E acho que aí é que tá a diversão, meio que não importa se o gráfico é mais feio que um jogo de Sony Playstation 2 e parece um Mod.

Embora esse jogo de computador não seja ultra desafiador como um Cuphead, ele conta com dois elementos de sobrevivência frequente que te fazem sentir bem a ideia do horror. A primeira é algo que tem em jogos de todos os gêneros, que é a barra de estamina, que acaba em rapidamente, então você escolhe se corre o tempo todo ou se guarda. E a segunda é a visão, em que existe a mecânica de piscar frequentemente, a barra vai descendo até que você pisca, ou você pode piscar apertando a barra de espaço e assim enchendo a barra completamente.
A desenvolvedora prometeu muitas atualizações com novos SCPs, mas o elemento "piscar" foi adicionado inicialmente para o SCP-173, que é aquele baseado nos Anjos Lamentadores do Doctor Who, onde se você piscar, ele se move em sua direção, pra pegar o teu pescoço e quebrar. Ou seja, se você abrir a porta e o vê, é melhor se apressar na estratégia, seja se esconder, piscar e passar correndo, seja fechar a porta e sair correndo.
 
Em boa parte da experiência, a coisa pode se assimilar a outros jogos de terror de computador ou celular padrões como  Amnesia: The Dark Descent, Teddy Freddy, Poppy Playtime (Huggy Wuggy), ou Outlast, com uma correria louca e um monstrengão atrás de você, parecendo filmes de terror slasher, com aquela sensaçãozinha constante de Chucky, o Brinquedo Assassino na tua cola, mas com a diferença de que não temos apenas um vilão, mas vários e com suas próprias formas de agir.
Por outro lado, pode acontecer de às vezes terem tantos outros jogadores, que a coisa vira uma verdadeira muvuca, te fazendo se sentir no Stumble Guys de terror, onde quem ficar pra trás é que vai se lascar nas mãos de seja lá o que for que estiver perseguindo vocês. É o típico jogo que faz youtubers como o Jazzghost pirarem. E costuma atrair muita gente que faz a instalação logo após ver que os requisitos mínimos do sistema não são grande coisa.
 
Uma das criaturas que estão presentes, por exemplo, é o SCP-049, uma entidade que tem um visual igual ao dos médicos da peste negra. E o seu toque é morte certa, sendo assim, quando ele se aproxima, o ideal é correr o máximo que pode, fechando portas e tentando chegar a uma das armadilhas de contenção para que ele possa ser detido por um instante.
Já o SCP-017, que é uma sombra que surge em qualquer lugar e então de dentro dela sai uma figura humanoide, é capaz de causar um efeito que com certeza pode deixar alguns apavorados e que tem uma certa semelhança com Layes of Fear, pois você de repente se vê atravessando cenários estranhos, indo parar nos locais mais esquisitos.

Certa vez eu fiquei vagando por diversos ambientes que do nada se transformavam em outros, às vezes com outros jogadores, às vezes sem, às vezes eles me ouvindo, às vezes não. Até que fui parar em uma sala escura com um trono gigantescamente alto, e lá em cima a entidade sentada me observando. Quando cheguei, tinha um cara que disse "Tem um tempo que estou preso aqui", e logo chegou outra pessoa, e ficamos os três presos, até que eu apareci embaixo desse cenário e podia ver no céu uma coisa gigantesca voando, parecendo uma nave espacial, apesar de parecer viva. Logo outro companheiro apareceu comigo e ficamos sumindo e aparecendo em locais variados.
É bem legal essa sensação de pesadelo presente às vezes, talvez pelo jogo ser bugado, talvez propositalmente, sinceramente é um pouco difícil dizer. Mas em meio a tantas creepypastas como Sonic the Hedgehog, The Legend of Zelda, Pokémon, Super Mario Bros e outras coisas, acho que isso acaba sendo uma simulação bem parecida com o que essas histórias de terror tentam passar. Afinal de contas, convenhamos, existem jogos de terror super bem feitinhos, desde indies como The Baby in Yellow, até jogos Triplo A como The Quarry, e não passam a sensação de que existe algo de maldito ali.
 
Apesar de tudo, existem algumas coisas peculiares que não são assustadoras, e fazem parte desse universo, como a presença do SCP-1048, um urso de pelúcia que precisa encantar aqueles que o olham. E assim, certa vez enquanto vagava, não consegui me conter ao ver um ursinho dançarino atrás de uma janela. Não aconteceu nada, mas a ficha dessa criatura a descreve como uma que faz as vítimas ficarem maravilhadas com ela e depois constrói uma versão maléfica de si mesma, se esses ursos aparecem depois pra te caçar ao estilo Five Nights at Freddy's, não sei dizer, pois apenas a vi.
Quanto ao objetivo, vocês precisam trabalhar em equipe ou de forma solitária. É difícil conduzir as pessoas e se organizar, sempre tem alguém que vai embora. Mas é preciso achar chaves e cartões, além de existirem também alguns objetos úteis como máscaras de gás para certos ambientes. O problema é que às vezes alguém pega um cartão e a pessoa jamais chega à sala de acesso pra liberar um novo ambiente.

Enfim, SCP é um universo bem atraente pra quem curte THe Backrooms, se você estiver procurando por uma opção de jogo cooperativo online de terror que seja bem levinho sem ser 2D, esse pode ser bem interessante. Nem só de Xbox Game Pass Ultimate com sua computação em nuvem se vive a diversão! Às vezes dá pra jogar umas obras gratuitas, seja pegando na Epic Games Store, seja indo até a Steam e baixando. Então se você cansou de jogo de zumbi e quer ver uma variada, essa é uma ótima opção! Clique aqui para fazer o download. E caso queira ver muito mais coisas legais, confira no Blog Nerd Maldito.

Postar um comentário

0 Comentários