SBT massacrou jogo "Poppy Playtime" o comparando a corrente do suicídio

Videogames e a mídia com certeza têm uma grande história. E de vez em quando rola alguma polêmica  relacionada à coisa. Algumas coisas sensacionalistas ao absurdo como a Record narrando como uma vítima é pisoteada em GTA, até coisas que os próprios gamers parecem querer provocar polêmica, como o jogo de simulação de tiroteio em escola. E "Poppy Playtime" foi mais um jogo que o SBT decidiu cair em cima sem dó.

Desde o lançamento do jogo Slender, se tornou uma mania no youtube os jogos de terror indie gratuitos em que uma entidade te persegue. Poppy Playtime foi um jogo que conquistou um grande público em 2021, e com seu visual colorido, se passando em uma fábrica de brinquedos, o público infantil acabou gostando ao verem seus youtubers favoritos jogando, apesar de não ser o público alvo da coisa.
 
Com o sucesso, esse jogo indie conseguiu ir a um nível que nem todos conseguem, que é ver os brinquedos que aparecem se tornando itens reais para a venda (confira no link de afiliado Amazon). E o vilão principal, Huggy Wuggy foi o boneco mais popular. Personagens com carinhas "do mal" já foram populares antes entre as crianças, tipo o "Puro Osso" de "As aventuras de Billy e Mandy", que era uma caveira. Então muitos pais só não ligaram pra cara de capeta do personagem, mas quando notaram, passaram a escrever textos nas redes sociais e isso foi o que chamou a atenção do SBT.
No entanto, a emissora não se limitou a falar que o foco do jogo é no público maior de idade e não em crianças. A emissora decidiu também fazer uma comparação com o desafio da Baleia Azul, que era aquela corrente de internet que se popularizou como sendo um jogo do suicídio, já que fazia desafios que levavam à morte e crianças acabaram se matando.

As manifestações públicas sobre videogames são frequentemente vistas de formas confusas, algumas são opiniões completamente perdidas da coisa, como o presidente do México falando que Nintendo é pura violência, outras vezes são desgraças que infelizmente acabam sendo naturalmente associadas à coisa, como o streamer que resolveu matar pessoas em live, porém muitas vezes a coisa é claramente moldada para parecer que qualquer coisa é culpa dos jogos, como o noticiário que fez um massacre em escola parecer ser culpa de Fallout 4.
No caso de Poppy Playtime, foi mais uma moda que pegou entre crianças, mas que no geral não tem a ver com alguma corrente ou algo assim. É apenas algo focado em adultos que tinha os elementos certos para que crianças achassem legal, o que acabou acontecendo. Sendo assim, o problema da reportagem não é o aviso em si para os pais, isso é adequado. 
 
O problema é que a emissora decidiu ir além em fazer a comparação com o jogo da Baleia Azul, que notavelmente foi colocado propositalmente com aquele toque tendencioso para parecer que crianças poderiam se matar por jogar ou  terem um boneco dele. Se afetasse apenas o título em questão, não teria problema algum, já que não é mesmo adequado para crianças, mas é o tipo de coisa que apenas contribui com o estigma de que videogames em geral são do mal e se a pessoa jogar, vai mexer com a cabeça dela. Confira:

Postar um comentário

0 Comentários