Death Mark | Uma jornada pelo universo do horror japonês

Todo mundo sabe o quanto o horror japonês é atmosférico, no entanto não apenas de O Grito e Ringu vivem o terror oriental, e outras mídias conseguem também apresentar o horror, como aquela HQ que fez a internet gritar. E Death Mark é mais um tipo que mostra bem que é possível esse tipo de história fora das telonas.


A história fala sobre pessoas que certo dia se deparam com uma misteriosa marca em seus corpos, parece uma cicatriz de mordida de cachorro. No entanto após algum tempo, morrem misteriosamente. Você controla um homem que está carregando essa maldição e não consegue se lembrar de como conseguiu, sabe apenas que seu tempo está acabando e ao amanhecer, morrerá.

Esse é um daqueles jogos investigativos extremamente atmosféricos, é um Visual Novel, porém do tipo que brinca com a jogabilidade, não se limitando ao estilo padrão. Me lembrou obras como Clock Tower, apesar da jogabilidade completamente diferente. O negócio é que a atmosfera consegue engolir tudo.

Pra falar a verdade tem muitas obras mais populares que os fãs certamente vão acabar lembrando, tipo Ao Oni e Yomawari: Midnight Shadows, com aquele toque de mistério tão peculiar, climinha de maldição e bizarrice com um design bastante próprio. Inclusive é um jogo que tenho a sensação de algo dos anos 90. É fácil imaginar alguém em 1997 jogando isso de madrugada.

Como falei, é o tipo de Visual Novel que brinca com a jogabilidade, então apesar dos fãs de mistério certamente se interessarem pela atmosfera presente, o jogo não se limita a apenas ficar indo de lugar pra lugar conversar com personagens. Você vê certos aspectos próprios que em determinados momentos deixam o jogo até mesmo agitado.

Pra começar, sim, ele tem os aspectos básico de jogos do gênero obviamente, então você tem locais para explorar, os seleciona e vai para o cenário, onde passa a investigar. Ao invés de ser uma cidade com um mapa onde você escolhe os pontos e vai, aqui a coisa é dividida em capítulos, e cada um deles tem seu próprio ambiente, por exemplo o primeiro é em uma escola, o segundo já é em uma floresta assombrada semelhante a Aokigahara, e assim vai.

A movimentação dentro do cenário é curiosa, em um canto é mostrado um mapa e você seleciona as setas para andar. Por exemplo se estiver em um corredor e à esquerda tiver uma sala, você pode clicar a tecla esquerda pra entrar, ou pode clicar pra frente ou pra trás para se mover no corredor. O ângulo também muda se você estiver indo ou voltando.

Enquanto parado em um lugar, é possível usar a lanterna para iluminá-lo, assim dá pra achar itens escondidos e você pode tocar, olhar ou usar itens. Às vezes é necessário fazer uma ação antes de outra ficar disponível, por exemplo olhar pra descobrir algo e só então usar um objeto ali. Se você tentar usar o objeto antes de saber de determinado detalhe, não vai ter sentido.

Outra coisa interessante dessa mecânica da lanterna, é que eles prepararam sustos. De repente você pode achar uma aparição em um canto. Por outro lado eu achei os controles ruins pra caramba, pois as teclas de atalhos são letras, mas a de movimentação é nas setas, enquanto a lanterna é no mouse. Seria melhor se a movimentação fosse no W, A, S, D. Dá pra mudar, mas pra um mapa de teclas padrão é bem tosco. Por sorte joguei deitado usando o Air Mouse C120, que deixa tudo na mão kkkk.

Outra mecânica interessante, é a de ações rápidas. Você tem os "pontos de alma", que ganha através de amuletos de proteção que encontra. Quando você chega em um momento de ação rápida, as almas começam a ser consumidas, se chegar a zero, você morre. É preciso ler as opções e responder rápido, mas se responder errado, também morre. Por exemplo "Você vai entrar na sala, quando de repente sente algo segurar seu tornozelo...". E aí tem as opções.

Outra coisa que achei bem bacana, é o combate com fantasmas. Não é algo frequente, mas é algo que te obriga a prestar atenção na história e entender os itens. Em certos momentos você pode se deparar com uma aparição, e a forma de combatê-la é usando os itens que você tem, tipo como se fossem ataques em turnos de JRPG. Mas precisa ter sentido o que você vai fazer, se não usar itens capazes de atacar aquele ser específico, ele simplesmente vai te matar.

Enfim, jogo muito gostoso, visual fantástico que parecem pinturas e músicas muito atmosféricas. Recomendo sempre dar uma olhadinha no preço dele na Greenman Gaming antes de comprar na steam, algumas vezes os preços deles estão bem abaixo do normal, e sempre lembre de olhar os cupons de desconto que eles espalham pelo site, que deixa a coisa mais barata ainda, dê uma conferida aqui.

Postar um comentário

0 Comentários