A incrível versão esquecida de Resident Evil 2 pra Game Boy Advance

Quando se fala em Resident Evil 2, é fácil só lembrar da versão de PS1, porém o jogo teve inúmeras versões para diversas plataformas, mas elas são meio que deixadas de lado, pois são vistas apenas como versões alternativas da coisa, a única versão que se destaca tanto quanto é o remake de RE2, porém uma versão underground que nem todo mundo sabe sobre (especialmente porque não é comercial), mas que surpreende demais, é a versão para Game Boy Advance!


Embora com o passar dos anos tenham surgindo video games portáteis extremamente potentes e com gráficos fabulosos, é fácil subestimar os portáteis do passado. No entanto cada console carrega um potencial que costuma não ser utilizado em quase nenhum jogo, é só ver os jogos 3D do Super Nintendo, e claro, em portáteis temos também exemplos, como o visual surreal de Alone in the Dark The New Nightmare pra GBC.

Agora se o Game Boy Color conseguiu fazer gráficos desses, imagina o seu sucessor Game Boy Advance? Pois bem, apesar de no geral, não usarem toda a potência, é pra isso que temos as techdemos, que servem para demonstrar o potencial de uma tecnologia, usando quase o máximo que ela tem a oferecer.

O portátil foi lançado em 2001, e uma desenvolvedora italiana novata chamada Raylight Studios era bastante ambiciosa, apesar de ter apenas um ano de idade. Como a Nintendo estava dando um belo de um passo, o Game Boy Advance parecia promissor pra caramba, já que até então todos os Game Boy's eram basicamente expansões umas das outras, sendo Game Boy (1989), depois o Pocket (1996) que era uma versão melhorada, mas o mesmo portátil, o Light (1998), que tinha iluminação e o color (1998) que suportava jogos coloridos.

Agora o Game Boy Advance, era realmente um novo Game Boy, e se o anterior durou mais de uma década, imagina um com capacidade de gerar gráficos maravilhosos? Parecia um tiro certeiro para a Raylight Studios, que criou um motor gráfico batizado de Blue Roses, e capaz de renderizar gráficos 3D no portátil da Nintendo.

Mas ela precisava que a coisa fosse licenciada, e uma empresa grande seria ótima para isso. Decidiu então começar a desenvolver algo que apresentou em 2003 para a Capcom. Era algo surpreendente e naturalmente atraente. Uma versão de Resident Evil 2 para Game Boy Advance. Com direito a narração e uma animação de queda dos zumbis mais bem feita que a versão original do Playstation. Confira:

Um detalhe é que esse Street Fighter Alpha do final não é uma cena colocada no vídeo, realmente é parte da Techdemo. Muito provavelmente uma tentativa da empresa de fazer os olhos da Capcom brilharem com as possibilidades. No entanto para o azar dela, naquela época a japonesa não estava muito interessada em portáteis. Ela inclusive tinha chegado a produzir algo impressionante no portátil anterior, o Resident Evil pra GBC, que foi cancelado, o que mostra que a falta de interesse era a mais pura verdade.

Comentários