Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

terça-feira, 14 de junho de 2016

Wanda - O apocalipse nunca foi tão simpático

Esse é um daqueles jogos que tem naturalmente um toque melancólico que acaba atraindo muita gente, como é o caso do simpático A Bird Story e do mais do que depressivo Actual Sunlight, no entanto ao mesmo tempo tem um certo toque de fofura que gera um certo tipo de contraste com a coisa e que vemos em poucos jogos do gênero como o belíssimo The Flame in the Flood.

A história apresenta um robozinho que desperta em um lugar caótico e não tem ideia do que aconteceu ou mesmo do mundo que o cerca. E assim começa a vagar por um ambiente desolado cheio de outros robozinhos desativados jogados pra toda parte, até que finalmente acha uma cápsula onde um deles está funcionando e partem juntos.

Esse é um daqueles jogos artísticos, feitos para serem curtinhos e com um imenso toque sentimental, em diversos aspectos ele me lembrou do maravilhoso Primordia, que também tem uma forte atmosfera melancólica e foco em robôs que demonstram sentimentos bem humanos. Com certeza algo bem atraente para quem gosta de experiências que dão aquela pontada no coração. Ainda mais para quem curte obras sobre inteligência artificial como as do Isaac Asimov.

A jogabilidade é meio que híbrida, você nota bem que trata-se de uma experiência narrativa, algo que é feito para você ver muito do que tá acontecendo, a história, a apresentação de cenários e as ações dos personagens. Aquele tipo de jogo que você vê que está transmitindo bem certas ideias, como quando o robozinho chega em uma poça de água e começa a brincar ingenuamente pulando e rindo, é fácil achar engraçado e sentir a emoção dele.

Mas apesar disso é também um jogo onde foram colocados certos puzzles que precisam ser resolvidos para que os personagens atravessem os lugares, você vai trocando de robô para fazer as coisas, como um apertar o botão para que a passagem do outro seja liberada. Tem alguns puzzles que você pode ficar preso e por isso existe o botão de reiniciar.

O visual é realmente muito bonitinho, aquela visão aérea muito padrão em jogos de RPG antigos e em gráficos simpáticos que não são pixelizados mas tem um certo charme na coisa. Apesar de tudo as animações são meio paradas, mesmo assim você consegue notar que foram feitas com um carinho especial da equipe.

Mas apesar de tudo, tenho que assumir que não me apaixonei pelo jogo e isso graças a lentidão da coisa. A linguagem dos personagens por exemplo não pode ser lida, você só vê um monte de símbolos. Isso é interessante, mas fica cansativo quando você tem que apertar mil vezes o botão de passar diálogo que não se pode ler, e ainda esperar o personagem se mover lentamente em cinemáticas infernais que não param de acontecer e novamente falar algo que você não compreende. Isso me frustrou com o jogo.

Enfim, acho que essa é uma daquelas obras para o momento certo, Wanda - A Beautiful Apocalypse é um jogo charmoso sem dúvidas mas para quem não está em clima de lentidão, definitivamente tem que deixar esse para outra hora. Vale a pena dar uma conferida no site da G2A, pois lá eles costumam vender keys da steam por um valor bem mais barato que na própria steam e ainda aceitam boleto bancário. Dê uma conferida aqui.

Um comentário:

Rian disse...

Isso me lembro que ainda preciso terminar aquele Undertale.