Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

segunda-feira, 30 de junho de 2014

The Leftovers - 2% da população mundial desaparece do nada na trama dessa série da HBO

Bom, antes de tudo eu acho que é bom eu falar um pouco sobre LOST, porque essa série realmente tem tudo a ver. Uma coisa que eu tenho que dizer logo é que eu amo LOST, e eu sei bem que um monte de gente vai se contorcer só de ler isso, afinal de contas quando uma coisa é popular demais e carrega uma quantidade enorme de fãs, obviamente acaba também gerando um monte de pessoas que odeiam. Mas LOST foi uma série que eu realmente me apaixonei, o principal argumento que colocavam é que a série era uma porcaria porque não acabava nunca, e não dava as respostas, algo que acho bem injusto, afinal de contas tem séries aí com muito mais temporadas e o povo nunca usa esse argumento de nunca acabar, e quanto a respostas, eu acredito que o maior atrativo era exatamente o fato de não responder de cara as coisas, e sim demorar, eu gostava de sempre querer saber o que viria depois e quando finalmente conseguir uma respostas, muitas outras surgirem.

No começo de LOST a história era bem simples e clichê, pessoas indo parar em uma ilha e tendo que sobreviver, mas depois as coisas começaram a ficar cada vez mais sinistras ao passarem a aparecer as coisas da ilha, que antes pareciam ser só monstros, mas se mostraram bem mais. Um outro detalhe que nem todo mundo sabe, é que episódios em geral de LOST você tem que ficar atento e depois pesquisar sobre, isso porque grande parte das informações passadas não são "filtradas" e por isso a pessoa tem que ir atrás e entender certos assuntos falados ali. Todas aquelas teorias, e coisas envolvendo impacto entre dimensões, travessias no tempo e aquele toque de terror com as aparições me deixaram fascinado.

Mas enfim, LOST terminou, eu fiquei triste com o final da série, muita gente amou, muita gente odiou, mas realmente me deixou marcado tudo aquilo. E obviamente o sucesso que fez aquele seriado foi cobiçado por outros, e assim surgiram logo outras séries tentando pegar de alguma maneira a fórmula e muitas já dizendo serem o "Novo LOST", entre elas estava Heroes, que chegou em 2006 (Dois anos após o início de LOST) e dizia que seria uma série cheia de reviravoltas e mistérios e iria tomar o lugar.

É claro que Heroes foi aclamado por muita gente, mas ta aí uma série que eu achei uma verdadeira desgraça, ela mostrou bem que não basta reviravoltas para prender o público, é preciso aplicar coisas interessantes. Em Heroes TODOS os personagens já foram do bem ou do mal, simplesmente todo episódio alguém mudava de personalidade, "Ai agora vou ser do bem, não, ai agora vou ser do mal...", por exemplo quando os irmãos estão lutando contra o pai que quer registrar todos os mutantes... Eles lutam pra cacete e quando chegam finalmente lá, um dos irmãos DO NADA diz que ele agora é que quer registrar todos os mutantes e vira o novo vilão, DO NADA, é a maior bagaceira, e a vadia que se regenera? Só porque ela se regenerava, começou a pular de vários metros de altura pra ver se morria, claro né? Isso sem contar que todo santo episódio tinha que acontecer alguma coisa que "matava" ela como o cara de um time vir correndo com muita velocidade e esbarrar nela, fazendo-a cair e girar a cabeça inteira pra trás. E claro, tem também a outra maluca lá que tem dupla personalidade sendo que uma é boa e a outra é a malvada que era sua irmã gêmea que morreu, mas aí a boa morre e a malvada fica no lugar, porém a malvada morre também e o que acontece??? CHEGA A TERCEIRA IRMÃ GÊMEA QUE TAVA PERDIDA! Dá pra acreditar que os caras colocaram isso? Não preciso nem citar as falhas de roteiro né? E nas apresentações dos atores nos inícios de temporadas vemos uns dizendo "O que deixa todo mundo viciado em Heroes é que você não imagina o que vai acontecer, é sempre uma surpresa!", bom em uma coisa eles tem razão, aquela desgraça sempre surpreendia na tosqueira!

Mas enfim, veio Flash Forward em 2009 e ela prometia ser a "nova LOST", realmente desde o início você vê que o clima é muito intenso. A ideia da trama foi espetacular, mostrando a população inteira do mundo desmaiando por 2 minutos e 17 segundos, e durante esse tempo todos viram seus futuros seis meses na frente. A partir daí começou o mistério e claro isso sim foi algo a nível de LOST, pois todo mundo queria saber o que estava acontecendo, e ajudava ainda mais o fato de que um personagem importante de Flash Forward era interpretado pelo mesmo ator que assumiu o papel de Charlie, um dos mais marcantes personagens de LOST. O problema da série foi que o mistério acabou se concentrando muito no primeiro episódio, e os episódios seguintes foram concentrados demais no estilo "polícia e ladrão" com o personagem principal perseguindo sem parar os bandidos... Como houve uma verdadeira grande expectativa nessa ser a nova LOST, obviamente haviam muitos fãs, que acabaram desistindo de ver, a audiência desabou e como os americanos são putinhos, cancelaram a série e não deram fim a bagaceira, ficou por aquilo mesmo.

JJ Abrams foi quem assumiu todo o crédito por LOST, e o cara realmente fez uns trabalhos muito bons e divertidos pra caramba, como Super 8 e Star Trek, mas nada me encantou tanto, mas também com um par de séries canceladas lançadas pelo cara, eu comecei a desencanar e ele saiu da minha lista de favoritos, lançando obras que já não me animavam mais nem um pouco, como Believe. Só que como falei, ele ganhou os créditos por LOST, mas no fim das contas haviam diversos escritores em cima daquilo, entre eles estava Damon Lindelof, que foi co-criador e produtor executivo.

Mas bom, eu falei tudo isso porque a primeira vez que ouvi falar sobre The Leftovers foi de uma forma muito inesperada, estava eu conversando com dois amigos que estavam esperando para assistir um episódio da quarta temporada de Game of Thrones na HBO Brasil, quando simultaneamente os dois me perguntaram se eu estava esperando The Leftovers e achei esquisito acontecer ao mesmo tempo, e logo descobri que é porque estava passando o comercial, e logo me explicaram do que se tratava a série que eu não conhecia. Eu fiquei surpreso porque era uma série da HBO prestes a lançar e eu realmente amo essa emissora, é a única que eu faço questão de ficar procurando sobre o que vai ser lançado depois e gosto mesmo de cada série que vejo. Mas eu nunca tinha ouvido falar da que eles me contaram.

Logo um dos meus amigos me disse que era do criador de LOST e meu pensamento seguinte foi "O criador de LOST? O JJ Abrams?", mas não, ele se referia ao Damon Lindelof, que por acaso usou isso como propaganda da série. Claro que isso despertou uma chama em mim e uma esperança de poder finalmente ver algo semelhante, ter aquela sensação única que cada episódio me trazia, e ainda feito pela minha emissora favorita. Essas duas fórmulas Criador + Emissora já me fizeram pensar em algo único, isso porque diferente de Flash Forward, The Leftovers não era algo feito por outra pessoa que prometia fazer o mesmo de LOST, mas sim algo que veio de um dos próprios co-criadores, e por outro lado, tratava-se de uma série da HBO, ou seja a emissora que se preocupa muito mais com a premiação do que com a audiência, além de gastar pesado na produção. Minha cabeça quase explodiu na hora hehehe.

Claro, eu também não pude evitar de ficar feliz com o fato de começar a ser transmitida junto com True Blood, afinal de contas sempre fui acostumado a ver uma série da emissora por vez, até então o esperado era na sequencia True Blood, Boardwalk Empire, Game of Thrones, True Detective, e então novamente True Blood, mas pela primeira vez me vi com uma série extra para assistir simultaneamente, algo simplesmente maravilhoso!

Não consegui resistir e acabei assistindo o Making Of do seriado antes de ver o primeiro episódio, algo que eu me arrependi depois, pois tem certas declarações dos atores que eu realmente gostaria de ter visto acontecer, isso sem contar com certas cenas que são apresentadas, realmente eu deveria ter esperado para assistir, mas de qualquer forma valeu a pena porque eu pude também ver certas coisas interessantes faladas de forma mais profunda sobre, entre elas as teorias, o que já deixou claro que a série foi realmente criada na espera de ver as pessoas gerando teorias, e com vários pequenos detalhes que parecem ser apenas algo qualquer, mas depois mostra que é muito mais.

A história apresenta um evento estranho acontecendo no mundo inteiro, 2% da população mundial desaparece repentinamente sem deixar rastros. Ninguém sabe o que aconteceu e uma verdadeira revolta começa, pessoas com medo, tristes, frustradas, as mais variadas emoções surgiram em cima disso, e  trama passa três anos depois mostrando como o mundo ficou e como muitos ainda buscam por respostas e tentam achar alguma explicação.

Uma série de teorias é apresentada de cara no making of, no meu caso eu sempre acabo pensando na versão religiosa da coisa, ou seja quando eu vi que dois porcento se foram, a primeira coisa que pensei foi no arrebatamento, que para quem não sabe é a crença que alguns tem sobre Jesus voltar, levar uma certa quantidade de pessoas para o céu e os que ficarem terem que enfrentar o jeito que o mundo ficou. Mas uma coisa interessante é o making of já se preparou bem para as várias teorias mais "óbvias" e apresentaram além dessa, várias outras, como por exemplo o impacto entre duas dimensões, que por acaso já me lembrou na hora Fringe, e me fez pensar nas várias possibilidades, realmente a equipe estimula a imaginação das pessoas.

Essa é uma série com vários personagens e várias formas de reagir ao ocorrido, em geral são muito bem construídos, por exemplo tem um reverendo que fica frustrado com aquilo porque ele não crê que era o arrebatamento, e tem raiva de quem pensa assim, afinal de contas ele se vê como merecedor, então como diabos aquele poderia ser o arrebatamento, se ele não foi levado? Graças a isso ele passa a investigar as pessoas levadas e provar que elas eram pessoas más e não teria lógica aquilo.

O mundo também mudou, há por exemplo um culto que surgiu e que por algum motivo eles não usam palavras, ao invés disso escrevem, se vestem de branco sempre e fumam sem parar por algum motivo. As pessoas ficam nervosas com esse culto e ele faz manifestações de forma silenciosa, mas que é o suficiente para causar a fúria de todos.

Os episódios apresentam os personagens aos poucos se interligando e costumam usar também técnica de flashbacks, porém não grandes como em LOST, aqui são apenas linhas de pensamento, ou seja quando um personagem pergunta algo para o outro, rapidamente é mostrada uma cena que se auto explica, e então é que é mostrado o que o personagem tem a falar sobre aquilo.

Existe um clima tocante que gostei muito, você consegue sentir a atmosfera que ficou no mundo após as pessoas serem levadas, parece que a qualquer momento as pessoas vão estourar e começar a se atacar, além das cenas em que mostra claramente que tudo isso vem a partir da tristeza, algumas vezes dá um baita de um aperto no peito, algo que também era bem constante em LOST.

Há um toque de mistério, é claro, tem muitas coisas um tanto intrigantes, como o personagem que tem algum tipo de poder e é capaz de aliviar as dores das pessoas, ou o personagem que simplesmente começa a matar cachorros aparentemente sem razão. E claro, diálogos que te fazem pensar, como quando um personagem pergunta ao outro se está sonhando e o outro responde com algo que te faz ficar refletindo sobre o que ele quis dizer com aquilo.

Enfim eu poderia escrever muito mais sobre a série, mas acho que o mais adequado é assistir, mas já aviso, o primeiro episódio não é tão empolgante quanto LOST, mas espere um pouco, não desista de primeira, esse tipo de série precisa esquentar primeiro, ou vai dizer que foi tão empolgante assim o primeiro episódio de LOST onde só mostra o avião caindo e o povo correndo? Vale a pena dar uma chance, é a HBO afinal!

3 comentários:

pierrot disse...

Essa série vai casar com o Deixados para trás, protagonizado por Nicholas Cage, que sai ainda esse ano.
Olhando pelo ponto de vista profético, é um tremendo engano esse negócio de arrebatamento secreto. Para efeito de deixar claro a questão do arrebatamento, uma vertente que me parece mais coerente é que ele vai acontecer só depois que o Anticristo vier e governar o mundo e ai depois vai ser quando acontecer o momento da volta do Messias.

jonathan Ferraz disse...

cara vi o 1 episodio e achei muito boa a serie, espero acompanhar ela e ir lendo suas considerações a respeito de cada episodio.

Aide Hernández disse...

Esta série é diferente do que vimos no Perdeu algum e decepcionado comparar e decidir de uma vez e não ter uma chance em The Leftovers é uma série muito interessante e suspense