Fallout 4 foi acusado de causar tiroteio em escola nos EUA

Todos sabem do problema que o mundo enfrenta em relação a atiradores de escola, que surgem através de coisas variadas, indo desde estresse extremamente alto fruto de Bully até verdadeiros serial killers. E ao longo dos anos, é um horror que de tempos em tempos acaba aparecendo, com muitos inocentes mortos ou feridos e um grande trauma ficando em todos. Nessas ocasiões é bem comum a mídia imediatamente relacionar o ocorrido a video games. E não poderia deixar de ser diferente no caso Ethan Crumbley, de 15 anos, que fez um ataque no final de 2021.

Em 26 de novembro de 2021, um homem chamado James Crumbley decidiu dar o presente de natal antecipadamente a seu filho Ethan. Era uma pistola SigSauer semiautomática de nove milímetros. E assim o menino começou a se gabar nas redes sociais, chamando a arma de "nova belezura". E no dia seguinte apareceu a mãe testando junto com o filho a nova arma.
Nas voltas às aulas do Dia de Ação de Graças, o menino foi pego pelo professor e estava buscando por munição de arma de fogo. E avisou a mãe, a forma que a mulher agiu foi mandar uma mensagem para o menino escrito “LOL [gargalhadas]. Não estou zangada com você" e “O que você tem que fazer é aprender a não ser apanhado”. O garoto também publicou nas redes sociais: "Agora me tornei a morte, o Destruidor de Mundos. Vejo vocês amanhã Oxford".
 
Essa frase usada por ele veio do Bhagavad-Gita, que é um texto sagrado hindu. Mas acabou se popularizando no Ocidente durante a época da segunda guerra mundial, quando Robert Oppenheimer, o responsável pelo Projeto Manhattan, a disse para se referir à sua terrível criação, a bomba atômica, que tinha acabado de ser detonada em 1945.

No dia seguinte um professor achou um desenho em um bilhete do menino em que tinha uma pistola, uma pessoa ferida e um emoticon sorrindo com as frases "Sangue por todo lado", "Os pensamentos não vão parar" e "Socorro". A diretoria chamou os pais e pediu que eles procurassem ajuda profissional para o filho.". Mas os pais se recusaram a tirar o garoto da aula naquele dia e também não revistaram ele. E 12:50 Ethan entrou no banheiro e saiu empunhando a arma, atirando em todo mundo.

Foram um total de 30 tiros disparados, e o resultado foi a morte de quatro adolescentes, Tate Myre, de 16 anos; Madisyn Baldwin, de 17; Justin Shilling, de 17, e Hana St. Juliana, de 14. Além deles, também tiveram sete pessoas que foram baleadas e ficaram feridas. Só então conseguiram dominar o menino e impedir que ele continuasse matando.

É lógico que isso causou um falatório imenso ao redor do mundo, pois desde o Massacre de Columbine, em que dois jovens atiraram em uma escola e ficou como destaque. E claro, logo se pensa nos motivos e gostos desses jovens, incluindo video games, coisa que inclusive já foi representada nos próprios jogos como é o caso daquele bizarro simulador de atirador de escola. E o noticiário Inside Edition, decidiu apresentar o ocorrido da seguinte forma:

"Um post de Ethan Crumbley declara "Agora me tornei a morte, o Destruidor de Mundos. Vejo vocês amanhã Oxford". A citação pode ser encontrada em um sangrento jogo.

 

O jogo em questão é nada menos do que Fallout 4 e o jornal simplesmente ignora o fato de que a frase foi usada em inúmeras mídias antes de ser usado na obra da Bethesda e o fato de ter ainda deixado o "Sangrento", fez ficar aquela sensação de que teve alguma inspiração ali para que o massacre fosse feito. Isso revoltou muitos gamers, apesar de também ter quem concorde de que rolou uma influência.

Os pais do garoto também foram presos com a acusação de facilitarem pro garoto (foto ali em cima). Não é a primeira vez que jornais fazem esse tipo de coisa e inclusive no Brasil tem uma certa frequência. No mundo inteiro existem movimentos anti-video games e frequentes manifestações sobre obras brutais indo parar nas mãos de crianças ou proibição. Tem até uma lista de jogos banidos ao redor do mundo. E vocês, concordam que rolou influência de jogo para o que aconteceu? Ou acham que é puro sensacionalismo?

Postar um comentário

0 Comentários