Fãs de Magic tentaram fazer NFTs de cartas e receberam a carta... DO PROCESSO Ò_Ò

Não é surpresa que fãs tentam fazer suas próprias coisas usando as franquias que adoram. No entanto não é surpresa quando a empresa não gosta do que estão fazendo e entra em ação pra parar. É só ver o youtuber que tomou 3500 strikes da Nintendo, e embora tenham muitas empresas que apoiem criações, tem certas coisas que acabam passando do limite. E esse foi o caso de um grupo de fãs de Magic que queriam criar uma nova categoria com NFTs.

Para quem não sabe, NFTs são versões digitais definitivas de alguma coisa. Ou seja, mesmo que copiem essa coisa, a primeira é considerada a oficial, tendo valor que pode aumentar ou diminuir, dependendo de sua história. Por exemplo, se uma pessoa famosa tiver um NFT e usar como perfil do Twitter, e um dia essa pessoa falar "Estou vendendo minha foto de perfil", ele vai causar muito mais interesse e gerar mais valor, pois quem passar a usar, vai ter registrado que é AQUELA imagem oficial. Agora se for alguém desconhecido, pode não valer nada, porque ninguém quer comprar. Eu fiz uma matéria explicando NFT de forma super fácil.

E tudo começou quando a organização autônoma mtgDAO, teve a ideia de criar NFTs de cartas de Magic. O objetivo era provar que o dono tinha mesmo a propriedade e serviria tanto para versões físicas quanto a dos jogos digitais. Dessa forma poderiam criar uma nova modalidade de jogo focada em cartas NFT e descreveram assim a coisa:
“Para poder jogar com uma carta no formato mtgDAO, os jogadores precisarão mostrar a prova de propriedade de um NFT para cada carta em seu baralho. Para jogar o game, os jogadores precisarão possuir o NFT referente à carta e também possuir efetivamente a carta que será usada.”
 
“Não estamos criando NFTs licenciados pela WotC, apenas adicionando uma camada adicional de escassez para poder jogar as cartas da Wizards em um novo formato. Os jogadores precisarão da carta real para jogar legalmente o jogo, seja de papel, na Arena ou no MTGO.  
 
"Os NFTs não são destinados a estabelecer a propriedade do card, apenas serão usados para permitir que essa carta seja jogada no formato mtgDAO. Não estamos construindo um software de jogos ou imprimindo cópias de cards oficiais.”

Porém o que eles esqueceram, é que com isso, criavam um mercado fora de seu controle. E alguém poderia só vender a carta como NFT pra outra pessoa. Ou seja, essa nova "camada adicional de escassez" também tornava uma nova área de venda de cartas completamente fora das mãos da Wizards of the Coast, detentora dos direitos. E assim receberam a seguinte cartinha:
“Vocês parecem estar operando sob a suposição equivocada de que o projeto seria legal porque permitiria a reprodução de cartas Magic na forma de NFTs apenas por um jogador que já tivesse comprado um card físico, no Arena, ou no MTGO. Isso não está correto.

É direito exclusivo do proprietário dos direitos autorais reproduzir o trabalho protegido por direitos de propriedade intelectual, como uma carta Magic, em qualquer formato. Embora haja uma exceção na lei de direitos autorais (dos EUA) para fazer um backup ou uma cópia de ‘arquivamento’ em algumas circunstâncias, esse privilégio se estende apenas a programas de computador e não a outros tipos de obras”

O grupo pareceu ficar confuso e fizeram uma analogia a um Clube do Livro, dizendo que não é como se estivessem dando ou pegando os direitos da coisa, mas apenas chamando pessoas para levarem suas próprias cópias.

“Não sei nada sobre lei de direitos autorais, então estou tentando não discutir muito, mas dizer que os NFTs do mtgDAO são uma violação de propriedade intelectual não é óbvio para mim.”

E assim a coisa esfriou... Não é a primeira vez que empresas intervêm especialmente pelo lucro sendo feito por ali. Um exemplo é o caso do Modder que a Crytek ameaçou processar se não tirasse o mod foto, isso porque ele comercializava a coisa. Mas apesar de tudo, existem casos que são bem o contrário, e empresas que tomam processo, como a Epic processada pelo ator do Maluco no pedaço, por usar uma dança que ele fazia no programa, ou a Bethesda sendo processada por cantor, por ter usado uma música que ele vendeu, mas não sabia que o jogo era violento e isso manchou sua imagem e por isso queria um milhão de dólares.

Postar um comentário

0 Comentários