A discreta vida e morte de Kentaro Miura (autor de Berserk)

Sem sombra de dúvidas uma das mentes mais influentes do universo dos mangás, foi Kentarō Miura, mangaká japonês que criou fãs ao redor do mundo, introduziu muita gente no mundo dos mangás e causou amor e frustração com sua mais importante obra, Berserk, com suas demoras intermináveis e decisões da história que fazia os fãs levarem para o lado pessoal e irem aos fóruns de discussão debater, com publicação em vários idiomas, inclusive dezenas de volume em português. No entanto para alguém tão influente, Miura faleceu exatamente do jeito que viveu... De forma discreta.

Kentarō Miura nasceu em Chiba, Japão, em 1966 e sendo um filho dos nos anos 60, fazia parte da geração X, a segunda geração após a segunda guerra mundial e naturalmente crianças muito mais esperançosas e com menos temor, onde aquele horror parecia um passado distante e a cultura pop fervia no mundo inteiro. Aquela era a década de ouro de Osamu Tezuka, o pai do mangá moderno, criador de Astro Boy, Dororo, Kimba e considerada a pessoa que moldou os moldes que hoje tanto conhecemos. E é claro que Miura cresceu vendo isso.
Aos 10 anos de idade, ele finalmente criou seu primeiro mangá para divulgar entre os amigos da escola, era algo que fazia referência ao seu próprio nome, era algo simples, feito em lápis mesmo e fruto de seus esforços para desenhar desde os 7 anos de idade. A coisa foi um sucesso entre as crianças do ensino fundamental, gerando nada menos do que 40 volumes!

Aos 11 anos de idade, em 1977, ele deu um passo a mais e abandonou o lápis para criar algo com uma aparência mais elegante. Foi assim que surgiu Ken e no michi (剣 へ の 道 O Caminho para a Espada), que usava técnicas de nanquim e por isso o visual era bem mais chamativo. Apesar de ainda não ser profissional, já era algo que indicava a evolução do autor e vontade de melhorar.
E apenas dois anos depois, um novo salto aconteceu. Com 13 anos de idade, em 1979, Miura já olhava a coisa de forma bem técnica e as aplicava com uma seriedade maior. Com isso, teve ajuda de amigos para publicar um Dōjinshi pela primeira vez. Essas são publicações independentes e que no caso saiu em uma revista independente feita por eles mesmos três anos depois, em 1982, quando ele tinha 16 anos.

Nessa época, ele já participava de um ciclo de amigos que também faziam mangás e se matricularam em algo da escola que permitia que os alunos publicassem coisas em livretos escolares. Ao atingir a maioridade, aconteceu algo curioso, ele foi chamado para ser assistente do mangaká George Morikawa, que fez Hajime no Ippo, mangá de boxe que inclusive recebeu uma animação. Porém a coisa não durou muito, pois assim que Morikawa notou o nível de Kentaro, disse que não seria capaz de ensinar nada que ele já não soubesse e por isso o dispensou.

Para entrar na faculdade, em 1985 enviou um projeto chamado Futanabi para a Universidade de Nihon e essa obra fez com que ele fosse admitido no lugar, mas além disso, também o fez receber o título de "Melhor Novo Autor no Revista Shōnen semanal". Nessa mesma revista iniciou sua saga com a primeira série em mangás, uma obra chamada Noa, que não funcionou e foi cancelada.

E em 1989 finalmente foi quando a marca do autor começou a dar uma engatinhada. Após publicar um one-shot em um universo de fantasia sombria inspirado por Violence Jack, ele foi convidado para serializar a coisa na Monthly Animal House de Hakusenshaem. E ali começou a publicação do universo de Berserk, que apesar de tudo, não foi um estouro de imediato.
Em 1990 foi quando saiu o primeiro volume de Berserk, que juntava vários capítulos em um só lugar e portanto fez algumas pessoas resolverem dar uma olhada. A coisa chamou um pouco de atenção. Nesse mesmo período, o autor chegou a publicar um outro mangá chamado Ourou Den (王 狼 伝ōrō den, A Lenda do Rei Lobo). Porém a fama de Guts do jeito que conhecemos só passou realmente a tomar um empurrão quando a serialização mudou  para a Young Animal em 1992.

Aí sim a coisa realmente andou na vida do autor. Ele teve o orgulho de ver uma obra sua virar anime em 1997, em que supervisionou o anime de 25 episódios. Foi nessa época que o nome de Susumu Hirasawa passou a ser associado a Berserk, dando uma atmosfera mágica e sombria única à coisa, apesar dele não ter sido responsável pela abertura um tanto inusitada.
 
Certamente o anime foi o que fez a atenção mundial ser chamada. Apesar do final dos anos 90 o mundo não se ter um acesso tão fácil a obras japonesas, especialmente ultra violentas, a era da internet começava a arranhar e algo assim se destacava facilmente. Um mundo tão impetuoso, onde os heróis não se davam bem sempre e o horror e forte sensação de conexão com os personagens eram constantes.

Já em 1999, Berserk mergulhou no mundo dos video games de uma forma robusta no quesito história, mas que passou de maneira tão discreta que até hoje nem todo mundo sabe que o jogo de Dreamcast Sword of the Berserk: Guts' Rage tem uma história exclusiva, que realmente se encaixa em uma das jornadas do mangá.
Claro que há muitas outras coisas que o mundo ocidental simplesmente não pôde contemplar, como por exemplo Berserk Card Game, lançado apenas em terras japonesas em 2003, e os fãs tiveram que se contentar com suas próprias obras, indo desde o estranhíssimo jogo Berserk Kids, até aquele curta metragem The Black Swordman, de um tão sonhado filme em live action. Ou as próprias adaptações como Berserk Motion Comic.

Infelizmente, apesar do sucesso mundial, Kentaro Miura sempre foi uma pessoa discreta demais e os fãs simplesmente não sabiam o que estava acontecendo. As próprias fotos do cara são limitadas na internet, tendo pouquíssimas aparições e entrevistas. Sempre rolando alguns curtos comentários e naturalmente fazendo teorias estranhas surgirem.
Por exemplo quando ele comentou no fim dos anos 90 sobre estar aproveitando Mario Kart e as pessoas começaram a falar que ele tinha abandonado Berserk pra fazer isso, mas o ápice foi em 2008, quando durante o início de um hiato de Berserk,  tinha também uma área da revista Young Animal em que cada autor da revista fez um pequeno comentário, e o de Kentaro Miura foi sobre ele ter comprado The Idolmaster.

The Idolmaster é um jogo no estilo visual novel publicado pela Bandai Namco e coloca o jogador no papel de um produtor responsável por um grupo de Idols (aqueles grupos de meninas japonesas com roupas fofinhas, tipo como vimos em Gokudolls). No Japão, pegaram isso e publicaram na internet falando que ele tinha desistido de Berserk pra jogar Idolmaster e o resultado é que seu nome passou a ser associado à franquia.
A velocidade de publicação foi diminuindo com o passar dos anos. Enquanto levou três meses para sair o Volume 2 de berserk, em fevereiro de 1991, os fãs tiveram que esperar quatro anos entre o volume 37 de 2013 e 38 de 2017. O autor não se manifestava e ninguém sabia o que estava acontecendo. Mas foram muitas as vezes em que ele dizia que ia voltar e parecia se empolgar, porém logo desanimava.

Diversas maneiras foram tentadas, inclusive lançar mensalmente com menos coisas ou semanalmente, mas sempre entrando em um novo hiato pouco depois. Chegou a um ponto em que ele publicou apenas meio capítulo de Berserk e a evolução da história era extremamente pequena. A pressão dos fãs passou a ser gigantesca.
Eram muitos detalhes, desde os traços que mudaram com o passar dos anos, ficando mais semelhantes aos da indústria atual, até a história com um estilo não tão desesperançoso e com um grupo de personagens também semelhante ao de mangás padrões, onde não se imagina que alguém pode morrer de verdade ali.

Esse tipo de mudança atraiu novos públicos, mas também gerou críticas pesadas. Em fóruns de discussão, fãs vão à loucura, exigindo bastante. E ao longo de três décadas, uma preocupação que começou a surgir foi exatamente a morte de Kentaro Miura. Ele estava ficando velho e a história evoluía pouco.

Em 2019, ele comentou que a obra estava entrando no arco final, mas não dava para saber exatamente o que seria isso, já que o ritmo dele estava lento há muitos anos. E assim a coisa se manteve lenta, com lançamentos pequenos de capítulos e longas demoras. Sem muitas explicações para os leitores ou sobre o que acontecia na vida do autor.

Em 6 de maio de 2021, Kentaro Miura faleceu de insuficiência cardíaca. Apesar da longa jornada, era bastante novo, ainda mais para os padrões japonesas. Tinha apenas 54 anos de idade e poderia ter ido muito além. Talvez nunca saibamos o que acontecia na vida dele, sempre foi reservado demais. Não dá pra saber como lidava com a pressão da coisa.

Apesar de tudo, nada foi dito sobre a morte do autor até a madrugada de 20 de maio de 2021, duas semanas depois... Somente então a revista Hakusensha publicou a informação e uma nota na edição. A mensagem no twitter foi:

[Relato da morte do professor Kentaro Miura]  
 
O Dr. Kentaro Miura, autor de "Berserk", faleceu em 6 de maio de 2021 devido a uma dissecção aguda da aorta. Gostaríamos de expressar nosso maior respeito e gratidão ao trabalho de pintura do Dr. Miura e orar por sua alma.

É... Uma droga ein galera? É aquele tipo de pessoa que quando você é fã, acaba criando uma ligação com o autor, ainda mais alguém assim, passa a fazer parte de sua vida de alguma maneira. Muito se falava sobre ele estar envelhecendo e que poderia morrer sem terminar, mas aos 54 era novo demais para isso. Que descanse em paz.


Postar um comentário

0 Comentários