Star Wars Guerras Clônicas | Uma pérola esquecida no tempo

Todo mundo sabe que em meio à variedade de subprodutos de Star Wars, é fácil acabar perdendo algo. No entanto existem algumas coisas que conseguem surpreender por terem aberto um verdadeiro buraco e entrado dentro. Uma delas é a mini-série Star Wars Guerras Clônicas, lançada em 2003 e desaparecida por uma série de fatores, mas ainda assim empolgante e fantástica.

A história se passa logo após os acontecimentos de Star Wars Episódio II: O Ataque dos Clones, que dá uma introdução em como o cenário para as guerras clônicas foi montado, no entanto apresenta apenas a primeira batalha entre clones e droides de combate em Star Wars Episódio III: A Vingança dos Sith, acontece um salto temporal. Essa série foca na série de acontecimentos que rolaram bem no meio.

A primeira citação às Guerras Clônicas aconteceu em Star Wars Episódio IV: Uma Nova Esperança, e foi uma coisa bem rapidinha em que Ben Kenobi diz que participou. Me pergunto se o George Lucas ao menos sonhou que esse trecho iria ser base pra tanta coisa, pois a quantidade de subprodutos do Episódio 2 expandindo essa guerra foi cabulosa.

Não estou falando apenas do Star Wars Trading Card Game, que a principio era uma simulação apenas das Guerras Clônicas, mas sim de obras como Republic Commando, que te coloca no controle de um esquadrão de clones em missões táticas e claro, o próprio "A Guerra dos Clones", série que é frequentemente confundida com essa aqui, mas é na verdade um reboot e o sucesso foi tanto que continuou sendo lançada mesmo depois do fim da terceira trilogia.

Então o que aconteceu foi, chamaram o animador Genndy Tartakovsky para fazer algo com seu estilo no universo de Star Wars. Ele ficou conhecido por obras como O Laboratório de Dexter e Samurai Jack. E assim fez algo com aquele visual no universo de George Lucas, o que naturalmente causou uma certa estranheza, mas rapidamente encantou.

A obra é dividida em dois volumes, o primeiro eram pequenos episódios de 3 a 5 minutos que passavam na Cartoon Network de forma rapidinha. De repente aparecia um episódio. O total é de mais ou menos uma hora de animação, então tinha uma penca de episódios que se complementavam. Já o volume 2 é como se fosse um filme animado, com algo bem mais contínuo.


Algo que destacou demais essa obra foi mostrar o poder absurdo dos jedi. Se todos ficaram impressionados com o exagero de Star Wars The Force Unleashed, essa aqui provavelmente foi a grande obra que deu o empurrão para algo assim acontecer. Quero dizer, sim... Já tínhamos visto esse potencial exagerado como em Jedi Outcast e mesmo a super velocidade mostrada em Star Wars Episódio I: A Ameaça Fantasma, mas aqui a coisa vai a outro nível.

Enquanto no Episódio II, o Mestre Yoda é apresentado segurando uma imensa estrutura de metal com a força, aqui ele manipula duas naves gigantes e faz com que se colidam. Mace Windu enfrenta um exército de droides sozinho e diversos jedi que aparecem apenas como coadjuvantes nos filmes são apresentados com uma atenção maior aqui.

Infelizmente, antes mesmo da Disney comprar a franquia, a Lucas Arts tornou a série não canônica. Isso porque em 2008 foi lançada a conhecida animação em 3D, Star Wars: A Guerra dos Clones, que naturalmente confunde quando se fala da "Série dos clones de Star Wars", deixando essa ainda mais apagada. Provavelmente viram o potencial da coisa e que podia ser muito mais que uma mini-série e era possível aprofundar os acontecimentos, e pra ter maior liberdade, eliminaram a Clone Wars de 2003.

Então, apesar de ter sido chutado do universo oficial, ainda assim é uma obra que pode trazer muita diversão. Mesmo com os elementos tão cartunescos, a atmosfera é ótima e muitas vezes consegue ser um tanto pesada, especialmente nas que mostram os conflitos de Anakin e a implacabilidade do General Grievous, que é um personagem que detesto, mas que ainda assim ficou assustador aqui. Tirem um tempo pra assistir!

Postar um comentário

0 Comentários