Ergo Proxy - Um anime realmente sério!

Hoje vou falar sobre um anime que foi um verdadeiro prazer assistir, fiquei admirado em como foi bem feito.

História

Em um mundo onde o meio ambiente fio destruído, existe a cidade de Romdo, um local moderno e isolado do resto do mundo onde as pessoas vivem em segurança e muito conforto na presença de andróides nomeados de Autoreivs, no entanto a paz da cidade começa a ser abalada quando um vírus que infecta Autoreivs surge, fazendo que esses passem a ter consciência de sua existência e cometam assassinatos.

Sobre o anime

Eu me apaixonei por Ergo Proxy de primeira, simplesmente um anime espetacular que considero uma verdadeira pérola em meio a um mar de animes iguais e forçados. À primeira vista o anime pode lembrar Ghost in the Shell, no entanto após alguns episódios ele segue o seu próprio rumo, mostrando identidade própria.

Eu adorei como a cidade de Romdo é mostrada, com todos os humanos acompanhados por um Autoreiv que é praticamente um smartphone que anda, em geral eles devem servir seus humanos e auxiliá-los no que precisarem, inclusive defendendo-os caso entrem em perigo. Quando o vírus chamado Cogito começa a infectar Autoreivs, logo surgem diversos boatos sobre ele, mas o principal é que os robôs passam a ter uma alma, isso porque não apenas servem, mas tem sentimentos, questionamentos e decisões próprias, muitas vezes não tendo que ser escravos puramente da lógica como são. Os humanos podem pedir qualquer tipo de informação a Autoreivs, inclusive conselhos, por isso eles conversam e tem opinião própria, mas a qualquer momento podem ter seus aplicativos desligados, por exemplo o de fala, fazendo com que calem a boca e parem de opinar hehehe.

O mundo de Ergo Proxy é incrível, sempre que penso nele eu imagino muita ventania e ferrugem, o ambiente externo é muito destroçado e triste, existem humanos que vivem lá fora mas em condições terríveis de vida, alguns catam lixo, outros vivem em locais tão poluídos que seus corpos já não conseguem mais viver fora dali. Graças a esse mundo feio e triste eu vi algumas pessoas se referirem à obra como Cyberpunk, mas eu não lembro de ter visto nenhuma ligação entre mente e máquina, então não sei se eu consideraria dessa forma, já Biopunk eu poderia dizer que há alguma ligação pois os humanos são criados em laboratório e inclusive graças a isso o anime tem alguns pontos que se assemelham muito a Equilibrium, mostrando uma sociedade não onde os humanos tem livre arbítrio, mas onde todos funcionam como engrenagens e inclusive esse é exatamente o termo usado, como se o mundo fosse uma grande máquina e cada pessoa fosse uma engrenagem que tem um propósito, humanos inúteis não servem para essa sociedade e é assim que o lugar prospera, então no fundo eles não são muito diferente dos Autoreivs.

Os personagens são fantásticos, a história tem uma carga psicológica forte pra caramba, pegando alguns episódios exclusivamente pra mostrar personagens se questionando. Gosto de como o personagem principal Vincent é uma boa pessoa mas não aquela coisa exagerada da maioria dos animes de "Terei que salvar o mundo porque eu sou o principal!", tem cenas que ele mostra que é apenas um cara que também quer viver, com seus desejos e medos, por exemplo em uma que ele fica prestes a abandonar pessoas que o ajudaram para se salvar, o anime mostra claramente que Vincent está constrangido e ao mesmo tempo tem certa dó, mas mesmo assim quer sair dali e poder se salvar. A personagem RE-1 é outra que gostei muito, apesar de ser protagonista, ela é muito desagradável, mas não como a típica chata de anime que só quer confrontar o principal, a RE-1 tem seu jeito próprio desagradável, apenas quer chegar a seus objetivos e tem uma noção clara de certo e errado, ela é uma personagem que gosta de se meter onde não deve graças a sua curiosidade e que se sente incomodada em não ter respostas, principalmente porque enquanto investigava o vírus Cogito, encontrou uma coisa que a deixou perturbada, um monstro e ela sabe que isso é impossível, mas ela viu um mesmo assim e ficou determinada e saber o que era a coisa. A personagem Pino foi provavelmente a que mais me surpreendeu pois assim que a vi pela primeira vez eu já pensei "Ai ai ai tava demorando..." isso porque ela é uma Autoreiv criança bem fofinha então já pensei que ela seria a vontade do criador da história de colocar frescura no anime. Mas eu tomei um baita susto ao perceber que a Pino se tornou a minha personagem favorita! Ela não está ali apenas para ser uma personagem cheia de fofura, ela age como uma criança normal, pra falar a verdade incrivelmente normal, quando ela ria as vezes, eu começava a rir também porque as atitudes são exatamente as que uma menininha iria tomar, ficou muito natural mesmo. E a personagem está ali para demonstrar a inocência e o impacto entre o que é e o que não é real, se é tão importante assim a origem de alguma coisa, se é importante ser um humano para ser amado. A personagem me lembrou o David de Inteligência artificial mesmo ela não se importando em ser ou não considerada humana pelos outros, mas se torna uma personagem cativante pois por muito tempo os outros personagens simplesmente não conseguem olhar pra ela como alguém, mas sim como um objeto, agem como se estivessem sozinho e a presença dela fosse a mesma coisa de se ter um celular, mesmo com ela agindo de forma idêntica a de alguém.

O traço desse anime é massa demais e não o vi muitas vezes, pra falar a verdade eu acho que o unico anime que vi com traços como esse foi O segundo Renascer, e mesmo assim não é igual. Ergo Proxy tem um visual um tanto gótico, as coisas são escuras, tudo é muito sombrio, ficou impressionante o visual e combinou muito com o mundo feio que ele apresenta.

Enfim

Esse anime tem uma carga psicológica altíssima e alguns episódios podem te deixar perdidos, apesar disso tem muitas cenas com ação também e uma história que você acaba entendendo apesar de se sentir deslocado em certos momentos. Para o povo que curte boa história de ficção futurista ta aí uma ótima opção.

Foda demais essa abertura não acham? Ela me lembra um bocado a de Serial Experiments Lain.

Postar um comentário

8 Comentários

  1. Ah, esse aí eu acho que vou assistir.
    Não teve nem um ponto negativo, pelo menos não do ponto de vista do Sky.

    ResponderExcluir
  2. Onde baixo pra assistir em alta qualidade?

    ResponderExcluir
  3. um anime q tem o traço assim seria Deadman Wonderland, provavel da mesma produtora, nao pesquisei, mas q é um bom anime por sinal

    ResponderExcluir
  4. Sky, um ÓTIMO anime que recomendo é o Code Geass. Um anime sério com uma estória muito bem produzida. O primeiro episódio e o segundo podem não parecer grande coisa mas é demais mesmo.
    É sobre um garoto que adquire um poder ocular capa de manipular as pessoas, e, com isso, decide recriar o mundo, corrigir o mundo imperfeito onde vive. É muito bom mesmo!

    ResponderExcluir
  5. Já ouvi esse nome em algum lugar, com certeza vou conferir.

    ResponderExcluir
  6. Esse anime é muito bom ja assisti umas 3 vezes o enredo é simplesmente viciante

    ResponderExcluir
  7. Maravilhoso. Bem complexo, vale a pena assistir e prestar muita atençao no enredo porque vc pode ser perder um pouquinho. Ainda assim, é um dos meus favoritos!

    ResponderExcluir
  8. Acabei de assistir, realmente é um anime complexo, tão complexo que não dá pra entender nada do inicio ao fim, mas tem um bela animação.

    ResponderExcluir