Evil Zone - Um joguinho desconhecido de porrada!

Em 1999 meu amigo Dimitry tinha um Playstation 1 e eu sempre jogava na casa dele, às vezes íamos a uma lojinha daqui de Brasília chamada Super Games e procurávamos algo novo para comprar. Em um desses dias fomos à loja só que não achamos nada de interessante e foi então que ele decidiu levar um jogo com umas escritas em japonês e um pequeno nome escrito Eretzvaju, que virou motivo de zuação porque o nome nos pareceu um pouco... bom... erótico '-'.



Logo que começamos a jogar, percebemos que o jogo era bem diferente do estilo de luta que estávamos acostumados a ver, o jogo parecia uma mistura de algo muito bem feito com algo muito bem detalhado. Digo isso porque enquanto os combates conseguiam ser alucinantes, fazendo parecer que você estava em uma batalha de anime, com pausas para apresentações e tudo mais, havia coisas bizarras como o botão X e círculo não servirem para nada!
Todos os personagens tinham especiais diferentes, mas os botões para aplicar eles eram os mesmos, por isso não existia muita dificuldade em aprender a controlar qualquer um, o que restava mesmo era escolher um favorito.
O sistema de combate tem apresentações no meio da pancadaria, mas a maioria surge no momento certo e em um tempo rápido o suficiente para se aproveitar mas sem enrolação, por isso não fica cansativo ver as apresentações. Existiam vários detalhes legais que realmente lembravam muito animes, por exemplo se dois personagens fossem dar o mesmo ataque no momento certo, a câmera virava e os dois corriam pelo cenário um olhando para o outro, assim como acontecia coisas clichês de anime como um ficar machucado e ajoelhado no chão do tipo "Ohhh estou lascado mas usarei minhas últimas forças" e aí começa a atirar, e enquanto isso vai aparecendo o outro personagem correndo na direção dele e saltando rapidamente de um lado para o outro desviando dos tiros até chegar perto o suficiente e dar uma porrada Ò_Ò.

Há diversos detalhes pequenos no jogo que valem a pena serem vistos, como por exemplo o visual dos personagens mudar se tomarem porrada demais, como um cara que usa rabo de cavalo mas se ele tomar porrada demais o cabelo dele solta, ou a barra de vida que não vai simplesmente descendo, ela vai se despedaçando, então em certos especiais quando você vê a apresentação começar e tem pouca vida, os dois jogadores ficam naquela tensão "Será que ela vai despedaçar toda quando o ataque acontecer?" e era lindo quando se via aquela barra ser toda destroçada e aparecia um K.O. na tela, realmente empolgante hehehe.

Esse amigo meu tinha uma mania que eu também carrego até hoje, que é a de falar enquanto joga, portanto a tosqueira rolava solta enquanto controlávamos os personagens. Nós não decorávamos o nome dos personagens, apenas dávamos apelidos a eles e era os seguintes:

Danzaiver 


Esse personagem tem uma roupa igual a do Jaspion, por isso chamávamos ele de Jaspion mesmo. O cara tinha uma espada laser que permitia fatiar muito o adversário, quando ele tomava porrada demais, aparecia um buraco na máscara dele e isso era muito estiloso, ele também tinha uma pistola laser, mas sem duvidas o que nos fazia tirar um bom sarro mesmo era um dos exagerados especiais dele, que ele paralizava o adversário e fazia ele ficar levitando como se estivesse deitado olhando para cima, daí ele olhava para o céu e fazia um sinal positivo com a cabeça e a camera ia até o espaço, onde aparece uma nave espacial que aponta um canhão para a terra e dá um tiro, mas antes de chegar à terra aparece o personagem levitando mais uma vez, e nessa hora costumávamos fazer uma dublagem do tipo "Hã? O que? O que que ta acontecendo?" e BUUUUUM Ò___Ò!!! 


Setsuna Saizuki


Essa era a que chamávamos de "A colegial safada" e isso porque ela tinha uma saia que se mexia e levantava, aparecendo a calcinha dela a cada ataque, sempre a camera ia parar em baixo da saia dela de alguma forma, fosse dando contra ataque, ou soltando especial, a calcinha branca não parava de aparecer e era impossível não gerar piadas como "Nunca permitirei que você toque na minha preciosa!" entre outras tosqueiras kkkkkkkk. Essa personagem era bem interessante porque junto dela tem um espírito que sempre está segurando a mão dela, mas ele só aparece de vez em quando no combate, normalmente fica invisível, mas vez ou outra você percebe ele, isso ficou muito legal mesmo, essa personagem podia invocar umas fadinhas e mandar atacar, assim como lançar sua arma no corpo do adversário (um tipo de mini espada em forma de cruz) e depois invocar ela de volta, que se multiplicava e voltava até a mão da personagem.

Linedwell Rainrix



Esse era o porra louca do jogo, chamávamos ele de "O satanista" porque ele tem um pentagrama de cabeça pra baixo no peito e seus ataques envolviam sempre coisas sombrias como abrir um portal negro e enfiar a mão, que saia em outro portal perto do adversário, ou enfiar a espada em seu próprio estômago como sacrifício e causar dano no inimigo. Jogávamos pouco com ele, mas as piadinhas sempre costumavam envolver arrastar para o inferno ou o cafofo do capiroto.


Erel Plowse

"A PUTINHA DOS PEITÕES!" era a melhor forma que achamos de definir essa, nela colocaram peitos enormes que sempre tremem e os ataques da personagem eram bem desajeitados mas muitos eram bem safados, como por exemplo o que ela prende a cabeça do adversário no meio das coxas e então dá um giro e joga ele no chão. Nossa forma de zuar ela variava demais, como era a época da febre pokemon, fazer piadinha envolvendo a equipe Rocket era inevitável porque essa personagem tinha um ataque que dava um ataque no adversário e ele voava pro céu e fazia aquele brilhinho ao desaparecer.


Gally 'Vanish' Gregman


Esse foi direeeeeeto pra classe dos grandões que ninguém escolhia e o chamávamos de "O Berserk" porque achamos seu visual muito parecido com o do Gatz do anime Berserk, e tão pouco como jogávamos, as piadas em cima do personagem também variavam demais, a criatividade era baixa com o grandão, tanto quanto seus ataques que não tinham nada demais, só pancadas fortes.


Keiya Tenpouin
Esse era meu personagem favorito, o chamávamos de "O estiloso" porque ele se veste com terno e gravata e seus ataques costumam envolver dinheiro, como por exemplo um que ele joga uma nota que entra no corpo do inimigo e então vira uma piranha e começa a comer ele, nessa saia sempre comentários do tipo "Pegue uma esmolinha ae" e ele tem cabelo longo por isso quando ele tomava muita porrada, seu cabelo soltava, mas o gráfico do PS1 não era uma maravilha então apesar de dar para ver que ele ficava descabelado, era só uns quatro fios, daí na hora do desespero era normal dizer "Não! isso não pode estar acontecendo! Eu sou o fodão! Olhe os meus cabelos! Cada fio foi feito cuidadosamente, veja como meus gráficos são perfeitos demais para tomar porrada!". Nunca soubemos a história dele, mas levando em consideração que ele tinha pentagramas e grana, era uma teoria nossa a de que ele tinha pacto com o cão. '-'



Alty Al Lazel

Essa personagem podia manipular o fogo e às vezes aparecia um gradão de fogo em certos ataques, não lembro que apelido colocamos nela mas certamente tinha alguma coisa a ver com dragão ou fogo. Ela tinha um especial que  prendia o inimigo em um circulo de fogo e então fazia umas escrituras no ar e logo depois uma chuva de asteroides caía em cima dele. E é lógico que não perdíamos a oportunidade de falar enquanto ela escrevia "Está escrito nas estrelas... " e aí alguma frase esculachando hehehe.


Kakurine

A "Freira Satânica Lésbica" era como chamávamos essa personagem que tinha um estilo religioso mas parecia uma verdadeira macumbeira, como por exemplo o ataque que ela segura uma cruz e sopra, esse dá um giro no ar e o adversário faz o mesmo e então a cruz cai com força no chão, fazendo o mesmo com o corpo, como se fosse um verdadeiro Vodu! Ela também tem um ataque que beija na boca de qualquer personagem e começa a sugar vida. Lembro que uma vez falei "Hora de enfrentar a irá da freirinha satânica Ò_Ò" e nessa hora a irmã do meu amigo abriu a porta falando "Freira Satânica? Você só pode ta de brincadeira né?" kkkkkkkkk.


Midori Himeno


Eu não lembro que nome demos a essa personagem também, mas certamente deveria ter algo a ver com "A machona" porque a personagem era bem centrada na pancadaria direta, e nos especiais dela, ela se multiplicava e começava a socar o inimigo como se fosse uma gangue espancando alguém e sempre antes de aplicar esse saía  algum comentário nosso do tipo "Ahhh mermão, mexeu comigo? Agora vai ter que responder a galera!" e aí saía aquela gangue descendo o cacete no infeliz. è__é



Ihadurca 

Essa era a última chefe, zeramos esse jogo inúmeras vezes, infelizmente o jogo dele era bugado e nunca conseguimos destravar ela, na época o que nos restava era xingar o jogo e chamar ele de mal feito.

O tempo passou, meu amigo foi embora e por anos não joguei mais Eretzvaju, não conseguia achar nada sobre ele na internet, até que um dia finalmente o encontrei e descobri que seu nome no ocidente ficou como Evil Zone, joguei novamente e consegui destravar a Ihadurca, infelizmente não é como antigamente, de qualquer forma esse é daquele tipo de jogo que deixa marca, não por ser um jogo super bem feito ou algo assim, mas porque é de uma parte importante da minha vida e que acaba trazendo boas recordações.



Twittem aí para seus amigos pessoal =D

Postar um comentário

2 Comentários