Generation Zero | Enfrente robôs assassinos nos anos 80!

Esse é um daqueles jogos que acabam atraindo facilmente quase qualquer grupo, tanto por seu elemento nostálgico, quanto pela sua liberdade em mundo aberto e modo cooperativo. Se você é apaixonado por aquele climinha dos anos 80, certamente vai gostar do quanto Generation Zero faz um esforço em cima da coisa.

A história se passa na Suécia, em 1989 e mostra um grupo de jovens que acaba de retornar para a pequena cidade onde vivem após um período de férias. No entanto a surpresa é quando descobrem que o lugar está vazio. Porém após uma pequena busca, percebem algo ainda pior, existem máquinas assassinas rondando a região.

Nesse jogo você precisa ter paciência em um primeiro ponto e disposto a explorar. Isso porque a princípio é necessário explorar. Ele não te diz nada, não dá uma explicação sobre o que são as máquinas, ou mesmo um objetivo. Quando joguei com um amigo inclusive logo nos perguntamos "O que é que tem que fazer ein?", e falei zoando "Ok, se fôssemos um grupo de jovens de anos 80 que teve a cidade invadida por robôs, o que faríamos?", e aí que a coisa começou a fluir, porque obviamente a ideia era procurar alguém para ter explicações e assim abrimos o mapa pra ver um lugar que parecia mais adequado.

O jogo é gigantesco, o mundo aberto é realmente aberto. Inicialmente eu imaginava que era focado apenas no tiroteio e partidas rápidas. Porém é um ambiente para ser explorado e aos poucos você ir juntando as peças. Me lembrou um  pouco Unturned, com isso de ter uma área que algo aconteceu e que você precisa passar por ambientes rurais para chegar em pontos com construções.

Aliás, tá aí outro detalhe que eu não imaginava, como se trata de uma cidadezinha, pensei que era tudo concentrado em um só lugar e no máximo tinha arredores, porém não é bem assim, você tem imensas áreas com mata e lagos. Pode seguir pelas estradas, onde é mais fácil encontrar robôs, ou pode arriscar pelo meio da mata, em que o caminho não é tão direto.

A forma de descobrir o que aconteceu, é analisando detalhes do cenário e relatos. Por exemplo, no início tem uma viatura da polícia parada na rua e na frente dela tem um robô destruído, e assim você associa que teve um combate ali e ela o atropelou. Já em uma casa você pode ir à secretária eletrônica e ver uma gravação de uma moradora falando que ouviu tiros, e assim vai.

À medida em que você explora, vai coletando itens, alguns são armas e acessórios para acoplar nelas, enquanto outras servem para preparar armadilhas. Por exemplo você pode pegar um toca fitas, colocar em um lugar e também colocar um botijão de gás lá, correr e quando um inimigo se aproximar, atirar. Cooperativamente é muito mais fácil preparar armadilhas.

À medida em que você chega a novos lugares, pode destravar casas seguras para viagem rápida, e achar suprimentos. Alguns itens como a gazua te permitem entrar em portas fechadas. E você  também vai descobrindo coisas novas do lugar, o que te leva a poder querer explorar uma outra certa região e consultar o mapa.

Se você é amante de obras como Stranger Things, Crossing Souls e Stories Untold, certamente vai adorar a atmosfera dos anos 80 que temos aqui. É possível encontrar roupas e personalizar os personagens, permitindo ganhar visuais únicos enquanto vaga por aí, e os personagens podem ser melhorados com habilidades e ao entrar em uma partida online terem habilidades e visuais próprios.

Enfim, é um jogo bacana, mas é necessário um pouco de paciência para conseguir absorver a coisa. Se você entrar desesperado em saber o objetivo, certamente vai enjoar antes mesmo de começar a explorar, mas se você for de mente aberta, especialmente com um amigo, pode ficar maravilhado ao descobrirem juntos o mistério. Recomendo sempre dar uma olhadinha no preço dele na Greenman Gaming antes de comprar na steam, algumas vezes os preços deles estão bem abaixo do normal, e sempre lembre de olhar os cupons de desconto que eles espalham pelo site, que deixa a coisa mais barata ainda, dê uma conferida aqui.

Comentários