Essa é a primeira foto de um buraco negro

É inegável a quantidade de mistérios do universo, não somos nada diante da grandiosidade do que tem lá fora e chega a ser assustador, inspirando coisas horripilantes como os Mitos de Cthulhu ou Vida. Mas também encantando demais com coisas maravilhosas como The Aurora, que é apenas uma pequena amostra do que o universo é capaz. E um desses mistérios sempre foi o buraco negro, que somente em 2019 teve uma primeira foto.



É óbvio que em uma fotografia é preciso de luz e ela bate no objeto fotografado, reflete e vai pra câmera fotográfica que captura essa luz e gera as imagens. No entanto como é possível fotografar uma coisa que não tem luz alguma e não dá tempo para que a luz chegue na câmera? Essa sempre foi a complicação dos buracos negros.

O negócio é que o campo gravitacional de um buraco negro é tão cabulosamente poderoso, que ele não suga apenas planetas, estrelas e qualquer outra coisa que estiver dando uma voltinha por perto, ele é capaz de sugar a própria luz! Ou seja, se tiver um raio de sol passando por  ali, ele faz uma curva e entra pro buraco ao invés de seguir.

Apesar do buraco em si ser escuro, a quantidade de massa que ele suga é tão absurda que esquenta e assim forma algo que os cientistas chamam de "disco de acreção", e foi essa bagaça que eles capturaram, mas não bastou um telescópio, foram necessários oito telescópios ao redor do mundo para pegar essa bagaça.

Os observatórios combinados funcionam como se fosse apenas um e assim é como se fosse um super telescópio do tamanho da terra. A técnica usada também não foi a tradicional de luz que câmeras fotográficas usam, ao invés disso a imagem é uma composição de imagens feitas de capturas eletromagnéticas.

Em  1919 Einstein tinha feito uma equação para descrever um buraco negro, pegaram a equação e usaram um programa para fazer uma simulação visual. Ao colocar lado a lado a coisa fica muito parecida, como podem ver na fotinho aí embaixo. Engraçado ser exatamente 100 anos depois né?

Comentários