Xiaomi e seu custo/benefício surpreendente em tecnologia

Quando se vai comprar um celular, cada pessoa procura algo diferente. Tem aqueles que querem algo visual, um design maravilhoso que se destaque, combine com sua roupa, chame atenção. Tem aqueles que querem tecnologia avançada, não importa o valor, eles querem um celular absurdamente tunado com tudo de última geração, tem aqueles que querem status, não importa se é um celular pior que outros, a pessoa quer mostrar pra sociedade a posição que está. E em meio a tantos tipos de pessoas, tem aqueles que querem um custo/benefício perfeito. Tem uma quantidade X de dinheiro e querem tirar o máximo que puderem desse dinheiro, e é aí que entram os celulares da Xiaomi, e melhor, ela vai muito além de celulares, apresentando tudo quanto é tecnologia com preços super adequados.



A Xiaomi inicialmente parecia ser apenas mais uma empresa chinesa aleatória com produtos baratos e que não era de se esperar muito. Isso porque ela surgiu no começo da popularização dos smartphones em 2010, e em meio a uma quantidade enorme de produtos vagabundos, as pessoas desconfiam especialmente das mais novas. Ou seja, imagina em 2010 com a Samsung, Apple, Nokia, etc... E do nada surge uma empresa chinesa oferecendo um celular mais barato. O que você pensaria? Porém surpreendeu a todos quando quebrou bruscamente esse estereótipo, agradando clientes e incomodando gigantes da área.

Acho que a primeira vez que ouvi falar da Xiaomi de uma forma que me fizesse prestar atenção, foi quando comprei meu Zenfone 4, e ao postar no Facebook, veio alguém dizendo que joguei dinheiro fora e que dava pra ter o mesmo benefício por metade do preço em um da Xiaomi. Embora não creio que seja pra tanto (Os fãs da Xiaomi são meio arrogantes do jeito de falar mesmo kkkk), com o tempo fui vendo cada vez mais sobre a empresa, entendendo sua política de vendas e entendendo que realmente os seus celulares são de qualidade e com um preço absurdamente menor.

Eu lembro que há alguns anos atrás, li uma matéria sobre a Apple que era sobre o que fazia a empresa lucrar tanto. Nesse artigo era explicado que eles tinham a política de lucro extrema, que ia desde poupar rios de dinheiro com a mão de obra extremamente barata, até inflar o valor absurdamente graças ao status de se ter um produto da empresa. A Xiaomi parece uma versão reversa da Apple.



O que a fez se popularizar inicialmente foi a satisfação dos clientes. As pessoas compravam os produtos não ligando nem um pouco para marca e pensando apenas no fato de que estavam baratas. Normalmente produtos assim costumam começar a apresentar defeitos, só que foi aí que ela passou a se destacar, pois os produtos continuavam funcionando muito bem e assim gerando satisfação empolgação para os usuários comprarem novamente e recomendarem.

Logo a coisa começou a se mostrar padrão. Os produtos eram mesmo baratos e de qualidade. E em um mundo com a tecnologia cada vez mais presente, e uma quantidade enorme de pessoas interessadas, mas nem um pouco dispostas a pagar caro, não teve como não ser sucesso, afinal de contas até então o mundo parecia ter só dois lados, um com empresas conhecidas e tecnologia cara, o outro com empresas nada conhecidas e celulares descartáveis. Mas a Xiaomi ofereceu uma opção com o melhor dos dois mundos.

Logo a Xiaomi começou a se destacar em diversas áreas, mesmo sendo mais conhecida por celulares, ela começou a investir forte na internet das coisas, criando desde drones até esteiras. Minha primeira experiência com a Xiaomi foi com a Mi Band 3, que me mostrou de forma perfeita o que essa empresa é capaz. Um aparelho baratíssimo, que facilitou pra caramba meu dia a dia e ainda assim com elegância.

Uma coisa que faz os produtos da empresa se tornarem tão atraentes, é o fato de que ela fica ouvindo o que os usuários pedem e de olho no que eles mais usam. E com base nisso, cria novos que tenham certos recursos. Ou seja, se tem um recurso que a minoria usa, ela corta esse recurso, pra que gastar dinheiro com algo que a minoria vai aproveitar? E então usa essa grana pra investir em colocar recursos desejados.



Mas sem sombra de dúvidas o que torna mais atraente os produtos, é a política de margem de lucro da empresa. O negócio é o seguinte, empresas pagam pela mão de obra, pelo desenvolvimento, pelo suporte, pelo transporte, uma penca de coisas. Mas esse trabalho tudo precisa ainda ser lucrativo, ou seja, elas adicionam uma porcentagem extra pro consumidor pagar e assim valer a pena. Por exemplo se pagam R$100 no total pra criar um celular, vendem ele por R$110 pra poder lucrar.

Mas o negócio é que a coisa costuma ser muito mais extravagante, e os valores variam de produto pra produto, mas vão a até 42% dos custos gerais! Ou seja, não é apenas lucrar em cima da construção da bagaça, é nadar na grana! E quanto mais conhecida a marca, maior a margem de lucro, afinal de contas as pessoas passam a confiar ou ter um apego à empresa.

Em abril de 2018 foi revelada uma pesquisa feita pela Counterpoint Research, referente aos três primeiros meses do ano e que mostrou que o lucro do iPhone X foi cinco vezes maior do que 600 fabricantes de Android juntas! Uahahaha, tem ideia da margem de lucro cabulosa necessária pra uma bagaça dessas? Detalhe que as vendas desse modelo só tinham dois meses, ou seja, as outras empresas tiveram um mês de vantagem, além disso, as vendas do iPhone X foram inferiores às de modelos anteriores. Então imagina o quanto não foi lucrativo pra Apple?

Por outro lado, no mesmo mês a Xiaomi fez um anuncio nada comum para uma empresa fazer. Sabem quando uma empresa vai ficando famosa e aumentando os preços, afinal vai gerando confiança e sendo desejada? Pois é... A Xiaomi fez a promessa de que a empresa estaria limitada PRA SEMPRE à margem lucra máxima de 5% após a aplicação de impostos. E com isso vocês podem ter uma ideia do custo/benefício dos produtos. Você fica em um valor muito próximo do custo de produção.

Sendo assim, o custo / benefício é simplesmente perfeito! Procurar produtos de tecnologia pode ser um verdadeiro inferno. Você não sabe se a empresa é boa, não sabe se vai tomar uma surpresa cabulosa um mês depois ao descobrir um produto muito melhor por um preço inferior. Não é à toa que as pessoas se apeguem a empresas, elas testam, se acostumam e pensam "O próximo que eu comprar vai ser dessa empresa também".

Enfim, eu acho uma pena que não temos tantas opções assim. Imagina que legal e como facilitaria a vida? Você está determinado a gastar uma certa quantidade de dinheiro, e ao invés de fazer uma pesquisa cabulosa, simplesmente procura algo que tenha utilidades que te agradam e compra. Enfim, fica a dica para ficar de olho, ela fabrica desde fechaduras inteligentes até patinetes elétricos esquisitos kkkk.


 

Comentários