American Horror Story Apocalypse | Fazendo um crossover dela mesma

Eu assumo que sempre achei bem esquisita a ideia de um crossover de American Horror Story, afinal de contas são sempre os mesmos atores né? Quando começaram a aparecer indícios na temporada Freak Show, em que uma personagem aparece também na temporada Asylum, já achei meio estranho. Mas acho que foi ajudando a filtrar a ideia, pois à partir de então começaram a aparecer. Porém Apocalypse escrachou de vez a coisa e realmente gostei bastante.


Essa é inclusive uma das melhores temporadas ao meu ver, só acho que foi meio corrida demais. Mas achei o conteúdo tão robusto, tão completinho. Talvez parte disso seja exatamente pelo fato de ser uma mistura entre a temporada Murder House, a temporada Coven e um pequenino toque da temporada Hotel, que já tinham uma mitologia própria. Ou seja, diferente de temporadas anteriores, essa não precisou desenvolver diversos elementos.

O que temos aqui é o fim do mundo, bombas são lançadas ao redor do planeta inteiro e o caos é espalhado. No entanto uma pequena elite estava preparada para isso, e assim eles construíram bunkers caríssimos e prontos para suportar a vida por um certo tempo até poderem novamente repovoar o planeta.

Algo maravilhoso dessa temporada é o fato de trazer o mistureba e esquisitice que era tão comum no começo da série, mas que depois deu uma aquietada. A Asylum em especial se destaca ao apresentar não apenas um hospício, mas coisas nada a ver como aliens, mutantes e até o diabo. Uma verdadeira loucura que tinha tudo pra dar errado, mas que se tornou uma das temporadas mais amadas.

Aqui novamente vemos uma temporada em que podemos esperar tudo quanto é coisa. Pra alguns isso naturalmente pode ser bem horrível, mas sei bem que para muitos pode agradar um bocado. E esse foi o meu caso. Gostei demais da tranqueira louca apresentada, e acho que inclusive veio em um ótimo momento.

Assim como a temporada cult, acho que essa acabou puxando um elemento relacionado ao caos urbano e o medo das pessoas de tudo acabar. Enquanto aquela refletia a presidência do Trump, essa reflete o desespero de alguma coisa acontecer no governo e ser o fim, fazendo com que o mundo inteiro se destrua.

Como dito, é uma mistura de temporadas, sendo assim é possível ver personagens se repetindo aqui. Não dá pra negar que é esquisito, no entanto já tinha aparecido a relação entre uma temporada e outra, portanto acho que foi o suficiente para dar aquela amaciada na coisa e os fãs vão achar tranquilos. Por outro lado quem começar nessa temporada, certamente vai sentir um belo de um incômodo.

Algo que achei mais estranho foi usarem personagens novos com os mesmos atores. Quero dizer, beleza, era inevitável que colocar os mesmos personagens no mesmo universo iria fazer rostos se repetirem, mas exatamente por isso poderiam tacar rostos novos. No entanto não, só usaram de novo. Ou seja, tem personagens que não se repetem apenas duas vezes.

Eles foram até além e Evan Peters (O cara loirinho de todas as temporadas) ganhou dois personagens. Ou seja, eles definitivamente não estavam muito afim de chamarem atores novos, uahahaha. Apesar disso, ao menos colocaram visuais bem peculiares em cada um deles. Talvez não tenham mudado os personagens exatamente para dizer que naquela temporada os atores também estavam lá e não ficar com a cara de "Foi a primeira temporada que os atores não interpretaram gente nova".

Esse lance dos atores e bagunça mental já apareceu de certa forma na temporada My Roanoke Nightmare, que também passa uma sensação meio esquisita ao ver um personagem que não é bem o personagem na verdade, porém lá está tudo preso dentro da própria mitologia, já aqui você sente esse impacto de uma forma diferente.

Bom, eu acho que a temporada realmente ficou boa, creio que podia ser maior, mas sei que a proposta é de ser uma série de poucos episódios. Mas me passou muito a sensação de que quando finalmente chega no momento que todos estavam esperando para a coisa começar, ela termina. A temporada inteira não é como se você tivesse vendo uma história, mas como se você tivesse vendo um cenário sendo montado pra algo começar, mas ao invés de começar, acaba.

Todos os elementos esquisitos estão lá, mas realmente a sensação de quero mais foi imensa, porém como existe uma conclusão na trama, essa sensação acaba se convertendo na sensação de "Nossa, atropelaram pro final. Isso é uma droga e apesar de eu ver como um ponto negativo, não estraga a temporada, apenas mostra que o potencial criativo da produção é imensa e que é preciso ter um pouco de cuidado pra usar o máximo possível, ou aumentar mesmo. 

Acho que três episódios a mais pra desenvolver os acontecimentos do último episódio e explorar os acontecimentos do fim do mundo iam fazer toda a diferença, pois iria expandir demais a coisa, mostrar um pouco de loucura. Não que tenha sido ruim o desenvolvimento, mas um momento para se respirar um pouco antes do ápice da coisa, seria ótimo.

Enfim, adorei essa temporada, pela primeira vez tive o prazer de assistir com um amigo e realmente foi demais poder comentar a bagaceira solta que rola. Certamente essa é uma temporada com potencial pra trazer um sorriso a fãs do começo da série que não gostaram das mudanças que foram surgindo com o passar dos anos. Agora como sempre, veja todos os teasers maravilhosos reunidos (Não tem essas cenas na série):

Comentários