Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

sexta-feira, 9 de junho de 2017

Everything - Um trailer elegível para concorrer ao Oscar

É estranho se pensar em um trailer concorrendo a um Oscar, então imagina um trailer que nem ao menos de filme é, mas sim de um jogo? Pois é, Everything é um jogo que ganhou destaque ao ser apresentado no Festival de Curtas de Viena não como trailer, mas como curta metragem. No entanto a surpresa foi que ele conseguiu ganhar e assim se tornou também elegível para concorrer ao Oscar.


Mas o negócio é que não existe apenas a categoria de filmes padrões no Oscar, existem diversas categorias. É só ver como existem prêmios como "Melhor ator", "Melhor roteiro", "Melhor diretor", etc... E não só "Melhor Filme", portanto há outras categorias e uma delas é o de Melhor Curta Metragem Animado.

Eu sei que de imediato o que se imagina é que é algo no estilo do espetacular trailer de Dead Island, ou mesmo algo que não usa os gráficos do jogo, como aquele curta metragem interativo de Until Dawn, ou ainda algo genial que "engana" quem assiste até o final, como é o caso de The Scarecrow. Porém a coisa é bem diferente.

No entanto a coisa é bem diferente e graças a isso vi muita gente descendo o cacete, dizendo que "Essa merda não merecia concorrer a Oscar algum!". Porém é o tipo de obra que tem um toque diferente, sem apelo visual. O grande foco da coisa é a narrativa, e o problema é que a maioria não fala inglês, o resultado é a pessoa apenas ver um gráfico bizarro com alguém falando algo, mas sem entender nada.

O curta fala sobre a vida e a percepção dela, como nós humanos sentimos estar sempre no centro por ser o único ponto de vista que temos, mas que no entanto cada ser se sente assim, mesmo as formas de vida bem menos complexas, mesmo em uma gota de nosso sangue há seres vivendo e a percepção desses seres é de que eles são o centro.

Como se trata de um curta metragem muito longo, com 11 minutos de duração, um gráfico feio e animações obviamente não naturais, com uma narração em inglês constante, muita gente riu bastante, porém para quem entende o que está sendo dito e gosta de obras filosóficas, pode ser interessante, confira:


Nenhum comentário: