Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

terça-feira, 5 de abril de 2016

Battlefleet Gothic Armada | Muito tiroteio gótico espacial

Está procurando por um jogo de estratégia daqueles com um baita de um toque profundo na coisa? Então talvez Battlefleet Gothic: Armada seja exatamente o que você está atrás. Esse é aquele tipo que você usa e abusa da estratégia e tem algumas mecânicas mais profundas interessantes pra caramba.

Esse é um jogo em um universo de fantasia espacial com naves mais do que extravagantes, com um toque gótico. Ou seja, embora seja algo futurístico, tem aquele visual sombrio como por exemplo naves em formatos que parecem mais a carcaça de uma criatura gigantesca.

A campanha te coloca em um daqueles tensos universos envolvendo militares e escolhas difíceis. Exploração de determinados setores e reviravoltas. Há dublagem constante e é possível ver direto na tela personagens dando novas informações sobre a situação.

As apresentações do jogo são no estilo Motion Comic, mas com um visual simplesmente maravilhoso. Com imagens no estilo pinturas e sempre com certos elementos em movimento, como se fosse a narração de algo épico que aconteceu há muito tempo atrás.


As batalhas espaciais então são fantásticas, isso porque você tem um baita controle de câmera e pode chegar muito perto, é aquele tipo de jogo que embora tenha um padrão de câmera isométrica, você pode mudar bastante a posição da coisa e aproximar demais, vendo pequenos detalhes da nave, além de ter combates espaciais impressionantes em seus efeitos. Especialmente no multiplayer pode ser um baita prazer ver uma enorme nave de um amigo virar carvão.

Por outro lado é um jogo que achei bem pesadinho, sendo assim mesmo sendo um ambiente limitado, pode fazer alguns computadores suarem bastante. No meu caso o que mais me incomodou foram as telas de carregamento que achei bastante demoradas, o que é complicado de se dizer se é do jogo mesmo ou se foi algum problema que tive.

Esse jogo é uma adaptação de um jogo de tabuleiro de 2005 para duas pessoas, no entanto essa versão virtual a coisa é expandida e aqui até quatro jogadores podem entrar em combate no multiplayer, fazendo assim com que a coisa definitivamente se torne muito mais atraente. Aproveitaram bem o fato de que em um ambiente virtual não há limitações de tabuleiro.
A presença de física em Battlefleet Gothic: Armada faz com que embora seja um jogo de estratégia, a coisa não seja "dura" como em jogos padrões do gênero, é como se as unidades estivessem deslizando pelo cenário, como tratam-se de naves gigantes isso pode também fazer acontecer coisas como uma esbarrar violentamente na outra.

Mas não achem que isso é um problema, apenas faz com que um novo leque de possibilidades estratégicas seja aberto, imagine por exemplo ver uma imensa nave indo em direção a um alvo que você quer muito defender e então ao invés de colocar ela pra fugir, lançar outra bem na frente?

Mas por outro lado enquanto no gameplay tem uma boa quantidade de variação nas estratégias, a customização de batalhas é um pouco limitada em suas opções, o que acaba não sendo muito bom pois pode gerar aquela sensação de ser a mesma coisa, com o passar do tempo isso ajuda um pouco a enjoar.

Com certos elementos do cenário você também pode bolar estratégias muito boas. Por exemplo existe um tipo de névoa espacial que fica em determinados lugares e é possível ocultar naves lá dentro, isso é perfeito para emboscadas como colocar uma pequena nave indefesa ali no cantinho e quando inimigos passarem você faz outras surgirem surpreendendo.

As unidades também são bastante pesadas e por isso você sente o peso ao fazer coisas como virar ou mesmo se movimentar, sendo assim tem alguns elementos de alteração bem interessante como gastar combustível para acelerar as coisas e um painel de controle para configurar detalhes de combate do tipo o alcance que você quer que os canhões deem atenção.
O jogo não chega a ser algo do gênero 4X como o espetacular Dragon Commander, mas ainda assim tem todo o negócio de fazer upgrades em suas naves em uma tela própria e assim ver a coisa cada vez melhorar bastante, além de coisas bem inesperadas como um dos seus capitães se revoltar e decidir não seguir instruções, permitindo que você dê a ordem para que o executem e assim promova outro da tripulação ao cargo.

Enfim, os jogos de tabuleiro estão cada vez mais populares inclusive no Brasil foram lançados um bocado (Aqui uma lista). E se você é apaixonado por isso, essa é uma alternativa bem interessante mas com uma identidade própria já que é estratégia em tempo real e não algo em turno. Quem quiser dar uma conferida pode pegar mais informações no site oficial do jogo.

Nenhum comentário: