Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

domingo, 7 de junho de 2015

Shadowrun - Um jogo que se passa no Brasil e é incrível!

Esse é um daqueles jogos que tem uma jogabilidade maravilhosa e que te dão uma sensação imensa de controle sobre o personagem. O tipo de jogo que te faz ficar muito admirado em como algo tão maravilhoso não é um verdadeiro sucesso online e que acaba se tornando apenas mais uma daquelas obras esquecidas que em geral as pessoas jogam mesmo é offline.

Tudo se passa no maravilhoso universo de shadowrun, e para a surpresa dos brasileiros, é um jogo da microsoft que se passa em Santos! Isso mesmo, nos Brasil! Lembro até hoje de quando vi o trailer com uma música brasileira bem folclórica mesmo e como foi emocionante, especialmente porque na época não era nada comum com qualquer referência ao nosso país, e assim em 2007 ele foi lançado.



Mas antes de tudo vamos deixar algumas coisas claras aqui, em 2013 foi lançado o jogo Shadowrun Returns, que teve uma baita de uma boa recepção e chamou a atenção pela primeira vez de muita gente para a existência desse universo. No entanto aquele era um RPG e considerado como o sucessor espiritual de um outro jogo que foi lançado na era do super nintendo e que se chamava meramente Shadowrun.

Ambos os jogos não tem ligação com o Shadowrun de 2007, os desenvolvedores são diferentes, a jogabilidade é completamente diferente, e o que no fim das contas realmente os liga é o fato de que se passam no universo de Shadowrun, um RPG de mesa que foi lançado nos anos 80 e que tem uma forte temática cyberpunk.

A história apresenta um misterioso templo que acaba sendo soterrado por milênios e fica escondido em uma montanha por milênios. A magia começa a despertar na terra e uma poderosa empresa multinacional chamada RNA Global descobre sua existência e passa a fazer pesquisas no lugar, criando uma filial na cidade de Santos, onde fica a montanha. Com ajuda de um artefato mágico, ela lidera as expedições, no entanto em meio ao abuso do item misterioso, as coisas dão errado isso acaba por gerar uma explosão no lugar, que destrói parte da montanha e revela o templo, no entanto o desastre acaba destruindo também metade da cidade.

Com o terrível resultado, a RNA Global se retira da cidade e coloca a culpa em uma organização paramilitar, e enquanto a poeira baixa, começa negociações com o governo brasileiro, para tempos depois voltar a cidade com um novo contrato onde toma controle do lugar. Os cidadãos ainda estão revoltados, mas a empresa diz que voltou para ajudar e que deseja reconstruir a cidade. No entanto uma família poderosa formou um grupo que passa a fazer ataques contra a RNA, que declara lei marcial com toque de recolher na cidade. E assim um conflito se inicia.
Esse jogo é fantástico! E existe sim modo singleplayer, no entanto infelizmente não se tem uma campanha, o que chega a ser engraçado por eles terem feito uma história toda bem elaborada e criado um monte de detalhes que são explicados durante os momentos de loading do jogo. Então se você quiser jogar offline, poderá jogar com bots, mas o multiplayer é que é o grande foco da coisa.

Você escolhe uma das duas facções e tem como objetivo capturar o artefato para sua equipe, existem poucos mapas, mas eles são interessantes, no total são nove e vão desde ambientes completamente detonados como favelas, até lugares muito luxuosos, como o moderníssimo lobby de um arranha-céu.

Existem quatro raças disponíveis, humano, anão, elfo e Ork(sim, com K). Cada uma delas tem habilidades próprias, sendo o humano a raça padrão que não tem as vantagens e desvantagens das outras. O elfo uma raça muito rápida, com pouca vida, mas que pode recuperar sozinha se ele ficar sem receber dano. O anão uma raça com muita magia, mas que se recupera lentamente, só que ele pode sugar magia de outros jogadores, tanto rivais quanto aliados, além de sugar energia de magias que permanentes. E o Ork uma raça com muitíssima vida, pouca magia e que é mais lenta que outras.
Escolhida a raça, você tem a "essência", que basicamente são os pontos de magia do seu personagem, você pode equipar até três magias de uma vez e fazer coisas espetaculares, como invocar um monte de cristais para bloquear o caminho, se transformar em fumaça, empurrar adversários com a mente, entre outras coisas.

E existe a parte do "tech", que são acessórios que dão habilidades especiais e cyberimplantes em seu personagem, sendo que quanto mais implantes você tiver, menos essência tem, algo que ficou interessante, pois no RPG Shadowrun, a magia é como a conexão com a natureza de uma pessoa, se ela tem coisas artificiais em seu corpo, significa que essa conexão é menor, e aqui isso é representado dessa maneira, quanto mais tech, menos magia. Só que isso pode ser uma baita vantagem, por exemplo você pode dar super pulo, usar um radar para ver através de paredes, ter super velocidade, entre outras coisas.

Quanto ao combate, é uma baita de uma combinação mesmo entre magia, tiro e luta de katana. É simplesmente muito fantástica a coisa! Especialmente quando você sabe fazer um bom personagem, por exemplo você pode criar um elfo que use super velocidade, combate com katana e invoque criaturas. E assim fazer algumas coisas mirabolantes, como um inimigo surgir atirando em você, mas aí você ativa a super velocidade, e assim passe a defender balas com a espada (é automático, basta estar virado pra direção do tiro), ir se aproximando rapidamente, fatiar o cara, e se chegar mais alguém, invocar uma criatura, sair de perto rapidamente e deixar os inimigos aguentarem ela.
A sensação de liberdade desse jogo é fantástica demais, você se sente em uma liberdade imensa ao olhar lugares altíssimos do cenário e saltar até eles, ou mesmo estar caindo e simplesmente ativar o modo planar e mudar de direção para algum outro lado. Os combates são fascinantes, pode acontecer coisas como você estar metendo bala em um inimigo, mas sua vida estar muito baixa, então dar um salto e se teletransportar para o andar de cima, então ele usar visão raio x, de localizar e saltar atrás, e essa sequencia de teletransporte de perseguição pode ser bem maior, basta apontar a direção que você quer ir e apertar o botão.

E tem todo o lance de trabalho em equipe, por exemplo imagine um anão, que suga essência quando está próximo, ficar atormentando jogadores adversários, impedindo-os de usar magia, enquanto um Ork o ajuda, levando bala, e de longe um humano com um tech de olho biônico mete bala sem se preocupar em acertar os aliados porque essa cyberimplante para os tiros toda vez que tem um amigo na frente e retorna a assim que tem um inimigo. E um elfo passa em forma de névoa em direção ao artefato.

Enfim, tá aí um jogo fantástico, que infelizmente não deu nada certo porque a microsoft lançou com um preço absurdo para Xbox 360 e em plena época do Windows XP bombando, lançou exclusivo para o  Windows Vista para tentarem atrair o povo pra lá, mas não rolou. No Brasil você pode achar alguns materiais de Shadowrun em português, mas em formato RPG. Recomendo demais! Agora confiram o trailer com música brasileira que falei:
E aqui o Trailer do Gameplay

2 comentários:

Unknown disse...

Parece muito legal! Mas deixa ver se eu entendi, nos anos 80 lançaram um rpg de mesa com temática cyberpunk que acarretou a criação e lançamento de um jogo rpg pro supernitendo, e em 2007 a microsoft se inspirou também no mesmo rpg de mesa e criou esse jogo, e em 2013 um outro povo ai também se inspirou no mesmo rpg de mesa e fez o shadowrun que está lá na steam?

E onde posso achar esse jogo? Quero jogar...

Skywalkerpg disse...

É isso mesmo, o RPG dos anos 80 se tornou uma franquia que virou uma penca de coisas, é aquele tio de negócio underground, mas que a franquia foi usada um bocado e se pode achar card game, jogo de tabuleiro e etc. Vale a pena ler a matéria sobre o universo de shadowrun que cito aqui no começo da postagem. Ò_Ò