Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

sábado, 23 de maio de 2015

Konami e a zuadinha marota aos fãs de Silent Hill

Certamente quando a Konami lançou Silent Hill, ela imaginaria o quanto os fãs da franquia um dia iriam cair em cima da empresa graças à franquia, e 2015 foi um ano para ela comer o pão que o diabo amassou na questão dos fãs, pois a coisa foi realmente uma daquelas questões onde você vê que a raiva de algo é tão grande que sai completamente do controle.

Mas bem, vamos começar do início, em 1994 a Konami criou uma franquia nova, chamada Jikkyō Powerful Pro Yakyū, e lançou para Super Nintendo (ahhh, os velhos tempo que nunca voltam), era um jogo de basebol que foi um sucesso total no Japão, ganhando versões para outras plataformas e também continuações, um tremendo sucesso, mas que ficou em terras orientais mesmo, não sendo nada relevante em solo ocidental.

Em maio de 2003, o mundo teve acesso ao terceiro jogo da franquia Silent Hill, que recebeu notas altíssimas e foi muito bem recebido e aguardado, especialmente para os fãs que amaram tanto Silent Hill 2, e também nesse terceiro jogo da série foi a primeira vez que foi apresentado um dos elementos que se tornou padrão na série, o coelho Robbie, que é um boneco de pelúcia que começou a aparecer nos jogos seguintes, na maioria das vezes de maneira discreta, como na cama de uma das personagens.
Com a chegada da era dos celulares, a empresa passou a investir em jogos, e com a vinda da era dos smartphones então, ela passou a investir pesado na coisa, porém apenas em terras orientais. Mas até então nada a se preocupar, afinal de contas qual é o problema de empresas lançarem jogos de celular, não é mesmo?

Pois bem, uma coisa que analistas começaram a falar assim que a era dos smartphones chegou, foi sobre o fim de consoles portáteis, afinal de contas assim como a câmera digital, o mp3 e mais uma penca de acessórios que antes era puro luxo, foram absorvidas pelo celular, as pessoas não queriam sair carregando um monte de coisas, já que poderiam carregar apenas uma.

É claro que logo os fãs de video games começaram a falar que aquilo era ridículo e que jogos de celulares são muito ruins e todos casuais, mas então empresas começaram a investir em jogos sérios, com gráficos incríveis e visivelmente voltados para o público hardcore. Misturado esse novo grupo com o casual, de pessoas que nunca tiveram contato com video games, se formou um mercado bilionário que chamou a atenção de muitas empresas, por exemplo a Nintendo, que em 2015 anunciou sua entrada no mercado mobile.

A Konami realmente gostou de fazer jogos de celular e não esperou as coisas esquentarem de verdade, por exemplo no final de 2007 ela já lançou um título nada conhecido, e muito mal feito de sua mais famosa franquia de terror, era um jogo para iOS chamado Silent Hill: The Escape, que até então demonstrava a mentalidade de "Jogos bobinhos para celular".
Mas afinal, por que empresas de video game mudando para mercado mobile? Por que elas não só continuaram em suas plataformas que tinham tanta gente jogando? Bom, porque empresas não são pessoas e não tem bom coração, elas precisam fazer uma única coisa que é sobreviver e o que lhes dá vida é o dinheiro, empresas vão para onde o dinheiro está, a própria nintendo era fabricante de jogos de cartas antes de fabricar video game. Então é importante demais achar uma fonte de dinheiro, sendo assim, por que não sugar de uma fonte nova?

Em 2014 a Konami publicou a fantástica demo para playstation 4 chamada "PT" sem data de lançamento mas que emocionou os donos de PS4, e que foi uma decepção para os fãs de plataformas como PS3, Xbox 360, Xbox One e PC, por aparentar ser exclusivo, no entanto depois causou uma baita polêmica não sendo lançado pra plataforma alguma e tornando-se uma demo rara, e graças aos problemas da empresa com Hideo Kojima, os fãs de Silent Hill tiveram seus corações partidos ao verem que um jogo com potencial tão grande simplesmente não varia a luz do dia.

Porém ninguém imaginava que a coisa de smartphones estava tão impregnada com a Konami, e 2015 foi o ano da empresa causar polêmicas. Ao mesmo tempo que foi um ponto negativo a demissão de Kojima, a empresa anunciou a sua saída da bolsa da Nova Iorque, ou seja, praticamente um "Galera, estamos voltando pra terra do sol nascente, boa sorte aí!". E começaram os boatos sobre a empresa mudar de nome e passar a investir apenas no mercado de dispositivos móveis.

A coisa piorou quando a empresa anunciou que os lucros da empresa aumentaram em 150% em meio a toda essa turbulência, o motivo? Um jogo da franquia Jikkyou Pawafuru Puroyakyu, que foi lançado para celular apenas no Japão e gerou essa grana toda. Confiram o trailer:

Ou seja,  aí as coisas começaram a ficar feias e os fãs passaram a se preocupar em uma empresa dona de obras como Metal Gear Solid, PES e Castlevania simplesmente cair fora e deixar jogadores de console e computadores na mão.

Os fãs de Silent Hill chegaram a fazer um abaixo assinado para tentar fazer a empresa mudar de ideia, mas a ira tomou conta total dos fãs quando a Konami tomou uma atitude que não se sabe ao certo se foi uma última tentativa desesperada de consolar os fãs com um presente, ou uma forma de dizer "Não gostaram? Problema de vocês, estamos dando o fora pros celulares japoneses mesmo!". Mas o resultado foi muita gritaria.

O que rolou foi a empresa indo ao facebook e twitter para fazer uma promoção, um sorteio de uma estatueta do coelho Robbie. Aí a treta ficou realmente louca, com o povo xingando e fazendo diversas montagens da empresa. Confiram o prêmio:

Há quem diga que a empresa estava tentando aproveitar do clima Silent Hill que os fãs estavam tendo e do falatório, para tentar divulgar um pouco a estatueta feita pela empresa japonesa Gecco, que é especializada em estatuetas de obras em geral, e que em parceria com a Konami, passou a fabricar algumas de Silent Hill, e vocês, o que acham?

Nenhum comentário: