Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Saudades dos tempos da Dragão Brasil...

É verdade que o RPG é algo que teve a sua época de ouro nos anos 90, mesmo assim naquela época as coisas não eram tão em alta assim, afinal de contas convenhamos que para qualquer uma que desconheça, acaba achando um jogo bem esquisito. Portanto RPG de mesa não é algo que pode se dizer que naquela época era super popular, mas apenas era mais adequado para quem curtia uma nerdice, pois era um mundo sem a tecnologia que temos hoje e naturalmente as pessoas procuravam coisas para fazer fora da internet, e assim coisas mais "táteis" se tornavam um belo atraente, se você não era fã de futebol e gostava de coisas menos agitadas, precisava achar outras coisas, e RPG era uma mão cheia.


Hoje em dia as coisas são diferentes, com a internet, existe uma quantidade gigante de coisas tranquila para se fazer, e assim mesmo o público alvo do RPG, que é aquele que são os nerds e afins, existe uma concorrência enorme, e naturalmente não é um tipo de entretenimento tão constante no meio nerd. Mas nos anos 90 você tinha até outras opções, porém essas acabavam por serem limitadas. Por exemplo tinham as revistas em quadrinhos, você ia lá, lia e então acabava, podia pegar algumas emprestadas com os amigos, mas chegava ao fim, e a grana também não ajudava, por isso até dava pra ir em uma comic shop, mas nem sempre o dinheiro era suficiente. Hoje se você quiser quadrinhos, você entra no google e encontra ilimitados, a pessoa pode ler quadrinhos o dia todo e ainda assim não vai conseguir acompanhar a quantidade que tem na internet. Porém com RPG a coisa era ilimitada, cada aventura você via algo diferente, e assim essa era uma verdadeira joia que os grupos que tinham conhecimento, garantiam muitas horas de diversão.

No entanto a informação também era algo limitado, sem internet nós precisávamos recorrer a uma fonte principal, que eram os livros de RPG, sempre magníficos, com capas duras e que pareciam verdadeiros grimórios, e as revistas. E esse era um ponto bem mais acessível para a maioria, eu lembro quando comprei a minha primeira revista Dragão Brasil, eu simplesmente não podia acreditar, não era como uma revista qualquer, aquela trazia notícias sobre RPG do que estava acontecendo lá fora e eu nem ao menos imaginava, falava sobre eventos que eu nunca poderia ir já que nunca eram em Brasília, e mais um monte de coisas que me deixava viciado em ler e reler.

Essa revista começou a ser publicada em 1994, porém a primeira edição que tive foi alguns anos depois, e eu nem imaginava que a mesma existia. Quando vi pela primeira vez na banca, com todas aquelas informações, eu fiquei louco, tive que comprar e achava uma maravilha,m tudo aquilo era tão espetacular, de repente a informação estava ali disponível e eu conversava muito com os meus amigos sobre os assuntos apresentados. Não demorou muito pra eu começar a fuçar a vida dos meus amigos mais velhos e tentar conseguir edições antigas, e logo passei a fazer trocas, ou mesmo comprar cada uma dessa edições que eu achava preciosas, afinal eu conhecia RPG há tanto tempo e nunca tinha ouvido falar dessa revista.

A cada edição, eles traziam várias coisas, porém temas principais, por exemplo a edição 54 e 55 foram lançadas em plena época em que pokemon era febre, aquilo foi uma verdadeira loucura, lembro que foi exatamente nessa época que consegui convencer um monte de conhecidos meus da escola a darem uma chance pro RPG, pois essa edição trazia regras pra se jogar um RPG de pokemon, e 151 fichas de cada um deles. Quando a edição com as primeiras fichas foi lançada, todo mundo começou a jogar demais, e os meninos que jogavam comigo passaram a fiar realmente plantados nas bancas de revistas esperando pela próxima edição, e quando ela finalmente saiu, nossa aquilo foi demais, finalmente tínhamos todas as fichas e o RPG estava completo. Esse só foi um dos temas, mas havia adaptação para várias outras coisas, como por exemplo Matrix.

Tinham ainda um monte de temas legais, por exemplo o preço que estavam os cardgames, o que permitia que jogadores de magic e pokemon TCG soubessem o quanto eram valiosas as cartas que compravam, contos que eram muito bem vindos, afinal sempre traziam coisas interessantes, às vezes até mesmo assustadoras, cartas dos leitores, que tinham dúvidas que eu mesmo já tive várias vezes, entre outras coisas.

Logo começaram a surgir também revistas extras, como as especiais falando sobre anjos caídos, os quadrinhos de Holy Avenger, que reuniam histórias no universo medieval de Tormenta, ou mesmo a própria revista mensal de Tormenta, que traziam novos detalhes sobre o povo, mapa, aventuras, entre outras coisas, aquela época foi realmente de ouro e eu ralava um bocado pra convencer minha mãe a me dar mais dinheiro pra eu comprar essas bagaças, que de vez em quando ela reclamava porque tinham capas que pareciam um tanto diabólicas em certas edições, como por exemplo a cabeça de um dragão vermelho, com muito fogo ao redor, que facilmente se confundia com um demônio hahaha.

Hoje em dia eu acho engraçado como as revistas faliram, simplesmente a internet matou um monte de coisas, naquela época era uma verdadeira aflição esperar minha revista favorita chegar às bancas. Eu lembro que na época do mês em que lançava, eu ficava atento e todo dia ia correndo em três bancas diferentes ou mais, isso porque tinham aquelas que recebiam só depois a edição, e aquelas que as vezes ia e as vezes não, variava um bocado, mas a aflição pra conseguir era demais. Teve uma vez que eu estava voltando da escola em meio a um temporal e parei em uma banca, e estava lá a nova edição, eu fiquei empolgado demais, fui até minha casa correndo, que ficava umas três ou quatro quadras dali, e voltei rapidão com medo da banca fechar antes de eu comprar, porque esperar mais um dia ia ser demais.

Porém com a internet, hoje você acha informações que quer em uma velocidade muito maior, já que não é necessário esperar o fim do mês para ser impressa a edição, e ainda com uma quantidade a mais de informações, já que tem mais gente, mais fontes, mais tudo. Mas sem dúvidas esse será um tempo que deixará saudades. Alguns frutos foram deixados como o sistema 3D&T que existe até hoje é possível achar versões avançadas do RPG Tormenta. E você? Já teve alguma revista que colecionou e sente saudades? Fico imaginando o tipo de matéria maravilhosa que não perdemos a oportunidade de ler porque a Dragão parou de ser publicada.

8 comentários:

Rian disse...

Até hoje guardo com carinho algumas revistas da Dragão brasil e da Só aventuras que a editora lançava tbm...

Mast disse...

Não sou velho o suficiente para ter vivido nessa época...
De qualquer forma, eu gosto de jogar pela internet mesmo, por texto, já que não tem outro jeito.

Repetindo uma pergunta anterior, Sky, já ouviu falar de Mouse Guard RPG? Sei que você não joga mais e talz, só pergunto por curiosidade mesmo.

Skywalkerpg disse...

Conheço não, mas pelas fotos é bem fofinho. =)

zingame eskimo disse...

sky eu tenho um link de todas as edições do dragão rpg em pdf se quiseres te passo depois

Lincoln disse...

Nossa Sky, nostalgia pura aqui cara hahahahah.... deu até um certo aperto no coração relembrar esse tempo de brilhantina.
Eu era mais um louco como voce que ficava na correria pra comprar as edições, juntava grana com os amigos e comprava ja direto umas 3 edições pra deixar guardado pro grupo poder jogar rsrsrsr...
@Zingame eskimo, passa ai pra mim os links das revistas pelo amor de DEUS hahahahahha... eu estava na procura delas mas nunca consegui encontrar.

zingame eskimo disse...

sahauashuashu blz lincoln mas vou passar o link do blog onde encontrei,
link: http://www.rpgnoticias.com.br/download-colecao-dragao-brasil-completa/

Tiago César disse...

Eu não fui dessa época, e só descobri a Dragão Brasil pouco tempo atrás, junto da Holy Avenger, que se tornou uma das minhas histórias favoritas. Foi de doer o coração quando fiquei sabendo que a Dragão Brasil meio que nem existe mais. É sempre assim comigo: gosto mais das coisas antigas, mas quando procuro sobre a história dessas coisas, vejo que já se foi, e que nunca vou poder sentir a mesma emoção que as pessoas sentiam na época... a DB faliu, o vocalista da minha banda favorita se aposentou há anos, e mais um monte de coisas...

Wagner Stoffel disse...

Cara, me identifico com sua história, apesar de provavelmente eu ser mais velho, já que comecei na DB numero 02 e peguei o lançamento do Hero's Quest em '94.
A internet realmente facilitou o acesso e acrescentou volume de informação em todos os meios, mas infelizmente, esta facilidade vai acabar com histórias como a sua ou a minha.