Enter the Matrix - É bugado mas é gostoso! Ò_Ò

Antes de tudo quero dizer que essa análise sobre a versão de PC, eu não tenho nem idéia de como são as versões de consoles, mas vamos lá... Esses dias me deu uma vontade louca de me conectar a matrix, isso foi depois de assistir ao média metragem Kaydara, então resolvi que ia jogar o primeiro jogo do Matrix novamente.

Esse jogo causou uma revolta enorme na época em que foi lançado,2003, principalmente por você não controlar o Neo, tenho que assumir que eu também fiquei meio... Por não controlar o Neo mas isso não foi o que me decepcionou, o que me decepcionou mesmo não foi isso, mas sim o tempo bala. Digo isso porque eu sofria muito da febre Max Payne na época e estava totalmente apaixonado pela câmera lenta do jogo, então saber que iriam lançar um jogo do Matrix era alucinante demais, afinal se em Max Payne eu tinha aquela sensação, então imagine o jogo do filme que gerou a moda câmera lenta?


Ia ser o paraíso! Porém quando lançou o tempo bala era tão feio que eu não podia acreditar. Em Max Payne eu via as balas vindo e era lindo demais os detalhes, em Enter the Matrix eu via um projétil cheio de ondas feias ao redor, até que tudo bem as ondas mas não era o efeito bonito que eu esperava como já era acostumado, acabei dizendo que Max Payne era mais matrix do que matrix hehehehehe. Eu joguei o jogo, foi legal mas acabei abandonando, uns dois anos depois meu amigo estava conversando comigo sobre Matrix e deu vontade de jogar novamente então acabou sendo pra valer e naquela época o jogo viria a se tornar um dos jogos que marcaram minha vida.

Os meninos do condomínio costumavam ir lá em casa e muitas vezes eu jogava quando estavam lá e com isso automaticamente muitas situações surgiam que nos faziam rir bastante. Uma em especial que virou uma mania nossa depois foi o fato de que eu preferi zerar com a Niobe, que zerar com o Ghost, um cara oriental, então há uma parte do jogo que os inimigos falam algo do tipo "Na cortiça" ou algo assim e começam a atirar, só que na hora alguém leu "NA MESTIÇA!!!" e começavam a meter bala e nós já pensamos "eiiita porra que jogo preconceituoso!!!" uahahahaha.

Isso fez na hora voltamos a fase só pra ver de novo mas ai vimos que lemos errado mesmo, porém a mania ficou, depois disso passamos a falar direto "NA MESTIÇA!!!" e apontar um pro outro sempre que alguém falava alguma besteira e queríamos "eliminar" o momento de tosqueira da pessoa, esse jogo realmente gerou muita diversão e boas lembranças.

Outra coisa que zoávamos demais é que esse é um jogo definitivamente bugado, porém como é um jogo de Matrix, sempre falávamos "Não isso aí não é o jogo não, é erro da Matrix!" tudo era erro da matrix na bagaça e bota erro porque tinha pra cacete!  Era uma coisa surreal e não tem desculpa de ser jogo velho, pois mesmo na época era notável a tosqueira.

Vocês já viram um carro de roda quadrada? Pois é, em enter the matrix você vai ver, mas você acha que os caras tem vergonha? Não mesmo, eles fazem questão de por a câmera direto mostrando a roda do carro pra todo mundo ver a maravilha que é o bagulho quadrado, e eu não to falando de poligonal não, eu to falando de QUADRADO MESMO! Um negócio de quatro lados rodando, inclusive tem uma missão que você tem que atirar com uma sniper na roda de um avião uahahahaha.

As armas do jogo são uma desgraaaça! Já viu atirar pra frente e ir pra trás? ÉÉÉÉ, isso também tem em Enter the matrix, o jogo vem com auto-mira então você não aponta com o mouse, ele mira automático nos inimigos, até aí até que tudo bem, principalmente para consoles, o problema real é que os caras não fizeram a animação da arma apontando para o lado certo, e nem fizeram a animação dela saindo da arma também, ou seja se você tiver em câmera lenta.

Você vê as balas saindo de perto da arma e não de dentro dela. e se você virar de lado as vezes acontece do tiro sair torto indo pros lados, pra cima, pra trás, pra toda parte vai tiro na bagaça. Isso sem contar com a mira né? Porque você pode mudar pra primeira pessoa mas é realmente um deus-nos-acuda aquilo, a mira é uma droga de controlar.

O jogo tentou radicalizar colocando fases diferentes com veículos, até aí beleza, muito massa, o problema é que quando você controla, você sente como se tivesse com o pneu furado o tempo todo e você sente que a cidade toda e os outros carros são feitos de papel. Imagina que desgraça controlar algo assim? Seu carro vira por qualquer coisa e tem fases que você nem vê o que diabos tá acontecendo porque os caras resolveram tacar ainda uns obstáculos que te jogam pra cima e você vê mais o céu que a pista. Já sei, agora vocês já devem estar se perguntando:

"Oé Sky mas o jogo é tão ruim e mesmo assim você resolveu jogar de novo?"

Bom, o negócio é que na verdade o jogo não é tão ruim assim, como falei o jogo é bugado, mas por incrível que pareça ele é muito divertido. Tem muitas coisas que são bem trabalhadas nele mas parece que o jogo foi lançado antes do que deveria e algumas coisas foram feitas de última hora, porém o combate do jogo é fascinante. Há uma quantidade de movimentos tão impressionante e você realmente se sente plugado a matrix. Os caras adicionaram uma barra chamada FOCUS que vai carregando sozinha, e você pode ativar ele a qualquer momento.

Quando você não está usando focus, você luta pra cacete, faz movimentos muito bonitos mesmo e tem aquela sensação de impacto ótima que alguns jogos conseguem passar, ou seja você não bate e sente que o ataque atravessou, você sente que o inimigo sentiu mesmo a pancada, pra um jogo da época isso era muito mais impressionante do que hoje em dia. Agora quando você ativa o focus, aí sim você faz umas loucuras! É realmente impressionante como os movimentos ficam lindos, você é muito mais forte que os inimigos portanto você pode aplicar combos a vontade.

Você pode por exemplo começar uma sequencia em um inimigo e lançar ele girando no ar, então quando ele cair no chão, você meter o chute e ele ir deslizando em direção aos outros inimigos e derrubar eles, ou então enquanto estiver no ar ainda, inclinar seu corpo e dar socos com as duas mãos, lançando o corpo dele pra longe no ar, e se tiver algo na frente tipo uma estante de livros, você ainda terá a agradável visão dele batendo e os livros caindo.

Dependendo dos elementos perto, os ataques podem mudar muito, por exemplo você pode usar suas pernas de diversas formas, dar uma rasteira, um chute na cabeça, dar alguns passos na parede e depois girar dando um chute, dar passos na parede e dar um salto mortal indo parar atrás do inimigo. Aplicar um contra ataque também é muito louco, acontecem coisas do tipo, o inimigo se abaixa e pega em uma perna e braço seu, então te ergue no ar e te taca no chão, mas aí no contra ataque você põe os pés no chão antes de cair, e no impulso pega o inimigo e levanta ele da mesma forma que ele te levantou e o joga no chão, é algo lindo de se ver bem ao estilo "O feitiço voltou contra o feiticeiro" hehehehe. Também há as defesas, principalmente contra agentes elas ficam bem mais visíveis, são coisas que variam muito também, pode ser só parar um golpe com a mão, levantar a perna para deter um chute, ou girar o corpo por completo e ir parar atrás do inimigo.
O focus te dá aquela sensação de "Você precisa acreditar em si" isso porque as vezes você está tão lascado e quase morrendo, que você tem que se esconder e esperar o focus recuperar, nesses momentos você costuma pensar o que você pretende fazer, e quando você sai do esconderijo nessas situações, costuma-se ter diversos guardas que logo começam a te fuzilar.

Mas com o focus cheio você pode ir correndo no meio das balas, ativar ele e ver a cena maravilhosa de você dando estrelinhas, saltos mortais, giros, saltos gigantescos, andando na parede e enquanto isso um monte de bala passando na tela sem te acertar, é realmente muito fodão! Principalmente quando você chega perto e faz alguma coisa do tipo segurar o cano da arma do inimigo, dar um giro tirando a arma da mão dele e completando o giro batendo o cabo na cara dele, fazendo-o girar no ar, depois aplicar o combo que bem entender ou partir para outro inimigo hehehehe.

O jogo se passa simultaneamente a Matrix Reloaded, ou seja, você vê a Niobe e o Ghost no filme em diversas partes e no jogo você vê como eles foram parar naquelas partes, eu gostei muito disso, com o tempo percebi que gostava mais dessa idéia que se o jogo fosse a história do reloaded com o Neo, isso fez o universo de Matrix aumentar ainda mais, e ainda faz uma ligação direta com o curta metragem Vôo final de Osiris, pois enquanto o curta mostra o conteúdo da fita e o filme mostra os personagens recebendo a fita.

No jogo mostra você indo pegar a fita, isso só o começo é claro porque tem muito mais! Você vê coisas como por exemplo os erros da Matrix citados pelo Oráculo no filme, como vampiros, você controla o carro naquela perseguição alucinante do filme, que por pior que seja o controle do carro, é demais ver a ligação direta com o filme, pois você vê em Reloaded só o Morpheus caindo em cima do carro de Niobe e ela falando "Peguei" mas no jogo você controla esse carro.
Mas o melhor da história é, se você acha que assistiu Matrix Reloaded inteiro e não jogou Enter the Matrix, você está errado! Isso porque o jogo tem 1 hora a mais de filme, e eu não estou falando de CG, to falando de filme mesmo, mostrando a Niobe e o Ghost, você vê cenas que realmente empolgam.

Por exemplo sabem aquele grande corredor que vários Smiths acham o Neo e começa a pancadaria? Pois é, no jogo uma cena que gostei muito foi que mostra que antes disso acontecer a Niobe chega lá e então uma porta se abre e sai um Smith e ele fala "Ah, não era você que eu estava esperando aqui, mas vai servir" e então ela pergunta "Quem é você?" e ele responde "Eu sou o Alpha" e então outra porta se abre e outro Smith diz "E você é o Omega" e então outra porta se abre e mais um Smith diz "Eu sou o começo" e outra porta se abre com um novo Smith falando "Do seu fim" uahahahahaha.

As cenas que agente te perseguem são demais, eles são impossíveis de se vencer portanto você acaba com momentos alucinantes de perseguição saltando de prédios, indo para lado de fora de arranha céus, correndo por bairros chineses, entre outras coisas, é muito boa a sensação.
Quando você escolhe um dos personagens você joga cenas iguais em algumas fases, mas há cenas exclusivas para cada personagem então acaba valendo a pena jogar duas vezes para ver as diversas fases exclusivas de cada um.

Enfim, vale a pena jogar esse jogo para ver a história de Reloaded completa. Mas realmente ele é mais para um passa tempo pra te fazer ter o prazer de se sentir poderoso, de pular por janelas com pulos gigantes, andar na parede, lutar pra cacete, esse foi o principal motivo que joguei, e isso falando de combate desarmado é claro porque o armado apesar de ter uns movimentos fodas as vezes quando você ativa focus, é bugado demais para ser aproveitado. Bom, e é isso, infelizmente o jogo não saiu para steam então o jeito é se contentar com o mundo expandido de Matrix mesmo.

Twittem aí para seus amigos pessoal =D 

Comentários

Rafaelparts disse…
é interessante vc fala desse jogo pq eu lembrei da primeira vez q joguei esse jogo vlw.
Jean Farias disse…
por incrível que pareça, a parte do carro era a que eu mais gostava. eu so jogava com a "mestiça" shausaushau, pra dirigir o carro.
Skywalkerpg disse…
Sério? O________________O" ahahahahaha caracas então pelo jeito deve ter dado certo mesmo a tentativa deles de colocar algo diferente ja que teve gente que gostou, eu jurava que ninguem gostava daquelas partes uahahahaha
Lucas disse…
CARACA! Tenho esse jogo pra Xbox (1), e é muito foda! Já zerei duas vezes, um com o cara, e o outro com a mestiça, ainda acho a mestiça melhor, mas o jogo é fodão ^^. Me lembro q numa fase que é tipo um esgoto, eu consegui entrar na parede, lá dentro tinha um bando de bonecos, tipo um mundo paralelo do jogo que td mundo fica parado, dps era escuro, ai tinha um prédio, no meio do nada, e um carro, nunca mais consegui bugar...