Diretor de World of Tanks foi demitido após apoiar na internet a invasão russa na Ucrânia

A guerra da Ucrânia gerou muitos horrores, uma quantidade imensa de mortes e tensão internacional. Muitas empresas de videogames se manifestaram, desde um simples apoio público à Ucrânia como a Ubisoft fez, até ajuda monetária como a CD Projekt Red Fez. Além de coisas horríveis como o pedido desesperado de apoio da desenvolvedora de Stalker. No entanto apoios à Rússia também rolaram, e o diretor de World of Tanks decidiu fazer isso publicamente, mas anão acabou nada bem...

Como vocês devem saber bem, no geral a maioria das pessoas acabou sendo contra a guerra e rolaram manifestações desde países, fazendo sanções cabulosas para isolar a Rússia do resto do mundo, complicando muito pra eles e os forçando a pensar bem se prosseguiam com a coisa, até pessoas comuns, discutindo sobre a coisa. Uma delas foi Sergey Burkatovskiy, diretor criativo de World of Tanks, que disse o seguinte no Facebook:

“Apoio as operações das forças armadas da Federação Russa, da República Popular de Donetsk e da República Popular de Luhansk”

Como se tratou de uma figura pública, automaticamente ele foi associado à empresa em que trabalha. E não demorou nem um pouco para que chegasse aos ouvidos da desenvolvedora Wargaming (Ela é da Bielorrússia), que ficou sendo associada ao posicionamento e assim a empresa falou:

"Burkatovskiy expressou sua opinião pessoal nas mídias sociais que categoricamente não reflete a posição da empresa" e "Ele foi demitido e não está mais na empresa"

Além disso parece ter se apressado em demonstrar um apoio público de uma forma bem clara de que estava do lado da Ucrânia, portanto comentou:
 
"A segurança de nossos funcionários é a principal prioridade. Atualmente, todos os recursos disponíveis da empresa estão ajudando e apoiando nossos mais de 550 colegas: fornecendo-lhes moradia alternativa, pagamentos antecipados de salários, fundos adicionais para ajudar em viagens e realocação"
 
"Estamos ajudando as famílias de nossos funcionários a viajar para países vizinhos e organizando acomodações para eles. E, por último, hoje, a Wargaming Kyiv está doando US$ 1 milhão para a Cruz Vermelha Ucraniana. Esses fundos serão usados ​​para apoiar hospitais e médicos ucranianos, aqueles cidadãos que foram deslocados e outras atividades vitais da organização humanitária, conforme necessário" 

Não é algo incomum empresas tomarem ações pesadas com alguém por algum comentário. Às vezes pode ser algo interno mesmo, como o criador do Xbox quase sendo demitido por causa de uma piada, mas às vezes é algo público e que pode trazer muita treta pra cima da empresa, então o que elas fazem é só cair fora o mais rápido possível, como foi o caso da Pro-Player que disse que homens baixos não deviam ter direitos humanos, ou o escandaloso caso do Vice-presidente da PSN em vídeo relacionado a pedofilia. Em ambos os casos, as empresas sumiram com eles imediatamente.

Postar um comentário

0 Comentários