A piada que quase fez o criador do Xbox ser demitido da Microsoft

Quem assistiu ao fantástico documentário Power On, em que é mostrada a história do Xbox, sabe bem que a criação do console foi totalmente barra pesada e que os caras não eram grande coisa para a Microsoft, além de serem vistos como esquisitos pelos companheiros. Bill Gates era bem barra pesada em suas decisões, e isso inclusive chegou a fazer a carreira do criador do Xbox chegar ao fim na empresa.

Seamus Blackley é uma figura que costuma falar as coisas de forma escrachada, inclusive chegando a dar uma esculhambada na Activision quando ela foi comprada, e na empresa ele falava as coisas diretamente também, sendo que às vezes falava algumas coisas que nem todo mundo gostava de ouvir e durante o tempo de criação do console, ele falou o seguinte enquanto apresentava uma teoria sobre jogos online:

"Jogar é como se masturbar. Todo mundo faz, mas ninguém fala a respeito."


O Xbox foi um dos primeiros consoles a ter modo online. O primeiro videogame a ter isso foi o SEGA Dreamcast, e o conceito não era tão popular naquela época, mas era inovador, portanto exigia palestras e debates sobre como os jogadores reagiriam. Isso acabava naturalmente gerando analogias, que foi o caso. Mas o resultado é que os executivos Bill Gates e Steve Ballmer ficaram irritadíssimos com a coisa, o que gerou problemas para o cara.

Apesar do jeito quietinho de Bill Gates, ele era extremamente rígido e provavelmente ficou com vergonha ao ouvir algo assim. Já Steve Ballmer sempre foi o contrário e muito agitado, então sinceramente não consigo imaginar a ira dele, já que o cara parecia sempre estar em chamas nas palestras dele. E vocês, o que acham que causou a irritação de Ballmer?

Postar um comentário

0 Comentários