Gritos Mortais | James Wan teve outros bonecos feios antes de Annabelle

Esse é um filme que eu tinha visto imagens há séculos vagando pela internet, mas nunca fiz muita questão assistir, afinal de contas me parecia genérico demais, com um boneco clássico que já foi usado e abusado no universo de Goosebumps. Então só me parecia tosco mesmo, porém assisto muitos filmes do bagaço e um amigo meu me chamou pra ver ele, aceitei. Então foi uma surpresa no começo, ver "James Wan" como diretor, que é também o responsável por Invocação do Mal e várias outras obras de terror.
 
A história apresenta Jamie Ashen, um homem que vive com sua esposa e certo dia recebem uma enorme caixa com um boneco. Inicialmente, acham apenas engraçado, mas logo as coisas ficam muito macabras, quando Jamie vai comprar comida e ao retornar, acha o corpo de sua companheira, em um assassinato brutal. Ao começar investigar, retorna à sua cidade natal, quando nota a ligação do acontecido, com o misterioso pacote que recebeu.
Dead Silence foi lançado em 2007, então veio depois de Jogos Mortais, que é do mesmo diretor e antes do filme e Sobrenatural. Algo que achei engraçado é que parece um verdadeiro híbrido entre elementos dos dois. O lance do boneco, punição e reviravoltas de um, misturado com o espírito descontrolado e uma criatura com visual peculiar de outro. A sensação que me passou é que é um filme que mostra claramente a jornada de evolução do diretor.

Algo que com certeza admirei e acredito que seja um ponto muito positivo no filme, é o fato de que ele tem uma mitologia própria. Isso é uma coisa que a maioria dos filmes de terror não tem paciência alguma e só colocam um grupo de jovens, Satanás com uma breve história e pronto! O resto é só correria e cada um deles morrendo um a um até sobrar alguém no final, que muitas vezes morre nos últimos segundos também.
Mas aqui temos algo que vai bem além, apresentando o passado da entidade, parte da história da cidade, reviravoltas antes de acabar o filme, um policial com uma história fora, que atrapalha o protagonista, que por sua vez tem crise com o pai e etc. São uma série de pequenos detalhes que tornam ele um filme investigativo  mais robusto que a maioria dos filmes de terror.

No entanto, infelizmente é notável que falta um certo tempero e tem uma falta de toque que dá pra ver que o diretor pegou bastante com o passar do tempo. Você nota que tem todos esses elementos ali, mas parece algo um tanto vazio e sem emoção. Não me causou o impacto que Jogos Mortais tinha. As coisas simplesmente iam rolando sem surpreender, mesmo quando eram surpresas. Além de atitudes um tanto vazias dos personagens.
Por exemplo, a esposa do cara morre e é como se ele só falasse "Tá", enquanto o policial que persegue ele, não passa sensação alguma de firmeza. Uma hora ele diz que vai prender o protagonista e o protagonista entra no carro. O policial diz "Qual é? Não me faz te perseguir!" e o cara se manda, o que ele diz é "Eu tô sem gasolina!". Então tem uns diálogos sem firmeza alguma.

A produção é muito bonita e você nota que foram feitas belas montagens de cenas com um esforço real para dar elegância à coisa. Apesar de tudo foi a coisa que mais me impressionou, porque o filme em geral passa uma sensação um tanto indie, a fotografia é  bem comum e acho que o que explica os 20 milhões de dólares do orçamento é a variação enorme de cenários, pois é muito acima do valor gasto na maioria dos filmes do diretor. Sobrenatural 2, por exemplo, custou 5 milhões, que já é mais de três vezes o valor do primeiro filme.
E por falar em Sobrenatural, a criatura por trás dos acontecimentos do filme tem um visual um tanto peculiar que acho que se encaixa perfeitamente no mesmo universo. Eu gostei da forma que decidiram apresentar esse ser, e os elementos relacionados a ventríloquo, com por exemplo o poder de fazer o som de tudo ao redor parar, além do design. Não é surrealmente diferenciado, mas ao menos rolou um esforço.

Enfim, Gritos Mortais é um filme que é cheio de elementos interessantes, mas que acabou não me encantando muito. Realmente acho que faltou algum tato para fazer a coisa ser mais divertida e não apenas interessantes. Dá pra ver que é algo que foi parte da trajetória do diretor e que deu uma melhorada com o passar dos anos.

Postar um comentário

0 Comentários