Bear's Restaurant | Jogo narrativo de restaurante no paraíso

Em meio a tantas obras adaptadas no Paraíso, aqui temos algo um pouco diferente e se passa no purgatório. Esse é um jogo relaxante das mãos do Daigo, aquele cara japonês que costuma fazer jogos emocionais como Clock of Atonement e o maravilhoso Bluebird of Hapiness, que contam com seu estilo bem próprio e narrativo.

A história se passa  em um restaurante no purgatório, onde há duas estações de trem. Um delas leva ao paraíso e a outra leva ao inferno. Nesse lugar também tem o restaurante do Urso, que conta com a ajuda de uma gatinha sem memória para servir a última refeição a aqueles que morreram e então eles partem para onde precisam ir.
Esse é mais um jogo narrativo, então é aquele estilo de pequeno conto que muita gente gosta. Foi feito para ser zerado rápido em mais ou menos duas horas de jogo e tem um clima bastante relaxante. Então não é como se fosse para ser jogado por um tempão até zerar, mas apenas levado como algo rápido que gera uma diversão momentânea.
 
O foco não é na jogabilidade, mas sim acompanhar a história dos personagens. Apesar de você começar assumindo o controle da gatinha, chega um momento em que as coisas vão variando e você passa a controlar também o urso. A coisa funciona de forma meio cinematográfica, passando para um personagem e depois para o outro.
A atmosfera parece bastante com a de Angel Road, e se você jogou outros jogos do desenvolvedor, vai ver que eles se passam no mesmo universo. Então vai rolar algumas surpresas para aqueles que deram uma conferida nas obras anteriores, o que gera aquela surpresinha, ainda mais porque não apenas heróis, como vilões  também estão ali.

Apesar de tudo, outra semelhança com Angel Road que não achei tão bem vinda, foi a linearidade absurda. Basicamente a variação nas coisas que temos aqui é baixíssima. Apesar de aparecerem uma série de diálogos pra você responder, só existe uma resposta, pois a outra te fará ficar repetindo sem parar até escolher a outra opção.
Também rolam momentos em que aparecem múltiplas opções para perguntar algo para um personagem, mas nesses casos você tem que ir selecionando uma pergunta por vez até terminar e somente assim você poderá sair da tela ou passar para uma nova série de perguntas. Ou seja, a suposta opção de escolha na verdade é algo completamente linear. 
 
Acho que perderam a oportunidade de oferecer algo diferente, pois existe a mecânica de "Mergulho", onde você pode entrar na mente dos personagens quando você não sabe o que eles querem comer e assim pode vagar por suas memórias, algo meio semelhante ao filme "A Origem", no entanto não dá pra fazer nada a não ser só ficar falando com os personagens. Outros jogos, como "Remember Me", já apresentaram mecânicas semelhantes e mostraram que dá pra por uns puzzles legais.
Os personagens que você mergulha nas memórias, tem suas próprias histórias e assim você pode ver uma série de passados. Isso se assemelha muito a Mousebusters, que é o último jogo que joguei do desenvolvedor. E para quem gostou daquele, vai sentir completamente a atmosfera aqui, porém em um ambiente todo diferente.
 
Quanto aos gráficos, novamente foi feito um belíssimo trabalho de pixel art. Para quem gosta de jogos com visuais em 2D com um charme todo peculiar, esse com certeza é capaz de oferecer. Aquele tipo de jogo que apesar de usar o padrão tão conhecido de RPG Maker, você pode notar que foram muito bem trabalhados. O único problema é que os personagens só tem um modelo, então às vezes uma cena triste é representada pelo personagem com um sorriso no rosto. 
 
Enfim, Bear's Restaurant é um jogo bacana para quem quer passar o tempo vendo uma história sentimental, no entanto realmente é uma experiência para ser puramente narrativa. Se o que você procura é algo que envolva uma mecânica e você se sinta no controle do que vai acontecer, não é essa a experiência que procura.

Postar um comentário

0 Comentários