O dia que a Sony decidiu dar Strike em vídeos de Earthbound, franquia da Nintendo!

Strikes são quando a detentora de direitos autorais de algo, resolve tirar um conteúdo do ar feito por um usuário. Normalmente três strikes te banem pra sempre um canal. A Nintendo criou uma má fama imensa com isso, pois tem uma variedade imensa de produtos e isso fez com que ela começasse a dar strike em youtubers que monetizassem com gameplays em 2013. Isso mudou em 2018, mas em 2021 algo curioso surgiu... A Sony dando strike em uma obra da Nintendo!

A indústria gamer está em constante briga com outras indústrias graças aos criadores de conteúdo. Às vezes alguém cria um vídeo contando a história de uma empresa, e usa a música que apareceu em um jogo, no entanto aparece uma gravadora e envia um strike. Isso é um pesadelo especialmente para canais gigantescos com toneladas de conteúdos, alguns muitos antigos e que de repente uma gravadora surge falando que algo de 10 anos atrás tem conteúdo de direitos autorais.
Isso não acontece apenas com criadores de conteúdos, até mesmo jogos super populares de empresas grandes podem sofrer nas mãos de outras indústrias. Um exemplo é Alan Wake, jogo que foi retirado da steam em 2017 porque continha músicas que atingiram seu prazo de validade e a Remedy só trouxe de volta por causa da Microsoft e apenas no ano seguinte.

Em 2013 a Nintendo notou que tinha gente ganhando dinheiro ao fazer gameplays, detonados e dicas de seus jogos e decidiu que somente ela poderia ganhar com aquilo. Então começou a pegar toda a monetização pra ela. Isso revoltou youtubers, que decidiram não mostrar mais absolutamente nada da empresa e em 2014 ela voltou com um serviço de criadores selecionados.
Apesar de tudo o serviço era todo limitado, proibindo streamers, pois não considerava isso divertido, indo contra speedrunners, pois dizia que todos usavam jogos piratas e sendo completamente restrita ao selecionar pessoas para entrarem. Isso diminuiu absurdamente a quantidade de pessoas dispostas a fazer conteúdo para a Nintendo.

Mas o tempo passou, e os streamers e criadores de conteúdos em geral não paravam de crescer, se tornou uma verdadeira nova indústria com muito dinheiro e a Big N começou a ver que estava ficando de fora. Sendo assim, em 2018, ela decidiu acabar com o seu programa de criadores e deixar que fizessem conteúdo de suas criações.
Apesar disso, a má fama que criou por anos foi tamanha, que muitos criadores só não voltaram. Alguns por medo de ter pegadinha nessa abertura, outros por imenso rancor da empresa. Mas para aqueles que se sentiram à vontade, tiveram uma bela surpresa em 2021 ao enfrentar um novo problema de strikes criando conteúdo da Nintendo, mas não da própria empresa e sim... DA SONY!

Imagina a surpresa ao criar um vídeo de gameplay de Earthbound (Mother na versão japonesa) e receber um e-mail avisando que a Sony está reivindicando o vídeo por direitos autorais? Pois foi exatamente o que aconteceu com vários usuários, alguns com o vídeo sendo excluído, outros com parte da monetização sendo entregues à Sony.
O motivo disso é que a dona do Playstation percebeu que o primeiro jogo da franquia, usava uma faixa de música presente em um álbum da editora CBS/Sony Music, no ano de 1989. Esse foi o ano que Earthbound foi lançado e também naquela época a Sony não estava na indústria gamer ainda e não existiam essas tretas de direitos autorais na internet (já que ela era completamente limitada).

E aí já sabem né? Aquela treta louca de sempre! Eu fico imaginando a surpresa da Nintendo ao ver alguém fazendo isso com uma obra sua, ainda mais sendo uma das principais rivais no mercado. Mas a indústria da música infelizmente acabou tendo muitas dificuldades em acordos com o ramo gamer, resultando nisso.


Postar um comentário

0 Comentários