Cemitério Maldito | Muito potencial, porém pouco emocionante

Hora de finalmente falar sobre Cemitério Maldito, a adaptação de 2019 baseada no livro do Stephen King, O Cemitério (Pet Sematary), que acabou mantendo o nome tosco da versão brasileira graças à popularidade da adaptação de 1989, uma época em que todo filme de terror tinha "Maldito", "Macabro", "Do mal", "Do Inferno", "Das Trevas", "Satânico" e infelizmente perdeu o charme d o nome original, que é "Cemitério De Animais" escrito de maneira errada, já que foi uma criança que o escreveu.

Essa é a história de uma família que foge do estresse da cidade grande e acaba comprando uma imensa propriedade na pequena cidade de Ludlow. O lugar fica próximo a uma mata onde há um cemitério em que as crianças locais enterram seus animais quando morrem. No entanto, quando o gato da família morre, o vizinho mostra que há um lugar além do cemitério em que se enterram animais, eles voltam à vida, porém diferentes.

Me empolguei bastante quando fiquei sabendo que fariam um remake, pois o filme original fez parte da minha infância e deixou sua marca. Tinha aquele climinha macabro desagradável de filmes de terror que tanto intrigam. E claro que uma releitura moderna me interessou bastante, especialmente porque foi fruto de uma moda interessante, que é a de adaptações de Stephen King.

Na década de 90 tivemos It: Uma Obra Prima do Medo, e foi uma série que teve sua elegância. Na era da internet a popularização aconteceu ao extremo quando lançaram o filme It: A Coisa, e isso deu um baita de um ânimo para adaptações. Quando Cemitério Maldito foi anunciado, a sensação era meio de que a tradição estaria sendo seguida e seria tão bacana quanto.

Infelizmente, apesar da elegância, ótima fotografia e boa maquiagem, o filme acabou não sendo exatamente o que eu esperava. E o meu amigo que não estava nem aí pra coisa também disse que achou bacana, mas só. Sendo assim, acho que acabou sendo uma daquelas obras que você até nota o potencial, mas ele não é alcançado no fim das contas.

E eu não acho que o problema tenha sido a direção, nem nada, mas as escolhas erradas que acabaram gerando um belo de um problema. Após assistir, fiquei encabulado pensando se eu tinha superestimado o antigo e por isso pensado que iria ser fenomenal o de 2019, pois é notável que nessa versão há um esforço para se diferenciar. E ao ver cenas antigas percebi que talvez exatamente esse tenha sido o problema.

Quando você vê filmes como o remake de A Profecia, é notável que é um filme super desnecessário, especialmente se você assistir o original e depois o remake, pois verá que são exatamente o mesmo filme. Não é como se fosse uma versão moderna que dá um imenso prazer em ver a coisa atualizada. Mantiveram exatamente as mesmas coisas e assim a sensação é de que não tinha pra que fazer isso.

Esse erro não é repetido em O Cemitério Maldito, e tiveram várias cenas em que pensei "Agora é a hora que vai acontecer tal coisa..." e bem no momento em que isso ia acontecer, simplesmente não rolava e a situação era diferente. O filme não é uma cópia do original e nesse quesito a coisa é muito boa, pois quem é fã do original percebe que não pode prever o que vai rolar.

Por outro lado, aí está o problema... Se você for procurar as cenas mais intensas do filme original, notará que são as cenas de morte. A tristeza com toque perturbador de se ter que matar completamente contra a vontade. Aquele clima super incômodo que causa é algo extremamente intenso e que gera uma certa adrenalina, é um diferencial ótimo.

No remake, infelizmente em meio às mudanças acabam mudando coisas extremamente importantes que não são substituídas por algo equivalente. E por mais que eu tenha adorado o final e visto um potencial para sequencia, é mais para um filme de correria e gritaria com facada nas costas e gente sendo jogada pela janela.

Quando o filme acabou e vi que era só isso, a sensação foi de decepção. Não é que seja um filme horroroso, só que é meio sem sal. É aquele climinha de "Eles foram lá... Rolou a bagaceira, todo mundo tomou facada... E bom... É! FIM!". Não é criado nem ao menos uma atmosfera em cima do cemitério e tal, não bate aquela curiosidade e empolgação de ver o personagem descobrindo a coisa. Tem um grupo de crianças que pensei que iriam ser um adicional extra à coisa, mas só são elas passando mesmo e pronto, acabou. Nada de novo...

Enfim, Cemitério Maldito é um filme que pode ser interessante para passar o tempo, mas deve ser assistido sem expectativa. É realmente mais um filme de terror com o diferencial de ter orçamento e por isso ser meio estiloso no visual, mas no geral não muda muito e é até pior do que diversos filmes de menor orçamento. Recomendo, mas como filme pra ver em algum momento, não para ver urgentemente.

Postar um comentário

0 Comentários