A Frequência Kirlian | Animação de horror surpreendente

Tem um amigo com quem sempre assisto Netflix Party, e somos viciados em ver filme de terror, no entanto estamos de acordo que quase tudo que vemos é horrível. Infelizmente o gênero horror é uma desgraça sem criatividade. Parece que quase tudo é uma cópia idêntica de certos modelos prontos. Mas felizmente em nossas buscas, vez ou outra achamos algo interessante, e foi o caso de "A Frequência Kirlian".


A história se passa na cidade de Kirlian, um lugar estranho no meio do nada onde todo mundo tem um parente ou conhece alguém que mora lá. No entanto, estranhamente o lugar não está listado em mapa algum e ninguém realmente sabe como se vai pra lá. Todas as noites a rádio da cidade começa a apresentar um programa noturno que só termina ao amanhecer, e nele são citados os casos bizarros que acontecem.

Tá aí uma verdadeira pérola fantástica, com episódios que  te surpreendem. Ainda mais pelo fato de que são tão curtinhos, em menos de dez minutos conseguem fazer surpresas e criar uma atmosfera que estão anos luz de certos filmes de terror que tem todo um orçamento grande com viagens, figurino, maquiagem e um monte de coisas.

Mas vamos começar pelo ruim né? Essa é uma obra argentina que infelizmente é muito desvalorizada. Seu piloto foi lançado em 2009, e você nota que não é algo de grande orçamento, tanto na animação que é em motion comic, quanto no tempo de duração, na quantidade minúscula de episódios (Sã apenas 5). Acabou se tornando uma websérie, porém sem muita visibilidade e apoio.

O resultado é algo que parece uma obra muito bem feita, porém desenvolvida para um canal do youtube, e não uma animação de grande orçamento. Por outro lado, é o tipo de coisa que é fácil notar que veio da mente de pessoas talentosas e que consegue provar que a criatividade consegue ir além de qualquer orçamento. Se a pessoa tem boas ideias, ela consegue encantar sem mega efeitos especiais.

Os episódios variam entre o radialista em sua estação e os acontecimentos fora da cidade. Focam em pessoas que de alguma forma entraram em contato, seja indo até lá para entrevista ou em uma ligação para participar do programa. E à medida em que o radialista vai conversando com a pessoa, as cenas vão variando entre a narração de coisas que ocorreram ou estão acontecendo e o que está rolando dentro da estação.

Eu diria que é uma mistura de Pontypool com Eerie Indiana, apresentando o elemento de uma estação de rádio isolada do mundo exterior, e as esquisitices de uma cidade que só aqueles que param para prestar atenção conseguem ver. E cada episódio te deixa já se preparando para que tipo de insanidade irá aparecer.

Um dos pontos mais altos sem dúvidas é a narração. É maravilhoso como os personagens falam continuamente sobre o que aconteceu ou está acontecendo e como dá uma variada. A forma tão humana e com elementos normais do dia a dia deixa tudo tão natural. É como se alguém estivesse te contando uma história muito interessante.

Também tem os elementos de rádio que são usados, incluindo patrocínio e "Essa música é dedicada a...", que acaba sendo uma ótima desculpa para por trilha sonora e ao mesmo tempo apresentar algum momento que combina demais. A animação por mais que seja motion comic, os caras usaram isso a favor deles, mantendo uma estética que tudo tem a ver com um conto.

Enfim, "A Frequência Kirlian" não é a primeira animação antológica com contos estranhos, já tivemos por exemplo o japonês Yami Shibai, no entanto sem dúvidas consegue se destacar com sua forma grandiosa que teve a capacidade de se compactar em episódios pequenos. São menos de 10 minutos, mas são episódios robustos que não param em momento algum e apresentam uma grande quantidade de conteúdo. Recomendo assistir à noite com um amigo.

Postar um comentário

0 Comentários