Chamas da Morte | O filme que inspirou o vilão de Clock Tower

Esse é um filme que eu nunca tinha ouvido falar na vida, mas conheci enquanto escrevia a matéria sobre Unlucky Seven e descobri que ele foi uma das inspirações e ao pesquisar me atraiu o estilo do assassino que me lembrou o vilão de Clock Tower e logo descobri que realmente foi uma inspiração. Somando à vontade de assistir um slasher dos anos 80 que não fosse trash demais, logo fui correndo conferir, e certamente fãs de histórias de serial killers que queiram algo mais bagaceira do que estiloso, pode ser uma boa (ou um pesadelo).



A história apresenta um acampamento de verão em que um grupo de garotos decide dar um susto em Cropsy (zelador do lugar), porém ao acordar, o homem se apavorou tanto, que acabou derrubando fogo no lugar onde estava e teve seu corpo completamente queimado. Isso fez com que ele passasse a odiar jovens e cinco anos depois, quando finalmente se recuperou, retorna pra fazer aquela chacina de verão!

Como podem ver, o filme parece um clone do clássico Sexta-Feira 13, e na real, sem exageros, é um clone mesmo. O filme foi lançado um ano depois (1981), dá pra ver que teve sim um certo orçamento pras cenas gore e pra tanto coadjuvante, mas no geral são as mesmas técnicas, o mesmo ambiente, praticamente a mesma história. Eu nem sei como esses caras não foram processados, provavelmente porque Sexta-Feira 13 era um filme B que os produtores não viam o potencial na época.

Mas então, esse é praticamente uma versão esquecida dos filmes do Jason, e inclusive você pode ver que o próprio estilo do primeiro filme da franquia é reutilizado aqui, com aquela coisa do Jason não aparecer (igual rola nos filmes seguintes). Então aqui nós temos mais a câmera espiando os personagens, do que o assassino.

Apesar de tudo isso dá um certo charme. O filme tem suas peculiaridades pra falar a verdade, no geral é um slasher comum com técnica bem secas da época, sem inovar. Mas tem certos momentos que eles realmente conseguem fazer algo que foge do padrão da época, e inclusive tiveram cenas que realmente gostei.

Uma delas foi a cena de múltiplos assassinatos de uma vez, que no geral é sim trash pra caramba, mas que achei uma cena muito elegante na forma que foi feita. Outra coisa legal é que pela primeira vez  consegui criar uma leve conexão com personagens de um filme do gênero, afinal de contas convenhamos que filmes assim são sempre um monte de jovens parecendo galinhas sem pescoço né?

Mas aqui eu senti um certo incômodo ao ver alguns personagens morrerem, isso porque tentam dar um toque bacana a alguns deles. Por outro lado isso meio que tira o foco do assassino, inclusive teve uma hora no filme que mudou pra visão dele observando um lugar e meu amigo comentou "Eu tinha até esquecido desse cara", e a verdade é que eu também tinha esquecido dele haha.

É um vilão um tanto tímido, ele não sai fazendo a festa em sequencia, existe muito foco nos personagens e de vez em quando  aparece o vilão pra massacrar algum infeliz e usar muito suco de tomate e borracha em meio a tesouradas e gritaria. Normalmente as sequencias são rápidas, exceto pela final.

O vilão é muito mal trabalhado, na minha opinião. Gostei do visual dele (meu amigo não curtiu tanto), mas é bem sem sentido. Ele sai do hospital e imediatamente vai matar uma prostituta, não há motivo, ele só vai lá e mata a mulher. Também não tem nenhuma fragilidade, parece que ter 100% do corpo deformado não deu em nada, o cara parece ter ganhado poderes.

A fotografia é boa, surpreendentemente tem foco em cenas diurnas e não durante a noite como é de se esperar em um filme desse tipo. Graças a isso é possível ver o visual maravilhoso do ambiente em que foi filmado, e me peguei várias vezes olhando para o fundo enquanto personagens batiam papo. Talvez nem todos liguem pra isso, mas achei bacana.

Achei a tosqueira do filme moderada, o que é surpreendente para um filme do começo da década de 80. Na verdade a bagaceira está mais nos diálogos e finais repentinos de cenas do que na matança em si. Os personagens às vezes tem aquele papo que parece ter sido colocado ali apenas para eles não ficarem mudos.

Enfim, é um filme pra passar o tempo mesmo. Acho que fãs de filme velho do gênero slasher e que estão de mente aberta para o fato de que filmes de terror dos anos 80 são só a bagaceira, esse pode ser realmente divertido até. É bastante decente e eu esperava menos, agora como filme geral, é o tipo de obra que envelheceu e que virou (isso se já não era considerado na época) só o bagaço. Mas mesmo que goste, recomendo assistir com amigos, não acho que vale a pena assistir esse tipo de filme sozinho. O filme foi lançado como "The Burning", "Chamas da Morte" e "A Vingança de Cropsy".

Comentários