Concluse | Um belo jogo grátis homenagem ao horror do PS1

Tá aí um joguinho que descobri por acaso, mas que foi uma surpresa muito agradável. Isso porque ele simula um jogo de terror da era do Playstation 1 e consegue passar bem uma atmosfera pesada mesmo com seu clima simplório. No fim foi uma surpresa algo tão bacana poder ser conseguido gratuitamente.



A história te coloca no papel de Michael Benson, um homem que por três anos procurou desesperadamente a sua esposa desaparecida. Mas ao perceber que não conseguiu nada, acabou desistindo, mas logo recebeu uma mensagem anônima falando sobre uma cidade chamada "Hell" (inferno em inglês). Ele pensou ser um trote a princípio, mas a curiosidade o levou a pesquisar e descobrir que a tal cidade realmente existe e assim partiu para o lugar.

Como podem notar, parece uma cópia de Silent Hill 2, e exceto pelo nome tosco da cidade escolhida que é tão forçado, que acaba dando um toque absurdamente trash na coisa, tudo consegue ser conduzido de uma forma delicada o bastante para fica elegante ao invés de ter um climinha de tosqueira e digno de ser um verdadeiro fangame de Silent Hill.

Eu fui jogar achando que esse era um jogo pesadão, até porque as imagens são bem macabras. A real é que ele é super atmosférico, com aparições, mas com foco em investigação e não nos combates. Você vê algumas aparições macabras e existe aquele climinha de mistério constante e sensação de que vai aparecer um capeta atrás de você, porém no geral é mais suave.

Por exemplo, no começo do jogo você chega de metrô no lugar e observa uma mulher misteriosa sentada em um dos vagões. Tenta interagir, mas ela te ignora, logo fica pensando se quando virar de costas ela vai te atacar. No mesmo lugar, quando o metrô está partindo você tem a visão de uma figura obscura difícil de definir o formato em um dos vagões.

É bem comum isso no jogo, você vê algo distante em um canto e não saber dizer exatamente o que viu e isso graças ao gráfico extremamente poluído. Isso porque ele não é apenas algo feito para ser jogado em baixa resolução (dá pra aumentar, mas perde o foco, já que a ideia é simular um jogo de PS1), ele também polui o gráfico com tanto chuvisco que na maioria do tempo o jogo é preto e branco.

Esse ponto inclusive pode incomodar algumas pessoas, o visual parece um vídeo antigo e corrompido, que você entende as coisas, porém parece mais que você tá sentindo elas do que propriamente vendo, o que de certa forma é bem charmoso. Lembra o visual de Begotten ou aqueles usados em Fitas Amaldiçoadas.

A mecânica é no geral de exploração e resolução de quebra-cabeças para passar. Tipo conseguir ativar o elevador ou ler documentos e descobrir o que fazer. Por exemplo tem um dos documentos em um hospital que fala de um paciente que arrancou a cabeça de um rato e insistia para não levar de volta. Daí você tem que em algum lugar da rua você tinha visto um rato sem cabeça.

O jogo usa desnecessariamente técnicas do PS1 para disfarçar o loading, que são cutscenes  entre alguns lugares. Em especial um elevador que você vai ver muitas vezes, isso pode causar uma certa agonia, mas compreendo o ponto. Afinal de contas se os caras queriam simular o PS1, tinha que ser por completo né?

Tem alguns pequenos elementos na mecânica que acho que dão um charme a mais no jogo e lembram bem certas obras antigas. Tipo o telefone público que você acha de vez em quando e pode escolher pra quem você quer ligar. Ou as fitas de vídeo que você encontra e tem que ir até onde tem um vídeo cassete pra assistir o conteúdo.

Um outro jogo que Concluse me lembrou foi Cry of Fear, parece inclusive uma versão mais suave do jogo. Tem muito daquela atmosfera de chegar em um prédio, entrar nele e ir descobrindo as bizarrices loucas. E sim, eu sei que Cry of Fear acaba puxando muito de Silent Hill também, mas nem por isso significa que o jogo não tenha uma atmosfera própria também né?

Enfim, jogo muito bacana, super atmosférico, é até bem grandinho para um jogo grátis, com média de 4 horas de duração. Pra quem gosta da beleza de Silent Hill, e adora aquele climinha de ver coisas e não ter certeza do que é tão usado em Alucinações do Passado, certamente irá ficar apaixonado por essa pequena obra, ainda mais se você ficou com gostinho de quero mais depois de ter jogado o demake de PT.

Comentários