Candlelight | Jogo de plataforma fofinho pra você amar

Esse é um jogo que parece ser meio indeciso sobre o público alvo, começando com uma fase extremamente bobinha, o que somado ao universo fofinho e bem detalhado, facilmente se associa às fábulas infantis, e isso faz parecer que é um jogo focado em crianças com menos de 10 anos, porém logo as coisas começam a ficar hardcore demais e você percebe que é preciso ter uma certa habilidade pra conseguir prosseguir.




A história se passa em uma ilha dominada pela noite e com um monte de velas que vivem felizes, porém tudo começa acabar quando uma tempestade chega e começa a apagar as chamas de uma a uma das chamas até se tornar uma ilha quase completamente obscura. No entanto uma velinha consegue sobreviver e parte para tentar localizar e acender todas as suas companheiras.

Esse é um daqueles jogos que você nota que o orçamento foi limitado, porém isso não assustou a equipe, e ao invés de apenas usarem uma fórmula pronta de forma preguiçosa, adicionaram elementos que o deixam muito mais movimentado e seja necessário ir e voltar nos cenários, além de se adaptar às situações.

Você precisa coletar cera frequentemente para continuar aceso, pois vai morrendo aos poucos, e também existem missões extras para abrir locais secretos, mas a principal é acender todas as velas do cenário, localizar os templos que abrem a porta da saída e se mandar. Mas se você quiser três estrelas no nível, vai ter que fazer tudo. 

Há ainda algumas habilidades que você deve usar dependendo do lugar, como lançar bolas de fogos para queimar ou explodir certas coisas, empurrar caixas para subir e passar para outros lugares, entre outras que dependem do lugar. E também há alguns elementos de cenário interessantes como procurar abrigo quando começar a chover.

Fui jogar sem saber nada sobre, pois quem me forneceu a key para análise foi a Greenman Gaming, e assim primeiro dei uma jogada inicial ao vivo na Twitch do Nerd Maldito. E nos primeiros minutos me pareceu um jogo infantil bem simples, divertido porém suave demais para alguém que curte jogos hardcore. Mas não demorou muito para notar que a coisa não é bem assim, e isso pode ser um problema para encaixar o jogo em um público.

Graças a esse primeiro momento tão suave eu logo pensei que o jogo não era desafiador o suficiente e só podia agradar duas pessoas, o público infantil e os fãs de jogo de plataforma que quisessem algo mais suave apenas para passar o tempo. Me pareceu algo que usa mecânicas clássicas, porém com algumas variadas divertidas como Yoshi's Island porém sem apelar, exatamente o oposto de jogos como Ninjahtic.

Mas já na segunda fase as coisas começaram a ficar mais apertadas, e na terceira eu comecei a sentir o desafio realmente maior. Acabei descartando a possibilidade de crianças novas gostarem, pois pode gerar frustração não conseguir passar de alguns lugares e morrer seguidamente em quedas ou por não ter coletado cera o suficiente para manter a vela acesa.

Graficamente o jogo é simples, em lowpoly, porém é muito bonitinho, parece que economizaram demais na resolução das texturas então passa aquela sensação de ser algo bem indie mesmo, porém com um belo design no cenário que compensa isso, e alguns efeitos que dão um charme a mais, como o de sombras do cenário que reagem de um jeito muito bonito em relação à luz do personagem.

Enfim, Candlelight  é um jogo simples, é um meio termo entre desafios casuais e hardcore. Existe uma boa variação nas possibilidades e um visual simpático não preguiçoso, isso pode acabar fazendo com que seja aqueles jogos que agrada jogar para passar o tempo, mas acredito que o público que mais vai realmente gostar da coisa é o que já é fã de plataforma. A GMG que me forneceu a key desse jogo, então imagino que eles tenham tendência a fazer promoções lá, vale a pena dar uma conferida.

Comentários