Northgard | Conquista, mitologia nórdica e muita matança

A cultura nórdica já teve influência nos mais variados tipos de conteúdos, e obviamente os video games não poderiam ficar de fora, graças a isso temos jogos como For Honor, Jotun, Gunnheim, e até coisas mais inusitadas como o brasileiro Star Vikings. E hoje vou falar sobre um jogo que tem um gênero muito a ver com a ideia, o divertidíssimo Northgard.



A história apresenta um clã de Vikings que abandona a sua cidade natal e chega a um continente que acabou de ser descoberto e muitos outros clãs lutam para tomar o controle do lugar. Mas Northgard é um lugar que carrega muito mais do que meros humanos. Criaturas selvagens e antigas lendas e terrores vagam pelo lugar prontos para atacar qualquer viking que se aproxime.

Assumo que tive uma impressão errada desse jogo graças ao visual, a primeira vista imaginei que seria algo como Warcraft 3. A verdade é que realmente me deixei iludir pelo gráfico meio fofinho, e as notas muito positivas logo me fizeram imaginar que realmente era um jogo que tinha tentado fazer algo semelhante e conseguido.

Mas quando fui jogar logo descobri que a verdade é que o jogo é um pouco diferente de obras padrões de estratégia em tempo real como Age of Empires 2, Starcraft ou Kingdom Wars 2. É algo que a princípio cheguei a pensar que era uma experiência meio casual tipo Royal Heroes, mas logo vi que definitivamente também não se encaixava nessa categoria.

O jogo tem uma mecânica meio diferente. Por um lado as unidades trabalham sozinhas, basta você definir a classe delas e vão ficar fazendo o trabalho sem parar, mas isso não torna o jogo mais fácil, a verdade é que me surpreendi em como tive que reiniciar missões várias vezes porque eu simplesmente já tinha ferrado demais a coisa.

O negócio é que eu estava com a ideia muito fixa de estratégia em tempo real e que por ter unidades de ataque que podem ser selecionadas e enviadas para matar um inimigo, só podia ser isso. Então fiquei tentando encaixar em algum subgênero que não podia ser casual já que era difícil demais, mas também não podia ser minimalista coo BOID ou Crush Your Enemies, já que é complexo demais.

Foi então que notei que esse jogo se trata bem mais de algo parecido com Pharaoh e 1849, onde você tem que montar uma comunidade e fazer com que ela funciona. Existe essa preocupação em faltar recurso de um lado e outro começar a não funcionar direito até a coisa se tornar um verdadeiro caos, gerando desespero. Porém também tanto foco em construir coisas, já que existem limites.

Em cada fase você vai avançando no mapa de Northgard e chega a um ambiente inicialmente oculto, você tem uma pequena área para construir uma quantidade limitada de instalações. Cada uma suporta dois trabalhadores e você deve enviar aldeões para assumirem aquele papel. São coisas como lenhadores, caçadores, curandeiros, guerreiros, etc.

Atingindo o limite de construções do lugar, você precisa explorar uma nova área, onde poderá construir mais coisas, porém vai precisar primeiro enviar um explorador, observar os recursos do lugar e ver se vale a pena pagar para conquistá-lo. Cada lugar novo oferece coisas novas, como minério, caça, ambiente para colocar fazendas, etc. E a cada lugar conquistado, o próximo fica mais caro.

É necessário armazenar comida também, pois nesse jogo tem uma linha do tempo que indica os meses passando e durante três meses é inverno. Nessa época a produção de comida diminui bastante e o consumo de madeira aumenta, ou seja, é preciso armazenar comida para sobreviver ao inverno e madeira para deixar as casas quentes.

Graças a essa mecânica do inverno, existe uma certa pressão e você frequentemente olha para ver em que mês está, e o cenário vai mudando aos poucos também, você vê os primeiros flocos de neve começando e já passa a sentir que o inverno está chegando e é preciso ficar de olho no estoque de comida porque a coisa vai ficar pesada.

Enfim, Northgard é um ótimo jogo. É daqueles que você precisa dedicar um pouco de tempo e bolar estratégias para as coisas andarem do jeito certo. A falta de um dos recursos pode acabar causando um verdadeiro caos e te fazendo repetir inúmeras vezes. O jogo também conta com modo multiplayer e cooperativo.

Comentários