Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

quinta-feira, 25 de maio de 2017

O aperto no coração ao jogar revistas antigas no lixo

Como falei na matéria da lista que vai melhorar sua vida absurdamente, um dos itens da minha lista é jogar cinco coisas fora todo dia, no entanto hoje fui pegar umas coisinhas e chegou na parte das revistas. A ideia era só jogar cinco coisas fora, mas fiquei organizando minhas coisas e comecei a empilhar e quando vi resolvi organizar um monte de coisas e jogar revistas antigas fora, o que trouxe boas lembranças e deu um aperto. Vi tarde demais que podia ter tirado mais fotos, a ideia não era fazer uma matéria, por isso só ficou essa aí mesmo, as de baixo são meramente ilustrativas kkkk.

No começo eu peguei apenas umas revistas de design e comecei a empilhar, mas fui lendo as matérias de capa "Como tipografia pode tunar seu negócio" e "50 dicas para detonar no design", e o que antes eram pra ser as revistas que eu ia jogar fora, acabou se tornando as que iam ficar pra eu ler antes de descartas, e as que foram pro lixo foram as de jogos (Caramba deu até um aperto escrever isso O_O).

Achei engraçado isso porque eu não me vi jogando fora minhas revistas de jogos, mas fui pegando uma e outra, e comecei a pensar "Há quanto tempo eu não vejo essas revistas? 5? 10? 15 anos? Algumas mais que isso até!" O que elas estão fazendo no meu armário? E decidi que era hora de dizer adeus, mas nossa, tive umas boas memórias.

Também tive umas surpresas, nossa, a Ação Games era revista de tarado! Eu tava vendo e um monte de edição da revista começava com uma gostosa mostrando o corpo e uma mensagem dela para os gamers uahahaha, eu tinha me esquecido completamente disso. Na época eu simplesmente não pensava nada sobre, mas fico imaginando o tanto de nerd tarado que não ficava louco com essas contra capas dignas da Playboy uahahaha.

Um monte de posters meus também foram pro saco, na minha adolescência eu gostava dessas coisas de colocar posters na parede. Daí tinha até alguns bacanas, o mapa super detalhado da terra média com várias informações, um poster gigantesco de The Sims 1, algumas coisas não tão velhas como uns posters da EGW, um Mario da Nintendo World, entre outros.

Também fiquei impressionado em como algumas revistas pareciam blogs, tinham coisas que eram só a bagaceira, não pareciam muito profissionais não hahaha. Mas na época eu achava ultra profissional as coisas colocadas, revendo agora tem uns bagulhos trash demais, uns balões de falas com umas mensagens bizarríssimas uhahaha.

Mas também salvei algumas coisinhas hehehe, o meu álbum de figurinhas de Pokemon, meu poster com os 150, um poster do Metal Gear Solid 2 da revista Ação Games, todas as edições da Dragão Brasil e as edições que tenho da Vertigo e outras revistas de mistério. Além de algumas extras como a edição do jogo Silver (Esse foi esquecido no tempo) da revista CD EXPERT. Vi que essas seriam as que eu realmente precisava.

O negócio é, sim, é meio triste jogar tantas revistas de jogos fora, e sim eu poderia vender, mas daria um trabalho que eu não tava afim de ter, preferi então só jogar pra lá mesmo. Então no fim das contas estavam só fazendo volume e eu meio que cansei de ter tralhas, por isso decidi jogar tudo que não uso de verdade, e deixar só coisas que podem ser úteis (RPG's, jogos de tabuleiro, etc) ou coisas que podem dar um toque especial no meu quarto mesmo que eu não vá usar, como livros que já li por exemplo.

As revistas Dragão Brasil, por mais que eu não use há bem uns doze anos, são cheias de informações úteis, regras especiais para determinados jogos, contos, dicas e muito mais. Já as Vertigo são histórias em quadrinhos sombrias que eu realmente posso acabar dando uma lida e são o tipo de coisa fodinha demais pra eu me livrar hehehe.

Por mais que exista um certo charme em revistas de video game, e que seja gostosa essa sensação de TER algo, percebo que cada vez menos me sinto com essa vontade de ter coisas. Pra falar a verdade eu sinto é exatamente o contrário, um certo peso em ter um monte de tralhas, bate aquela sensação de não conseguir respirar, sei lá. Bem que aqui no Brasil podia ter aquele negócio de venda e troca de tralhas que vizinhos fazem né? Facilitaria tanto a vida hehehe. Mas e vocês, fazem uma limpa de vez em quando? Ou são muito apegados?

Nenhum comentário: