Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

segunda-feira, 27 de março de 2017

A terra em que Deus mentiu - Capítulo 65

Esse é um conto interativo onde após a leitura de cada capítulo, os leitores votam na decisão que o personagem tomará para a continuação. Antes de começar, leia o que veio anteriormente:


Por favor, leiam e apontem qualquer erro de português ou digitação, não precisam dizer em que linha está, apenas escrever o trecho e o acharei, isso garantirá que leitores que venham depois, possam ter uma leitura mais agradável.

Capítulo 65

Ensis empunha as espadas, ela se move cautelosamente para trás de uma pequena elevação no solo, origem do som. A guerreira sabe que certamente se houver alguém ali, certamente a pessoa já sabe da presença do grupo, e o mesmo para alados. Ainda assim é cautelosa e se movimenta com passos leves, preparada para qualquer chance de ataque surpresa.



Apesar de não estar nervosa, também não está completamente calma, seus olhos se mantém firmes na maioria do tempo, mas vez ou outra ela dá uma olhada rápida ao redor para ver se não há mais nada preparado para uma armadilha ou algo do tipo. Alguns passos a mais e ela vê uma enorme asa negra de uma criatura parada tranquilamente. O ser parece vê-la.

A guerreira segura as armas com mais firmeza, observa o chão e percebe que parece firme, sem armadilhas. Não que ela já tenha visto um ser celestial fazer armadilhas, porém gosta de tomar todas as medidas de segurança para não ser surpreendida. Ela sabe bem que tipo de alado é esse, uma Dominação.

Ensis se lembra de ter visto uma Dominação no pântano, normalmente elas são bem sutis em sua forma de atacar. Boa parte das vezes parecem ser apenas observadoras e não fazem nada diretamente, porém a guerreira sabe muito bem que esse jeito quieto da criatura apenas a torna mais imprevisível e letal. Se atrai pela morte, o que faz com que muitas vezes só surja após uma chacina ter acontecido em algum lugar. A sua maior diferença é a forma de lutar, pois tem controle sobre cadáveres, fazendo-os se levantar e atacar, a presença frequente de parentes amados faz com que entrem em choque e sejam mortos antes de conseguir reagir.

A mulher entra em posição de ataque e começa a se movimentar lentamente, pronta para dar um único ataque de aviso, talvez consiga assustar a criatura ou talvez a faça iniciar um combate. Lentamente ela se aproxima até chegar perto o suficiente e rapidamente ataca com sua mão esquerda. A criatura repentinamente salta para trás, sem reagir.

Uma leve brisa é gerada e Ensis sente que está suando, mas não está nervosa, talvez seja apenas a noite. Ela se mantém concentrada, Sabe que não pode subestimar o ser apenas porque não tem uma forma de agir tão selvagem, porém se sente aliviada em não estar em um cemitério ou campo de guerra, onde há vários cadáveres disponíveis para serem usados.

De repente os pensamentos de Ensis são interrompidos com um som ao lado dela, de alguém subindo a elevação no solo. Ela dá uma olhada rápida e se surpreende ao ver Elium surgindo lentamente de trás do lugar, indo em sua direção.

1 - Recuar, pegar Elium e preparar para fugir.
2 - Continuar atacando e se preparar para qualquer coisa pior.
3 - Chamar Lazar e pedir por ajuda.

Vocês tem até sexta para votar, por favor apontem erros.

Nenhum comentário: