Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

sábado, 15 de outubro de 2016

Goosebumps - Jeitinho de sombrio e carinha de Jumanji

Eu já tinha falado aqui no blog sobre como surgiu a minha paixão por Goosebumps, é sem sombra de dúvidas algo que ajudou bastante a desenvolver o meu amor pelo gênero terror. É algo que, quando cresce, você acaba obviamente notando que é meio bobinho. No entanto é o tipo de coisa que é nostálgica e que muita gente tem um carinho especial. Sendo assim facilmente me senti atraído pelo filme de 2015.



A verdade é que o filme chegou bem tarde, exatamente duas décadas depois da estreia da série de TV. Através dos anos, ideias para o filme, foram cogitadas inúmeras vezes. Apesar de tudo a coisa acabava nunca dando certo, era uma daquelas franquias que tinha sucesso, a ideia tava lá, mas na prática a coisa acabava não indo para frente.

Pra falar a verdade a própria ideia de um filme de Goosebumps sempre me pareceu meio bizarra, afinal de contas o que os caras fariam? Um episódio de uma hora e meia de duração? Seria mesmo empolgante assim assistir um filme da coisa? Que diferencial teria em carregar o nome "filme" se fosse só uma versão grande de um episódio normal?

Eu acabei entrando em contato primeiro com o jogo de Goosebumps, que foi lançado na mesma época do filme. Aquele jogo acabou me surpreendendo demais, pois era exatamente o que um fã de Goosebumps gostaria de jogar, algo que te coloca no papel de um colegial e você enfrenta não apenas uma, mas várias das criaturas daquele universo.

E o filme tem uma trama bastante parecida, o que foi um toque genial, pois é exatamente o diferencial que conseguiu separar ele da série. Ou seja, não é apresentada uma história de terror com uma criatura inédita. Ao invés disso é feito um tipo de simulação do mundo real, apresentando um universo onde o autor dos livros R.L. Stine e todo mundo conhece Goosebumps, isso cria aquela sensação mais familiar com a coisa, algo meio "Poderia ter sido eu!".

Então na trama é mostrado um garoto chamado Zach, que se muda para uma nova cidade e conhece os vizinhos. Por algum motivo eles tem uma estante lotada de manuscritos do Goosebumps e cada um deles é trancado com um cadeado. Não demora muito para que o garoto perceba que jamais deveria ter tocado neles.

Bom, já dá pra deduzir como a história é conduzida, não é? Esse filme parece um Jumanji com foco em criaturas sombrias. É bem notável que muito da fórmula foi usada, aquela sensação de "Com que criatura eles irão cruzar depois?", tudo tendo até mesmo um vilão principal, o boneco Slappy, que é muito mais esperto e maldoso que o resto das criaturas.

Ao contrário do que algumas pessoas podem achar, esse filme não tem foco algum no terror, mas sim na comédia mesmo. Na série haviam algumas tentativas de susto bobinhas, tinham algumas crianças que inclusive tinham medo de Goosebumps. Mas aqui o foco é a comédia apenas, o que pode decepcionar alguns.

Apesar de tudo há diversas piadinhas muito bem boladas, por exemplo, quem conhece R. L. Stine sabe que ele é considerado o Stephen King para crianças, pois ele é muito mais popular entre o público infanto juvenil que o King, tendo suas obras amplamente conhecidas em escolas, daí no filme há insinuações de que ele é um Stephen King de segunda categoria e ele fala algo do tipo "Eu já vendi muito mais livros do que o Stephen King, mas disso ninguém fala né?!". Daí em um momento ele chega no auditório da escola e tá lá um cenário de uma peça e no tipo escrito "O Iluminato" (Obra do Stephen King) kkkkk.

Apesar de tudo tenho que assumir que esse é um filme que se não fosse Goosebumps, eu não teria assistido. Ele é bastante padrão de filme de aventura com toques de comédia. Usaram alguns atores conhecidos para atrair mais as pessoas, sendo que Jack Black sem dúvidas foi uma baita de uma jogada de marketing, já que o ator é usado e abusado como rostinho pra atrair gente, apesar de que normalmente fazem isso em coisas relacionadas a rock, tipo em Brütal Legend.

Algo que posso dizer que me decepcionou no filme foi o fato de não ter a música tema do seriado nenhuma vez. Quando começou eu esperava que tivesse ela tocando só pra dar um climinha, mas não teve, então pensei que iriam colocar nos créditos finais, porém também não aparece. Isso é uma verdadeira blasfêmia! Mas dá pra passar né, certamente teve algo a ver com direitos autorais.

Enfim, se você gosta de filmes leves para passar o tempo com climinha de aventura, certamente esse pode agradar bastante. Se você é fã essa é sem dúvidas uma obra essencial, no entanto se você é do tipo mais sério e não gosta de Goosebumps, talvez não agrade tanto assim. No Brasil o nome ficou  "Goosebumps: Monstros e Arrepios" e você pode conferir aqui.



Nenhum comentário: